segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Poema de Fernando Pessoa

 

Muito bom dia a todos nós e iniciamos mais uma semana, que seja produtiva!

Peguei um livro a título de empréstimo da Caixa de Cultura (parceria com o SESI) e estou encantada: Antologia de Poemas Portugueses para a Juventude, da Editora Peirópolis, com organização de Henriqueta Lisboa.

Eu amo poesia e dos mestres portugueses então! Aproveito para deixar a dica de leitura para quem se interessar.

O livro conta com poemas de Fernando Pessoa, Afonso Lopes Vieira, Almeida Garrett e Luís de Camões, entre outros.



O cego e a guitarra

 

Cheguei à janela,

porque ouvi cantar.

É um cego e a guitarra

que estão a chorar.

 

Ambos fazem pena,

são uma cousa só

que anda pelo mundo

a fazer ter dó.

 

Eu também sou um cego

cantando na estrada,

a estrada é maior

e não peço nada.

 

Fernando Pessoa

Fernando António Nogueira Pessoa foi poeta, filósofo, dramaturgo, ensaísta, tradutor, publicitário, astrólogo, inventor, empresário, correspondente comercial, crítico literário e comentarista político português. 
O poeta nasceu no dia 13/06/1888, em Lisboa, Portugal e faleceu no dia 30/11/1935, em Lisboa.


Principais Obras:
Livro do Desassossego (1913)

Mensagem (1934)
O Guardador de Rebanhos (1925)
O eu profundo e os outros eus


Nenhum comentário: