Translate

quarta-feira, 28 de março de 2012

Olá amigos, que a quarta-feira seja boa para nós.
Bem, hoje chego ao final do conto Criaturas, e a partir de amanhã, a história estará na íntegra na Página Contos.
Se você ama o rock´n´roll assim como eu, não pode perder a Let´s Rock: A Exposição que começa dia 4 de abril, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Leia mais sobre o assunto.
Outro evento muito legal que começou ontem na Cidade é o Cultura da Baixada Santista, e que continua até dia 7 de abril. Veja a programação para hoje e na postagem de ontem, a programação completa.
Espero que tenham gostado. Amanhã tem mais e espero você aqui.
Beijão,
Miriam


Continuação do conto Criaturas
Parte final

...

Nisso, os astrônomos perderam os seres da mira telescópica. As criaturas desapareceram. Os especialistas brindaram com a suposta desistência dos bichos. Eles sumiram, foram embora, pensaram todos.
...
Do outro lado da terra, ainda noite, as pessoas dormiam despreocupadas.
Era meia-noite de lua cheia e o clima estava ameno.
Os seres atravessaram a atmosfera da terra. Mantinham a mesma velocidade de quando saíram da lua. Em grupo os seres foram avançando e descendo cada vez mais. Eram silenciosos, nem um som se quer os denunciava.
As criaturas voavam sobre as cidades, pois a iluminação era o grande chamariz para aqueles seres.
Um estrondo me fez levantar da cama assustada. Corri para a janela do quarto e mal podia acreditar no que via do edifício em frente ao meu. Segurei-me no batente da janela e permaneci ali no escuro, com medo até de respirar!
As criaturas estão arrebentando as janelas do prédio com as imensas patas. Com a força, estão enfiando as cabeças dentro dos apartamentos e pegando as pessoas com as línguas. Grudadas, imóveis e enroladas nas línguas, as pessoas estão sendo engolidas. Meu Deus, os seres parecem tamanduás arrancando do formigueiro as indefesas formigas!
Mesmo sem muita coragem coloquei a cabeça para fora da janela e vi os monstros voando, aos milhares e sem trégua. Estavam com fome e as luzes acesas atraiam a visão das criaturas.
Foi horrível, explosões, gritos e numa luta sem piedade as pessoas eram devoradas. Os seres famintos atacavam os prédios e quanto mais altos, mais fáceis para eles.

Aquilo era demais para mim. Fui cambaleando e me amparando nas paredes e não consegui mais ficar em pé, caindo ao chão e sem forças para mais nada.
Em toda a parte da terra onde ainda era noite, as criaturas foram destruindo tudo o que viam pela frente em busca de saciar a fome. Fios elétricos foram arrancados com as caudas, telhados destruídos e tudo o mais que atrapalhava o caminho daqueles seres.
Milhares de pessoas foram simplesmente mortas sem chance alguma de defesa. 
O exército tentou em vão, pois as armas não eram páreas para aqueles seres fortes que vieram do espaço.
O mundo jamais passara por um massacre como esse.
Estava clareando quando comecei acordar. Mesmo sem coragem fui até a janela. Não vi mais os seres. Haviam partido deixando um rastro de destruição.
Desci as escadas do prédio e corri para a rua. A cena era de um holocausto, um fim de mundo. Nas ruas carros batidos, fogo, restos de construções e muito sangue e sujeira. Pessoas pediam por socorro desesperadas; outras foram prensadas, mas não vi restos de ninguém pelo chão.
Corri pelas ruas e as cenas eram idênticas. Não tivemos como lutar, mas se pudéssemos também seria uma luta em vão porque as criaturas eram muitas e ninguém conseguiria combatê-las.
Voltei a meu apartamento. Meu prédio nada sofrera por ser pequeno e também porque estavam todos dormindo na hora do ataque.
Acessei o facebook do meu celular e desesperadas, as pessoas diziam que estava anoitecendo do outro lado da terra...

---------------------------------
Let’s Rock, exposição na OCA, em abril

Se você gosta de rock´n´roll, não pode perder a exposição que começa dia 4 de abril, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo.
A OCA recebe a mostra “Let´s Rock: A Exposição”, resultado da parceria com o Rock an Roll Hall of Fame e outros museus, além de fotógrafos e grandes colecionadores. Let´s Rock  irá reunir em diversos ambientes várias exibições, pocket shows, palestras, workshops e outros ambientes do gênero.
Na entrada, os visitantes terão contato com uma linha do tempo interativa que mostra a história do ritmo que misturou o blues, o R&B, o gospel e outros ritmos no final dos anos 40 e mudou o mundo. No subsolo ficaram fotos de Rui Mendes, Marcelo Rossi e Bob Gruen, famoso pelos cliques históricos que fez de Jonh Lennon, Bob Dylan, Rolling Stones, Sid Vicious, Ramones e outros símbolos do rock. O fotógrafo também fará uma palestra sobre seu trabalho já na abertura da exposição. No primeiro andar os fãs poderão ver objetos originais de bandas nacionais e internacionais como as primeiras baterias do Motörhead e do Sepultura, um disco de ouro dos Beatles e até o famoso baixo Hofner em formato de violino de Paul McCartney, entre outros artigos.
O rock brazuca também terá seu lugarzinho e será representado pelos Mutantes, Secos & Molhados, Raul Seixas e Wanderleia, mas também pelo Legião Urbana, Cazuza, Ratos de Porão e outros, com a história brasileira do ritmo que ganhou as nossas ruas, nossas mentes e se transformou, adquirindo a versatilidade brasileira em seus diversos movimentos musicais.
E aí, vai perder essa?
Serviço:
Let’s Rock: A Exposição

Data: De 4 de abril a 27 de maio, de terça a domingo, das 10h às 22h
Local: Oca – Parque do Ibirapuera (ave­nida Pedro Álva­res Cabral, S/Nº, por­tão 3), São Paulo
Valor do ingresso: Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia para ido­sos e estu­dan­tes)
Informações: site:  http://www.letsrockexpo.com.br


------------------------------
Cultura na Baixada Santista


O site CineZen (www.cinezen.net) completará três anos de existência em 29 de março. Para celebrar a data e a criação de seu “irmão mais novo”, o site CulturalMente Santista (www.santoscultural.net), foi programada uma série encontros, que teve início ontem e continua até dia 7 de abril, reunindo mais de trinta nomes relevantes da cultura na Baixada Santista, entre artistas, produtores culturais e jornalistas do setor. Trata-se da primeira edição do CulturalMente Santista, projeto idealizado pelo jornalista André Azenha com o objetivo de divulgar e abrir espaço para esses profissionais exporem suas opiniões e projetos.

Ao todo são nove bate-papos, que abordam os seguintes temas: cinema, teatro, produção cultural, artes plásticas, design + ilustração, criação literária, música, e tendências do mercado editorial. Seis deles são beneficentes, em prol da Casa Vó Benedita. E alguns contarão, também, com apresentações artísticas. Paralelamente aos encontros, acontecerá a exposição “Variantes Fotográficas”, de Rafael Ponzio, cuja abertura aconteceu ontem. As fotos ficarão expostas, além do Almanaque, na Millor Revistaria e Cybercafé, até o fim da programação.

Acompanhe a programação para hoje:


28/03 (quarta), 20h
- Produção e criação teatral
Local: Café Teatro Rolidei -  Av. Sen. Pinheiro Machado, 48, 3º piso do Teatro Municipal, Vila Mathias
Debatedores:
- Claudia Alonso: coordenadora do grupo Orgone, atriz
- Miriam Vieira: atriz, diretora de teatro, em cartaz com a peça “Reclame”
- Márcio de Souza, diretor do teatro Guarany, professor, ator, produtor
Mediação: André Azenha
Gratuito, mas quem quiser pode doar uma camiseta branca em prol da Associação Projeto TAMTAM

Nenhum comentário: