domingo, 15 de julho de 2018


“A Biblioteca que eu vi”
Mostra na Biblioteca Mário de Andrade

A exposição ocupa o primeiro e terceiro andar da Biblioteca Mário de Andrade (BMA), em São Paulo com obras de 12 artistas pertencentes ao grupo Pigmento, além de obras, livros e objetos do acervo da própria biblioteca. Pensada para dialogar com o prédio da BMA e também com o que ele representa, a realização é da Casa Contemporânea com curadoria de Marcelo Salles.
Doze artistas do grupo Pigmento participam dessa mostra realizada pela Casa Contemporânea, que tem como tema o edifício da principal biblioteca pública de São Paulo e sua relação com a cidade e frequentadores.
A Biblioteca Mário de Andrade, fundada em 1925, é a principal biblioteca pública da capital paulista e a segunda maior do país – atrás apenas da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Para essa exposição, os artistas foram convidados a pensar de forma ampla o espaço físico da biblioteca e todas as suas possibilidades.


O Grupo Pigmento é formado por doze artistas visuais que priorizam a linguagem da pintura: Adriana Pupo, Céci Pastore, Cyra de Araújo Moreira, Elisa Bueno, Fábio Hanna, Helena Carvalhosa, Lilian Camelli, Mariana Mattos, Marina de Falco, Renata Pelegrini, Rosana Pagura e Vera Toledo.
Para o curador da exposição, a proposta é usar a arte para abordar relações urbanas e arquitetônicas, a presença dos livros, conhecimento partilhado, novas tecnologias e a história e cultura do país. Além dos trabalhos dos artistas do Pigmento, “A Biblioteca que eu vi” também reúne obras, livros, objetos e documentos do acervo da própria biblioteca, em um total de mais de 100 itens, entre pinturas, fotos, objetos, instalações, livros de artista, desenhos, livros e documentos do acervo.


Serviço:
A Biblioteca que eu vi
Quando: até 12 de agosto - diariamente, das 8h às 18h
Local: Biblioteca Mário de Andrade (térreo e 3º andar)
Endereço: Rua da Consolação, 94, Centro, São Paulo
Telefone: (11) 3775-0027
Entrada gratuita
Mais informações: 

Nenhum comentário: