Translate

quinta-feira, 1 de março de 2012

Olá, lá vai mais um miniconto "O beco" para compor a edição desta quinta-feira.
O que você achou da história? Gostou?
Dê sua opinião.
Até mais,
Miriam


O beco

Correndo por becos escuros e com as mãos ensanguentadas. Olha ao redor e só vê lixo, ratos e sujeira. Um lugar perfeito para esconder-se. Atrás de latões ele aguarda por mais uma vítima. Um vulto se aproxima, é uma prostituta que entra no beco para cortar caminho até a outra rua. Ela caminha devagar e se distrai contando dinheiro.
Os olhos dele seguem a figura da mulher. Ela não percebe. Com água na boca ele sente o frescor do pescoço dela. O perfume barato da mulher aguça o olfato dele. Os olhos avermelham-se e a sede fica incontrolável.
De repente ela escuta algo estranho e aperta o passo. Ele também. A moça agora com a respiração ofegante corre em direção ao final da rua. Ele consegue alcançá-la, empurra-a contra a parede, tampa sua boca e a aperta em seus braços. Sob a capa negra, os dentes pontiagudos perfuram o pescoço da pobre prostituta...
Acorda em sua cama. Depois de alguns minutos se dá conta que está numa camisa de forças. Senta na cama e observa os médicos pelo vidro.


        Sua boca tem gosto de sangue... 

Nenhum comentário: