quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Curso A Singularidade do “Eu” de Augusto dos Anjos

Gratuito, inscrições abertas

 

Um bom dia a todos nós!

Vejam que tem curso gratuito de literatura na Casa das Rosas, com inscrições abertas.

Abraços, até amanhã.

 

O curso gratuito e ministrado por Daniel Candeias acontecerá nos dias 10, 17 e 24 de novembro (sextas-feiras), às 19h.
É quase uma unanimidade entre os leitores e a crítica que a obra de Augusto dos Anjos possui características tão próprias que lhe conferem uma posição de isolamento na tradição literária brasileira.
A proposta do curso é investigar as particularidades dessa obra e seus principais fios condutores e sentidos. 

Inscrições:
Presencialmente na recepção da Casa das Rosas até o preenchimento das vagas. 

É necessário confirmar a inscrição frequentando a primeira aula do curso. Faltar na primeira aula implica o desligamento automático do aluno.

Serviço:

Curso A Singularidade do “Eu” de Augusto dos Anjos

Quando: sextas, dias 10, 17 e 24/11, às 19h
Local: Casa das Rosas – Av. Paulista, 37, Bela Vista, São Paulo
Informações: 55 (11) 3285-6986/3288-9447
E-mail: contato@casadasrosas.org.br

Augusto dos Anjos

Augusto dos Anjos (1884-1914) foi poeta brasileiro, considerado um dos mais críticos de sua época. Foi identificado como o mais importante poeta do pré-modernismo, embora revele em sua poesia, raízes do simbolismo, retratando o gosto pela morte, a angústia e o uso de metáforas. Declarou-se "Cantor da poesia de tudo que é morto".
O domínio técnico em sua poesia, comprovaria também a tradição parnasiana. Durante muito tempo foi ignorado pela crítica, que julgou seu vocabulário mórbido e vulgar. Sua obra poética está resumida em um único livro "EU", publicado em 1912, e reeditado com o nome "Eu e Outros Poemas".
Augusto dos Anjos (1884-1914) nasceu no engenho "Pau d'Arco", na Paraíba, no dia 22 de abril de 1884. Filho de Alexandre Rodrigues dos Anjos e de Córdula de Carvalho Rodrigues dos Anjos. Recebeu do pai, formado em Direito, as primeiras instruções. No ano de 1900, ingressou no Liceu Paraibano e compõe nessa época, seu primeiro soneto, "Saudade".
Durante sua vida, publicou vários poemas em jornais e periódicos. Em 1912 publicou seu único livro "EU", que causou espanto nos críticos da época, diante de um vocabulário grotesco e sua obsessão pela morte: "podridão da carne, cadáveres fétidos e vermes famintos". Como também por sua retórica delirante, por vezes criativa, por vezes absurda, como neste trecho do poema "Psicologia de um Vencido": "Eu, filho do carbono e do amoníaco,/ Monstro da escuridão e rutilância,/ Sofro, desde a epigênese da infância,/ A influência má dos signos do zodíaco".

Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos faleceu em Leopoldina, Minas Gerais, no dia 12 de novembro de 1914.

Nenhum comentário: