segunda-feira, 15 de outubro de 2018


Coluna Cantinho da Poesia

Olá amigos, bom dia.
A coluna Cantinho da Poesia desta segunda é dedicada a Carlos Drummond de Andrade.

 
Quadrilha
João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili,
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Carlos Drummond de Andrade
Poeta, contista, cronista, e “O Pensador”, como é nomeado em sua famosa estátua no calçadão da praia de Copacabana.
Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) é, provavelmente, o maior poeta “no meio do caminho” da história da literatura brasileira. Considerado um dos principais nomes da segunda geração modernista (1930-1945), o escritor mineiro tem uma obra marcada por liberdade formal, bom humor e uma linguagem capaz de cativar qualquer pessoa.
Com um percurso literário que durou mais de 60 anos, sua carreira sustenta a publicação de mais de 30 obras no Brasil, entre antologias poéticas, livros de prosa e livros infantis.

Nenhum comentário: