Translate

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

A Um Gato poesia de Jorge Luis Borges


Excelente início de semana a todos nós.
A coluna Cantinho da Poesia traz o escritor e poeta Jorge Luis Borges, com o poema “A Um Gato”. Aproveito a poesia para homenagear o meu grande amiguinho gatinho/chatinho Chorão, neguinho do meu coração.

Não são mais silenciosos os espelhos
Nem mais furtiva a aurora aventureira;
Tu és, sob a lua, essa pantera
que divisam ao longe nossos olhos.
Por obra indecifrável de um decreto
Divino, buscamos-te inutilmente;
Mais remoto que o Ganges e o poente,
É tua a solidão, teu o segredo.
O teu dorso condescende à morosa
Carícia da minha mão. Sem um ruído
Da eternidade que ora é olvido.
Aceitaste o amor desta mão receosa.
Em outro tempo estás. Tu és o dono
de um espaço cerrado como um sonho.

Jorge Luis Borges
Jorge Francisco Isidoro Luis Borges Acevedo, nascido a 24 de agosto de 1899, em Buenos Aires, Argentina foi escritor, poeta, tradutor, crítico literário e ensaísta. Em 1914, sua família mudou-se para Suíça, onde estudou e de onde viajou para a Espanha. 
Em 1919, se mudaram para Madrid, onde Borges concluiu seus estudos. Em 1921, de volta à Argentina, começou a publicar poemas de inspiração surrealista. Publicou seu primeiro livro de poemas, “Fervor de Buenos Aires” (1923). Em 1937 foi nomeado diretor da Biblioteca Nacional, onde trabalhou durante nove anos.
Em 1943, publicou uma das suas mais importantes obras: “O Aleph”, considerado pelo crítico Harold Bloom, como uma das maiores obras literárias do ocidente. Na obra, Borges sugere imagens e espelhos onde o real confundia-se com a realidade.
Com a chegada de Juan Domingo Perón, à presidência da Argentina, Luis Borges foi demitido da Biblioteca Nacional em 1946, sendo obrigado a sustentar-se com ajuda de amigos, que o indicaram para conferências e palestras.
Acometido por problemas nos olhos, foi aos poucos perdendo a visão. Quando estava totalmente cego contou com a ajuda de sua mãe para escrever seus livros. A doença fez com que vivesse em reclusão durante boa parte do fim de sua vida.
Como reconhecimento por seu trabalho, Borges recebeu inúmeros prêmios, entre eles, o Prêmio do Congresso Internacional de Editores, além de prêmios do governo da Itália, da França, da Inglaterra e da Espanha. Luis Borges casou-se aos 86 anos com sua secretária Maria Kodama
Jorge Luís Borges faleceu em Genebra, Suíça, no dia 14 de junho de 1986.

Obra

Fervor de Buenos Aires (1923); Luna de Enfrente (1925); Inquisiciones (1925); El Idioma dos Argentinos (1928); Historia de la Eternidad (1936); El Jardín de Senderos Que se Bifurcan (1941); El Aleph (1949); El Hacedor (1960); Para Las Seis Cuerdas (1967); Elogio de la Sombra (1969); La Rosa Profunda (1975); El Libro da Arena (1975); História de la Noche (1976) e Los Conjurados (1985).

Fonte: Ebiografia, brasil escola, wikipedia e Google

Um comentário:

Ricarte disse...

bem legal..