segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

O amor, Fernando Pessoa

Bom dia queridos amigos, feliz início de semana a todos nós.
Novamente dou continuação à coluna semanal “Cantinho da Poesia”, retomando a pedidos.
Hoje, linda poesia de Fernando Pessoa para iniciarmos bem a semana. Abraços,
Míriam

O amor
Fernando Pessoa

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar, 
E se um olhar lhe bastasse
P'ra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...

Fernando Pessoa
Fernando António Nogueira Pessoa foi um poeta, filósofo, dramaturgo, ensaísta, tradutor, publicitário, astrólogo, inventor, empresário, correspondente comercial, crítico literário e comentarista político português.
O poeta nasceu em 13/06/1888,em Lisboa, Portugal, e faleceu no dia 30/11/1935, no mesmo local.  

Nenhum comentário: