segunda-feira, 30 de abril de 2018

Clarice Lispector no Cantinho da Poesia


Segunda-feira é mais difícil porque é sempre a tentativa do começo de vida nova. Façamos cada domingo de noite um réveillon modesto, pois se meia-noite de domingo não é começo de Ano Novo é começo de semana nova, o que significa fazer planos e fabricar sonhos.

Pura verdade, não é? Clarice sempre tão maravilhosa, adoro!

Clarice Lispector

Clarice Lispector nasceu em Tchetchelnik, Ucrânia, no dia 10 de dezembro de 1920. Chegou ao Brasil em março de 1922, passou a infância na cidade do Recife e em 1937 mudou-se para o Rio de Janeiro, onde se formou em Direito.
Clarice Lispector estreou na literatura ainda muito jovem com o romance "Perto do Coração Selvagem" (1943), que teve calorosa acolhida da crítica e recebeu o Prêmio Graça Aranha.
Em 1944, recém-casada com um diplomata, viajou para Nápoles, onde serviu num hospital durante os últimos meses da Segunda Guerra. Depois de uma longa estada na Suíça e Estados Unidos, voltou a morar no Rio de Janeiro.
Clarice Lispector começou a colaborar na imprensa em 1942 e, ao longo de toda a vida, nunca se desvinculou totalmente do jornalismo. Trabalhou na Agência Nacional e nos jornais A Noite e Diário da Noite. Foi colunista do Correio da Manhã e realizou diversas entrevistas para a revista Manchete. A autora foi cronista do Jornal do Brasil. Produzidos entre 1967 e 1973, esses textos estão reunidos no volume "A Descoberta do Mundo".
Entre suas obras mais importantes estão a reunião de contos em "A Legião Estrangeira" (1964), "Laços de Família" (1972), os romances "A Paixão Segundo G.H." (1964) e "A Hora da Estrela" (1977).
Clarice Lispector faleceu no Rio de Janeiro no dia 9 de dezembro de 1977.


Biografia Pensador

domingo, 29 de abril de 2018


Sereias no Aquário de São Paulo

Bom dia, espero que o domingo seja de paz e felicidade a todos nós. Segue atividade bem descontraída para hoje.
Localizado no bairro do Ipiranga, o Aquário de São Paulo é uma boa opção de passeio para a família toda com a diversidade de peixes e animais aquáticos, os fofíssimos coalas, cangurus, lêmures, pinguins, o casal de ursos polares Aurora e Peregrino e tantas outras atrações que garantem horas de diversão!


E para deixar a visita ainda mais interessante, até o final de maio as sereias estão de volta, mergulhando nos tanques para alegrar a criançada. Um programa realmente inesquecível!

Serviço:
Sereias no Aquário de São Paulo
Local: Huet Bacelar, 407, Ipiranga, São Paulo
Horários: de segunda a domingo, incluindo feriados, das 9h às 19h
Ingresso: R$50 (crianças até 12 anos) e R$85 (adulto)

sábado, 28 de abril de 2018


Musical ‘O Mágico de Oz’ estreia 
              no Teatro Bradesco                                                                                 
Depois de passar por Buenos Aires e Santiago de Chile o espetáculo O Mágico de OZ - visto por mais de 1 milhão e quinhentas mil pessoas – está na capital paulista. As apresentações acontecem no Teatro Bradesco até 20 de maio.
Com diálogos e músicas cantadas, os efeitos especiais envolvem o público, como o vento produzido por grandes ventiladores que fazem os espectadores se sentirem como a menina Dorothy, dentro de um furacão. A produção conta com recursos como gelo seco, telões de led de alta resolução e projeção mapeada, além de equipamentos em 4D, que proporciona a sensação de estar dentro das cenas. Outras técnicas simulam chuva, folhas secas e papoulas caindo sobre a plateia, além do perfume das flores e outros aromas da floresta.


O Mágico de Oz 2018 é Inspirado no livro original, com direção do italiano, Billy Bond, considerado o maior diretor de musicais em atividade no Brasil, responsável por produções como After de Luge, Rent, A Bela e A Fera, Lês Miserables, O Beijo da Mulher Aranha, Pinocchio , Natal Mágico, Cinderella. Alice, Peter Pan entre outras.
O espetáculo é baseado na obra de Lyman Frank Baum, lançado em 1900. Transportado para o palco com muita música , humor e encanto, ele conta a história de Dorothy e seu cãozinho Totó, que são levados por um terrível ciclone de uma fazenda no Kansas, nos Estados Unidos até a Terra de Oz. Uma terra mágica e distante, além do arco-íris.

