Translate

segunda-feira, 16 de julho de 2018


Cantinho da Poesia Ao jardim, o mundo
Poema de Walt Whitman

Bom dia amigos, excelente início de semana a todos nós.
Destaco na coluna Cantinho da Poesia de hoje um pouco de Walt Whitman, espero que gostem.
Abraços,


Ao jardim, o mundo

 

Ao jardim, o mundo, renovado em ascensão,
Parceiros potentes, filhas, filhos, em prelúdio,
O amor, a vida de seus corpos, ser e sentido,
Curioso, contemple aqui minha ressurreição, após o sono;
Os ciclos em revolução, em seu amplo movimento, aqui me trouxeram outra vez,
Amoroso, maduro – tudo belo para mim – tudo maravilhoso;
Meus membros, e o fogo trêmulo que folga neles, pelos mais maravilhosos motivos;
Existindo, eu perscruto e penetro ainda,
Contente com o presente – contente com o passado,
Ao meu lado, ou atrás de mim, Eva me seguindo,
Ou à frente, e eu a segui-la do mesmo jeito.

  

Walt Whitman

Walt Whitman (1819-1892), poeta, ensaísta e jornalista nasceu em West Hills, Huntington, em Nova Iorque, Estados Unidos, no dia 31 de maio de 1819. Foi considerado um dos maiores poetas dos Estados Unidos, uma voz a serviço da democracia. Paulo Leminski o considerava o grande poeta da Revolução americana, como Maiakovsky seria o grande poeta da Revolução russa.
Trabalhou como jornalista no Broadway Journal, onde assinava crítica de ópera e teatro, relatos de jogos de baseball, crônicas do dia a dia, artigos sobre a questão escravagista, pequenos contos etc. Em 1842 publicou o livro “Franklin Evans”.
Em 1845, Walt Whitman regressou para o Brooklyn e durante um ano escreveu para o Long Island Star. Entre 1846 e 1848 trabalhou como editor do Daily Eagle. Ainda em 1848 editou o Freeman Brooklyn, e no ano seguinte instalou uma tipografia e uma papelaria. Em 1855 publica “Leaves of Grass”, um volume de poesias, com 100 páginas que não traz o nome do autor nem do editor. Criticada por uns e elogiada por outros, a obra foi considerada obscena para seu tempo.


Ao longo de sua vida, o escritor se dedicou a rever e completar o livro de poesias, que teve oito edições. Na segunda edição, em 1856, a obra já apresentava o nome do autor na capa. Com 32 poemas, entre eles estava o poema (Song of Myself) “Canção de Mim Mesmo”. Em 1860, um autor já reconhecido, vai a Boston para o lançamento da 3ª edição, com 154 poemas.
Em 1871, ano da emancipação dos negros e da publicação da XIV Emenda à Constituição, que lhes dá o direito ao voto, Whitman declama, na Exposição Internacional de Nova Iorque, alguns poemas inéditos, publicados na 5ª edição de Leaves of Grass. O livro já contava com 273 poemas. Nesse mesmo ano, publica “Democratic Vistas”, onde questiona a corrução social e política daquele tempo.
Walt Whitman faleceu em Camden, New Jersey, Estados Unidos, no dia 26 de março de 1892.

Fonte: ebiografia; wikipedia; Google

Nenhum comentário: