terça-feira, 30 de outubro de 2018


Canta a Poesia: Coral Casa das Rosas

Nesta quarta-feira, dia 31/10, das 19h30 às 21h, a Casa das Rosas promove o evento Canta a Poesia com direção musical Adilson Rodrigues.

O projeto Canta a poesia – desenvolvido pelo Coral da Casa das Rosas – tem como foco a musicalização e a interpretação de poemas de autores brasileiros clássicos e de autores desconhecidos do grande público.
Na última quarta-feira do mês, o público é convidado para assistir à apresentação do Coral, uma oportunidade rara de ouvir poesia e literatura musicalizadas.


Serviço

Canta a Poesia

Quando: dia 31/10, das 19h30 às 21h
Local: Casa das Rosas – Avenida Paulista, 37, Bela Vista, São Paulo
Mais informações: (11) 3285-6986/3288-9447
Entrada gratuita

segunda-feira, 29 de outubro de 2018


Camilo Pessanha no Cantinho da Poesia


Olá, bom início de semana a todos nós. Ontem dia complicado por conta das eleições e sem novidades para cultura e lazer.
Nesta segunda, a Coluna Cantinho da Poesia traz a poesia portuguesa de Camilo de Almeida Pessanha, nascido em 7 de setembro de 1867, em Coimbra, Portugal e falecido a 1º de março de 1926, em Macau, na China (língua local de influência portuguesa e cantonesa).


 Canção da partida

Ao meu coração um peso de ferro
Eu hei-de prender na volta do mar.
Ao meu coração um peso de ferro...
        Lançá-lo ao mar.

Quem vai embarcar, que vai degredado,
As penas do amor não queira levar...
Marujos, erguei o cofre pesado,
        Lançai-o ao mar.

E hei-de mercar um fecho de prata.
O meu coração é o cofre selado.
A sete chaves: tem dentro um carta...
--- A última, de antes do teu noivado.

A sete chaves --- a carta encantada!
E um lenço bordado... Esse hei-de o levar,
Que é para o molhar na água salgada
No dia em que enfim deixar de chorar.

Camilo de Almeida Pessanha
Poeta português. É considerado o expoente máximo do simbolismo em língua portuguesa, além de antecipador do princípio modernista da fragmentação.

Escreveu poemas e sonetos singulares como a sua vida. Camilo Pessanha é considerado "o representante mais genuíno do simbolismo" em Portugal. Em Macau cumpriu um exílio voluntário de quase 30 anos por causa, dizem, de um desgosto de amor. 

sábado, 27 de outubro de 2018


4ª Bienal Internacional de Graffiti Fine Art


Olá, excelente sábado a todos.
Até o dia 4 de novembro acontece no Memorial da América Latina a 4ª Bienal Internacional de Graffiti Fine Art, com entrada gratuita.
A bienal conta com murais, pinturas, esculturas e instalações em uma enorme galeria, com diferentes estilos, técnicas e a história dessa cultura. Participam do evento artistas inéditos da cidade de São Paulo, 20 representantes de outros estados e cerca de 10 nomes internacionais.  Além de diversas atividades de entretenimento como um lounge inspirador, pátio de multifuncional, mostra de vídeos educativos, mesa de diálogo, oficinas, performances e muitas outras surpresas para os criativos e amantes da arte urbana.
Entre os artistas, destacam-se Antisa, Erny (NYC), Ceet (França), Atomik (Miami), Moh (Ghana), Alex Senna, Mari Pavanello, Obed, Apolo Torres, Kueia, Tito Ferrara, Chivitz, Ananda Nahu, entre outros.


Serviço

4ª Bienal Internacional de Graffiti Fine Art

Quando: até dia 4 de novembro de 2018
Horário: de terça a domingo, das 9h às 18h
Local: Memorial da América Latina – Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664, São Paulo, Barra Funda
Entrada gratuita



sexta-feira, 26 de outubro de 2018


Encontro de Programadores de Literatura: Acessibilidade e Repertórios

Olá, que a sexta-feira seja esplêndida a todos nós.
Neste sábado, dia 27, das 15h às 18h, a Casa das Rosas proporciona bate-papo será o encontro.

O encontro conta com Adriana Freitag, Antonio Freitas, Carol Peixoto, Gil Marçal, Júnior Bellé e Marco Pezão, programadores e agitadores culturais que trocarão experiências sobre a organização de ações voltadas à discussão e difusão de literatura, do centro às periferias de São Paulo no contexto da ampla e diversificada agenda de atividades culturais que caracteriza a cidade.
Participe, dê ideias para ampliação da agenda cultural da cidade.


Serviço
Encontro de Programadores de Literatura: Acessibilidade e Repertórios
Quando: neste sábado (27/10), das 15h às 18h
Local: Casa das Rosas - Av. Paulista, 37, Bela Vista, São Paulo
Mais informações: (11) 3285-6986/3288-9447
Entrada gratuita  

quinta-feira, 25 de outubro de 2018


Coluna Dicas da Língua Portuguesa
Linguagens, Códigos e Redação para o Enem


Olá, bom dia a todos.
Hoje é dia da coluna Dicas da Língua Portuguesa e continuando o assunto da semana passada sobre a prova do Enem, acompanhe site muito bom que esclarece sobre vários tópicos:
Caligrafia; competências avaliadas na redação; coerência e coesão textual na redação; interpretação de textos; variedades linguísticas e muito mais.

Acesse o site:


quarta-feira, 24 de outubro de 2018


Sexta com Arte

Olá, um ótimo dia a todos nós.
Trata-se da apresentação do Musical Broadway Voices e participação do Leia Santos.
O musical acontece nesta sexta, dia 26/10, das 19h30 às 22h, com entrada gratuita, na Avenida Rangel Pestana, 184, Vila Mathias, Santos.



terça-feira, 23 de outubro de 2018

Casa das Rosas: Arquiteturas da Memória


Olá, tenha uma ótima terça-feira.
A Casa das Rosas está em exposição!

A história do imóvel da Casa das Rosas, de sua preservação e utilização, bem como sua inserção no contexto da cidade de São Paulo, compõe o eixo temático desta mostra, que conta com imagens e outros elementos ligados à memória do atual museu-casa literário a partir da incorporação, nele, do acervo bibliográfico de Haroldo de Campos. A exposição é composta dos seguintes ambientes:

No térreo, na antiga sala de estar da residência, são contempladas as mudanças ocorridas na Av. Paulista desde sua inauguração, e as diversas fases de utilização da Casa das Rosas: como residência, como galeria pública de artes e como museu-casa literário.


No piso superior, na antiga saleta situada entre os dormitórios, são exibidos documentos e publicações sobre algumas das atividades realizadas na Casa como instituição pública.

A exposição incorpora também o Canto da Memória, um espaço criado no hall de entrada, que remonta ao histórico da residência, pensado para servir como espaço para realização de selfies e outros registros fotográficos pelos visitantes. O Canto permanecerá no ambiente depois do término da exposição, incorporado à Casa como elemento expositivo.


Serviço

Casa das Rosas: Arquiteturas da Memória

Quando: até dia 31 de março de 2019
Horário: de terça a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 10h às 18h
Local: Av. Paulista, 37, Bela Vista, São Paulo
Mais informações: (11) 3285-6986/3288-9447
Entrada gratuita  

segunda-feira, 22 de outubro de 2018


Cantinho da Poesia dedicado à Sophia de Mello Breyner Andresen


Olá, excelente segunda-feira a todos nós.
Hoje a coluna Cantinho da Poesia é dedicada a uma representante de Portugal: Sophia de Mello Breyner Andresen, uma das mais importantes poetisas do século XX.

O Mar dos meus Olhos
Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma
E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes
 Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens…
Há mulheres que são maré em noites de tardes…
e calma
Sophia de Mello Breyner Andresen
Uma das mais importantes poetisas portuguesas do século XX. Nascida a 6 de novembro de 1919 no Porto, em Portugal, faleceu no dia 2 de julho de 2004, em Lisboa, Portugal, sendo a primeira mulher portuguesa a receber o mais importante galardão literário da língua portuguesa, o Prémio Camões, em 1999. O seu corpo está no Panteão Nacional desde 2014 e tem uma biblioteca com o seu nome em Loulé.
Criada na velha aristocracia portuguesa, educada nos valores tradicionais da moral cristã, foi dirigente de movimentos universitários católicos quando frequentava Filologia Clássica na Universidade de Lisboa (1936-1939) que nunca chegou a concluir. Colaborou na revista "Cadernos de Poesia", onde fez amizades com autores influentes e reconhecidos: Ruy Cinatti e Jorge de Sena. 
Veio a tornar-se uma das figuras mais representativas de uma atitude política liberal, apoiando o movimento monárquico e denunciando o regime salazarista e os seus seguidores. 
Em 1964 recebeu o Grande Prêmio de Poesia pela Sociedade Portuguesa de Escritores pela sua obra “Livro Sexto”. 
Distinguiu-se também como contista (“Contos Exemplares”) e autora de livros infantis (“A Menina do Mar”, “O Cavaleiro da Dinamarca”, “A Floresta”, “O Rapaz de Bronze”, “A Fada Oriana” etc). Foi também tradutora de Dante Alighieri e de Shakespeare e membro da Academia das Ciências de Lisboa. Para além do Prêmio Camões, foi agraciada com um Doutoramento Honoris Causa em 1998 pela Universidade de Aveiro e também foi distinguida com o Prêmio Rainha Sofia, em 2003. 
Desde 2005, no Oceanário de Lisboa, os seus poemas com ligação forte ao Mar foram colocados para leitura permanente nas zonas de descanso da exposição, permitindo aos visitantes absorverem a força da sua escrita enquanto estão imersos numa visão de fundo do mar.

Fonte: Livraria Saraiva, Wikipédia e notaterapia

domingo, 21 de outubro de 2018


Cinderela e o Pé Inchado - Especial Cia. Burucutu

Hoje tem programação especial comemorativa aos 16 anos de atuação da Cia Burucutu no Sesc Santos, às 17h30, com entrada gratuita. Abraços e até amanhã.

A Cia. Burucutu resgata o universo musical brasileiro tendo como base o famigerado clássico "Cinderela". Entoada nos ritmos de baião, xote, samba, repente, rasqueado, chorinho e maracatu, a história da gata borralheira é contada por dois personagens matutos, legitimamente brasileiros: Zé e Maria.


Numa miscelânea de cores e ritmos, o espetáculo elucida o dia seguinte do baile onde Cinderela conhece o Príncipe. O marquês virá em busca da moça que calça o sapatinho... Cinderela desespera-se ao notar que seu pé está terrivelmente inchado. Tatá, seu amigo ratinho, vai ter que se empenhar para conseguir um remédio especial: o elixir desinchatório criado pelo Dr. Ratonildo, renomado cientista no mundo dos ratos. Toda esta aventura ganhará vida e sonoridade ao ser narrada por Zé e Maria, com ritmos brasileiros executados ao vivo.

Serviço
Cinderela e o Pé Inchado
Quando: neste domingo(21), às 17h30
Local: Sesc Santos – Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida – próximo ao Praiamar Shopping, com estacionamento pago no local
Ingressos: gratuitos 

Fonte: Sesc - fotos públicas Google

sexta-feira, 19 de outubro de 2018


Maior exposição do artista chinês Ai Weiwei está no Parque do Ibirapuera

 

Obras históricas e inéditas refletem as crises do mundo contemporâneo

A primeira exposição do consagrado artista chinês Ai Weiwei no Brasil é também a maior que ele já fez. Ocupando uma área de 8 mil m² na Oca – Parque Ibirapuera“Ai WeiWei Raiz” apresenta obras históricas e inéditas sobre as crises do mundo contemporâneo, principalmente em relação à imigração. Os ingressos custam R$ 20 e podem ser comprados pela internet. A mostra fica em cartaz entre 20 de outubro e 6 de janeiro de 2019.


Serviço
Exposição Raiz do artista chinês Ai Weiwei
Quando: de 20/10 até dia 06/01/19
Horário: terça a sábado, das 11h às 20h; domingos e feriados das 11h às 19h
Local: Oca no Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, São Paulo
Ingressos: R$20

quinta-feira, 18 de outubro de 2018


Dicas da Língua Portuguesa
O Enem vem aí!

Olá, hoje é dia da coluna Dicas da Língua Portuguesa e como muito já se fala do Enem, até por conta dele ficou para novembro o Horário de Verão, e como venho recebendo e-mails, pesquisei alguns destaques para ajudar.
Para esta quinta-feira, veja as dicas para iniciar antes das provas e para os dias das provas.

Antes das provas:

-Se liga nos temas atuais;
-Treine a grafia, pois a dificuldade de leitura do texto pode influenciar na avaliação do corretor;
-Leia as propostas de redação de edições anteriores do Enem e exercite a interpretação de texto;
-Não deixe de estudar ortografia e gramática - erros com concordância, pontuação, acentuação, flexão e outros;
-Treine redação e faça correções. 


Hora das provas:

-Comece pela leitura da coletânea. Se for um tema considerado fácil, inicie as provas fazendo a redação. Caso o tema não seja tão fácil, tente responder as outras questões, pois a prova de Linguagens e Códigos pode te ajudar a argumentar na redação;
-Organize o tempo!
-Atenção com a argumentação, a ampliação de ideias pode levar ao distanciamento ou até mesmo à fuga do tema;
-Revisão minuciosa no rascunho antes de passar para a folha definitiva.

Mais dicas:

Banco de Redações:
Envie gratuitamente sua redação para correção:

Fonte: site vestibular 

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Auto da Barca do Inferno

Olá, excelente quarta-feira a todos nós.
Hoje destaco o livro “Auto da Barca do Inferno em quadrinhos”, história de Gil Vicente na versão de Laudo Ferreira, editora Petrópolis.
Gostei, fica a dica de leitura.

Nesta versão do Auto da barca do inferno em quadrinhos, Laudo Ferreira mergulha na obra de Gil Vicente e dá vida às suas personagens: os tipos sociais criados pelo autor português - o fidalgo, a cafetina, o frade, o enforcado, o onzeneiro, o sapateiro, o parvo, o judeu e os homens do judiciário - ganham uma estranha atualidade no traço do quadrinista, enquanto o Diabo e o Anjo, alegorias atemporais, atravessam os tempos em plena saúde. O leitor é transportado para a sociedade portuguesa dos 1500, quando o Brasil estava sendo colonizado, a bordo do humor e do sarcasmo de Gil Vicente.
Esta edição em HQ do clássico medieval contou com a consultoria literária do professor de literatura, dramaturgo e diretor teatral Maurício Soares Filho, que já realizou uma montagem de Gil Vicente com jovens estudantes. As cores deste Auto da barca do inferno em quadrinhos são de Omar Viñole, parceiro de Laudo Ferreira neste e em diversos outros trabalhos.

Gil Vicente
Gil Vicente foi poeta e dramaturgo português. É considerado, por muitos estudiosos, como o pioneiro do teatro português. Sua obra mais conhecida é "A farsa de Inês Pereira". Suas obras marcam a fase histórica da passagem da Idade Média para o Renascimento (século XVI).
Gil Vicente nasceu na cidade de Guimarães (Portugal) em 1466 e faleceu em 1536.

* Local de nascimento e ano hipotético de nascimento e falecimento (mais prováveis de acordo com estudos recentes)

Principais obras
Auto Pastoril Castelhano (1502) 
Auto da Visitação (1502) 
Auto dos Reis Magos (1503) 
Auto da Índia (1509) 
Auto da Sibila Cassandra (1513) 
Auto da Barca do Inferno (1516) 
Auto da Barca do Purgatório (1518) 
Auto da Barca da Glória (1519) 
Farsa de Inês Pereira (1523)