Serviço:
Musical O mágico de Oz
Quando: até dia 20/05- sábados às 15h30 e domingos, às 15h
Local: Teatro Bradesco – Rua Palestra Itália, 500, Perdizes, São Paulo, no Bourbon Shopping
Mais informações: (11) 3670-4100
Ingressos: R$50 a R$150

sexta-feira, 27 de abril de 2018


Mamãe está com Alzheimer
Peça de Luiz Thomas                                                                                    

Sinopse
Após a descoberta, de que Ligia está com Alzheimer, seus três filhos entram em disputa, para decidir qual tipo de tratamento que ela deve receber. Interná-la, ou ser tratada dentro da sua própria casa.
Conflitos envolvendo interesse e afeto são a tônica deste enredo, onde superação e muita emoção estão sempre presentes.


Elenco
Luiz Thomas, Alberto Santini, Clara Fernandes, Fábio Carneiro, Hélia Labella, Karina Faleiros, Malu Guedes, Paula Lourençone, Rafael França, Rita Lemos.
Direção – Luiz Thomas

Serviço:
Local – Teatro Municipal de Santos – Av. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias
Dias – 27 e 28/04 – às 21 horas
Ingressos – Inteira R$20,00 e Meia R$10,00
WhatsApp – (13) 99715-6588
Shopping Miramar - Terceiro piso (Balcão do compre ingresso) - Bilheterias do Teatro Municipal de Santos (das 14 às 19 horas), antes ou no dia do espetáculo
Duração – 1h15
Classificação – 10 anos 

quinta-feira, 26 de abril de 2018


Dicas da Língua Portuguesa
Moderna Gramática Portuguesa

Olá amigos, excelente quinta-feira a todos nós.
Na coluna de hoje, para melhorar a língua ou para quem pretende participar de concursos públicos deixo a dica do livro Moderna Gramática Portuguesa do autor Evanildo Bechara.

A Moderna Gramática Portuguesa da editora Nova Fronteira,  37ª edição revista e ampliada, é hoje a mais atualizada e completa gramática da língua portuguesa. Reconhecida no Brasil e no exterior desde a sua 1ª edição, e tendo como autor o maior gramático e lexicógrafo da língua portuguesa, Evanildo Bechara, esta gramática não é apenas um livro de referência para especialistas, é a gramática mais indicada para quem pretende prestar concursos. Ela oferece ao leitor o extraordinário universo que é a língua portuguesa em suas múltiplas manifestações de língua e cultura. E apresenta a mais completa soma de fatos e soluções de dúvidas em língua portuguesa para estudiosos, professores, alunos e todos os usuários de nosso idioma.

Evanildo Bechara
Evanildo Cavalcante Bechara é professor, gramático, linguista e filólogo. É membro correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e doutor honoris causa pela Universidade de Coimbra (2000).
Quinto ocupante da Cadeira nº 33, da Academia Brasileira de Letras, eleito em 11 de dezembro de 2000, na sucessão de Afrânio Coutinho e recebido em 25 de maio de 2001 pelo Acadêmico Sergio Corrêa da Costa.

Conheça mais sobre o autor:

quarta-feira, 25 de abril de 2018


Para onde ela foi
De Gayle Forman

Olá amigos, que o dia seja proveitoso a todos nós.
Hoje deixo a dica enviada da leitora Hannah, que sugere a leitura do título Para onde ela foi, da autora Gayle Forman.

Sinopse:
Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos? Não em milhas, não em continentes, não em anos?, e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado. Com a mesma força dramática de Se Eu Ficar, agora pela voz de Adam, Para Onde Ela Foi expõe o desalento da perda, a promessa da esperança e a chamado amor que renasce.
2014 – editora Novo Conceito
Ficção norte-americana, 239 páginas.

Gayle Forman
Gayle Forman é autora premiada e jornalista cujos artigos foram já publicados na Cosmopolitan, Seventeen e Elle, entre outras revistas. Se Eu Ficar foi considerado um dos melhores livros juvenis de 2009 pela Amazon e pela Publishers Weekly e os seus direitos cinematográficos foram adquiridos pela Summit Entertainment, o estúdio que produziu Crepúsculo. Gayle Forman vive em Brooklyn com a família. 

terça-feira, 24 de abril de 2018

Psicologia e o seu prisma 
com Deborah Monteiro

Olá amigos, excelente terça-feira a todos nós.
O assunto de hoje da página de minha amiga psicóloga Deborah Monteiro é sobre os hábitos que podem ser prejudiciais ao cérebro.
Veja na imagem os hábitos ruins e que causam grandes males. Avalie se um dos itens abaixo pode estar prejudicando a sua saúde.
Abraços,
Míriam 


Visite a página de Deborah Monteiro, acesse:



segunda-feira, 23 de abril de 2018

As sem-razões do amor
Carlos Drummond de Andrade

Bom início de semana a todos nós.
Um pouco de Carlos Drummond de Andrade na coluna Cantinho da Poesia desta segunda.
Espero que gostem, pois a poesia é linda.
Abraços, Míriam


As sem-razões do amor

Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.




O poeta, que nasceu em 31/10/1902 em Minas e faleceu no dia 17/08/1987, no Rio, foi também contista e cronista, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX. Drummond foi um dos principais poetas da segunda geração do Modernismo brasileiro.

Obra

No Meio do Caminho, poesia, 1928
Alguma Poesia, poesia, 1930
Poema da Sete Faces, poesia, 1930
Cidadezinha Qualquer e Quadrilha, poesia, 1930
Brejo das Almas, poesia, 1934
Sentimento do Mundo, poesia, 1940
Poesias e José, poesia, 1942
Confissões de Minas, ensaios e crônicas, 1942
A Rosa do Povo, poesia, 1945
Poesia até Agora, poesia, 1948
Claro Enigma, poesia, 1951
Contos de Aprendiz, prosa, 1951
Viola de Bolso, poesia, 1952
Passeios na Ilha, ensaios e crônicas, 1952
Fazendeiro do Ar, poesia, 1953
Ciclo, poesia, 1957
Fala, Amendoeira, prosa, 1957
Poemas, poesia, 1959
A Vida Passada a Limpo, poesia, 1959
Lições de Coisas, poesia, 1962
A Bolsa e a Vida, crônicas e poemas, 1962
Boitempo, poesia, 1968
Cadeira de Balanço, crônicas e poemas, 1970
Menino Antigo, poesia, 1973
As Impurezas do Branco, poesia, 1973
Discurso da Primavera e Outras Sombras, poesia, 1978
O Corpo, poesia, 1984
Amar se Aprende Amando, poesia, 1985
Elegia a Um Tucano Morto, poesia, 1987 

domingo, 22 de abril de 2018


Dica cultural gratuita
100 Anos de Arte Belga

Olá, meus amigos, bom domingo a todos nós.
Semana difícil com muita correria e serviço, ontem estava cansada e não consegui chegar perto do computador. Então deixei esta dica cultural para hoje.
A dica gratuita recebi do leitor Luís Souza, que foi conferir e gostou. Caso você tenha indicação de algum evento, pode enviar, ok?
Obrigada Luís, abraços a todos.


 100 Anos de Arte Belga

A exposição, do Impressionismo ao Abstracionismo, marca as principais correntes da arte belga moderna de 1890 a 1980. O acervo do casal Françoise e Heinrich Simon inclui obras de Emile Claus, James Ensor, René Magritte, Paul Delvaux, Louis Van Lint, Pol Bury e Pierre Alechinsky, entre outros.
A exposição conta com obras de trinta e sete artistas. As seções temáticas reúnem trabalhos de diferentes movimentos, enfatizando suas características compartilhadas, revelando a essência e a originalidade da arte belga.
O binômio arte-realidade é um tema central na exposição, destacando especialmente a posição ambivalente da maioria dos movimentos modernos, que oscilam entre um compromisso sincero com o mundo real e uma rejeição ao seu contexto contemporâneo. Gradualmente, a busca precoce de autenticidade é corroída à medida que os artistas ganham liberdade. A mostra é uma celebração da arte belga moderna: a poesia, a estranheza, o mistério, seu caráter onírico e sua sátira mordaz.


Serviço:
100 Anos de Arte Belga
Quando: até 10 de junho - de terça a sábado, das 10h às 22h e domingo, das 10h às 20h
Local: Centro Cultural Fiesp – Galeria de Arte: Av. Paulista, 1313, São Paulo (em frente à estação Trianon-Masp do metrô)
Central de atendimento: (11) 3322-0050 e 0800 55 1000 (interior de São Paulo)

sexta-feira, 20 de abril de 2018


Dica cultural gratuita
Non Stop, no SESI Santos

Olá, segue dica cultural gratuita no SESI Santos para esta sexta e sábado, às 20 horas. Para adquirir ingressos, no local, comparecer uma hora antes do espetáculo ou então reservar via internet.


Non Stop, da Cia. Híbrida, se apresenta no Teatro do SESI Santos, nesta sexta (20) e sábado (21), às 20 horas, com entrada gratuita.
A dança urbana e contemporânea são as influências que compõem Non Stop, espetáculo potente e sem paradas.
Non Stop trabalha a relação corpo-máquina. Usando como linha estética a Dança Urbana e Contemporânea, o espetáculo é uma mistura que privilegia as cenas de movimento sem parada. Para compor as metáforas desse movimento contínuo e fluído, o espetáculo se debruça sobre o círculo como elemento principal, presente em diversos passos das danças urbanas, como no estilo Breaking.
A Cia Híbrida, que conta com mais de 10 anos de carreira, foi premiada pela trilogia de espetáculos: Estéreos Tipos, Moto Sensível e Olho Nu, baseados na reflexão sobre o paradoxo Hip Hop e fragilidade.

Serviço:
Non Stop, da Cia. Híbrida
Quando: dias 20 e 21/04, às 20h
Local: Teatro do SESI Santos – Av. Nossa Senhora de Fátima, 366, Jardim Santa Maria
Reserve ingresso: Meu SESI:

quinta-feira, 19 de abril de 2018


Coluna Dicas da Língua Portuguesa
Erros mais comuns no trabalho

Bom dia amigos, pensamento positivo sempre.
Na coluna desta quinta-feira, mais dicas legais de erros mais comuns no trabalho.
Espero que gostem, abraços,
Míriam

Imprimido / Impresso

Erro: Ele havia impresso todos os documentos naquele dia.
Correto: Ele havia imprimido todos os documentos naquele dia.
Explicação: O verbo imprimir tem duas formas de particípio – impresso e imprimido. Com os verbos ter e haver deve-se usar a forma “imprimido”, e com os verbos ser e estar, “impresso”. Ex: Os documentos foram impressos naquela máquina.

Precisa-se /Precisam-se

ErroPrecisam-se de motoristas.
Correto: Precisa-se de motoristas.
Explicação: Nesse caso, a partícula “se” tem a função de tornar o sujeito indeterminado. Quando isso ocorre, o verbo permanece no singular.

 

Há pouco /A pouco

Erro: Os gestores chegarão daqui há pouco.
Correto: Os gestores chegarão daqui a pouco.
Explicação: “Há pouco” indica tempo decorrido. “A pouco” dá ideia de uma ação futura.

Chego / Chegado

Erro: A secretária havia chego atrasada na reunião.
Correto: A secretária havia chegado atrasada na reunião.
Explicação: O particípio do verbo chegar é chegado. Chego é 1ª pessoa do Presente do Indicativo. (Ex: Eu chego na hora do almoço).

 

Entre eu e você / Entre mim e você

Erro: Entre eu e você, há uma sintonia de ideias.
Correto: Entre mim e você, há uma sintonia de ideias.
Explicação: Eu é pronome pessoal do caso reto e só pode ser usado na função de sujeito, ou seja, antes de um verbo no infinitivo, como no caso: “Não há nada entre eu pagar e você usufruir também.”



Senão / Se não

Erro: É melhor ele comparecer, se não irá perder a vaga.
Correto: É melhor ele comparecer, senão irá perder a vaga.
Explicação: Senão significa “caso contrário”. Se não é usado no sentido de condição. (Ex: Se não chover, poderemos sair.)

 

Deu / Deram tantas horas

Erro: Deu dez da noite e ele ainda não chegou.
Correto: Deram dez da noite e ele ainda não chegou.
Explicação: Os verbos dar, bater e soar concordam com as horas. Porém, se houver sujeito, deve-se fazer a concordância: “O sino bateu dez horas.”

 

Chove /Chovem

Erro: Chove reclamações quando há aumento no preço do combustível.
Correto: Chovem reclamações quando há aumento no preço do combustível.
ExplicaçãoQuando indica um fenômeno natural, o verbo chover é impessoal e fica sempre no singular. No sentido figurado, faz-se a flexão verbal.

 

Chegar em /Chegar a

Erro: Os estagiários chegaram atrasados na reunião.
Correto: Os estagiários chegaram atrasados à reunião.
Explicação: Verbos de movimento exigem a preposição “a”.