segunda-feira, 23 de julho de 2018


Cantinho da Poesia
Cem Sonetos de Amor de Pablo Neruda

Bom dia amigos! Iniciamos mais uma semana e que seja proveitosa.
O Cantinho da Poesia desta segunda-feira desta o livro “Cem Sonetos de Amor”, do poeta Pablo Neruda, um dos meus favoritos. O livro é maravilhoso e quase de cabeceira.
Espero que gostem da indicação, eu adoro!
Abraços,
Míriam




Os cem sonetos, no livro, estão divididos em quatro sessões: Manhã (32 sonetos), Meio-dia (21 sonetos), Tarde (25 sonetos) e Noite (22 sonetos). O poeta, por meio de inúmeros elementos, sobretudo os naturais, canta seu amor por Mathilde.
Em Manhã, no segundo poema, o eu-lírico fala sobre seu estado de solidão até encontrar a mulher amada; comenta sobre uma provável “impossibilidade” do amor dos dois, dos desencontros e, por fim, sobre o destino que os uniu.

“Amor, quantos caminhos até chegar a um beijo,/ que solidão errante até tua companhia!/ Seguem os trens sozinhos rodando com a chuva./ Em Tatal não amanhece ainda a primavera./Mas tu e eu, amor meu, estamos juntos,/juntos desde a roupa às raízes,/ juntos de outono, de água, de quadris,/ até ser só tu, só eu juntos./ Pensar que custou tantas pedras que leva o rio,/ a desembocadura da água de Boroa,/ pensar que separados por trens e nações/ tu eu tínhamos que simplesmente amar-nos,/ com todos confundidos, com homens e mulheres,/ com a terra que implanta e educa os cravos.” (p. 12)
  
Cem Sonetos de Amor é um livro de Pablo Neruda publicado em 1959, com cem sonetos relacionados ao romantismo, amor etc, divididos em quatro partes: Manhã, Meio-dia, Tarde e Noite, nas quais Neruda expressa todo o conteúdo da palavra amor. 

Nenhum comentário: