Translate

terça-feira, 9 de julho de 2019

Atividades culturais para o 
feriado Nove de Julho

Olá, bom dia e excelente feriado a todos nós.
Li logo cedo os jornais e achei interessante na Folha para o feriado Nove de Julho, algumas atividades culturais que podem ser feitas na capital paulista, acompanhe as opções:

Imagem pública internet
Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32
No local de onde parte o desfile de 9 de Julho estão sepultados os corpos dos heróis da revolução, incluindo os quatro jovens, Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo/MMDC que morreram na noite do dia 23 de maio. O local fica na Avenida Pedro Álvares Cabral, no Ibirapuera.

Mirante 9 de Julho
Revitalizado em 2015, o mirante é aberto ao público, recebe eventos culturais e tem cafés. Fica na Avenida 9 de Julho, batizada em lembrança ao dia em que a luta eclodiu.

Galeria Jorge Mancini
O acervo tem mais de 200 peças bélicas da época da revolução, incluindo armas, uniformes, documentos, reportagens e propagandas militares. A galeria está aberta para visitação nesta terça-feira (9), das 10h às 16h e  fica na Rua Venceslau Brás, 206, 1º andar, na Sé.

Entenda o 9 de Julho
Foi um movimento armado, que resultou da revolta generalizada no Estado de São Paulo contra o governo de Getúlio Vargas, que assumira o poder em 1930 com um golpe de Estado, derrubando o então presidente Washington Luís e impedindo a posse de seu sucessor.
Vargas reduziu a autonomia dos Estados do país e indicava interventores para governá-los segundo seus interesses.
Com o apoio de grupos econômicos e políticos locais, o levante - que resultou no maior conflito militar do país no século XX - teve início no dia 9 de julho de 1932, e terminou com a rendição do Exército Constitucionalista em 2 de outubro.

Imagem pública internet
Seu estopim foram as mortes de quatro jovens paulistas (Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo/MMDC) por tropas getulistas durante uma manifestação no centro de São Paulo, no dia 23 de maio.
Os confrontos entre constitucionalistas e tropas enviadas por Getúlio - que conseguiu articular uma resposta militar com apoio de todos os Estados, exceto o Mato Grosso -, no interior do Estado e na capital, deixaram 934 mortos, entre eles, 634 constitucionalistas.
Os paulistas perderam a Revolução, mas Getúlio nunca foi efusivamente homenageado em São Paulo. 

Fonte: BBC Brasil e Folha

Nenhum comentário: