sábado, 4 de março de 2017

Exposição fotográfica 
Todos podem ser Frida

Olá, muito bom dia e um excelente sábado.
Fui convidada a visitar a exposição fotográfica Todos podem ser Frida, que acontece até o dia 1º de abril no Complexo Cultural Palácio das Artes, em Praia Grande.
Trata-se de fotografias promovidas pela fotógrafa Camila Fontelene de Miranda, que deu vida à exposição em retratar a diversidade de gêneros e nuances do ser humano por meio de proposta inovadora, que dissemina de uma maneira poética e feminina as várias faces da grande homenageada, a artista mexicana Frida Kahlo.
Ao total, são 34 fotografias, todas com modelos do sexo masculino, fotografados de maneira intensa e forte, apresentando a temática de influências que a pintora mexicana teve sobre a arte mundial, sua pintura e suas atitudes revolucionárias.

Serviço:
Exposição fotográfica Todos podem ser Frida
Quando: até dia 1º de abril, de terça a sábado, das 14h às 17h30
Local: Galeria Nilton Zanotti – Complexo cultural Palácio das Artes
Endereço: Av. Presidente Costa e Silva, 1600, Boqueirão, Praia Grande
A entrada é gratuita

Frida Kahlo
Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderon, conhecida como Frida Kahlo, nasceu em 6 de julho de 1907, em Coyoacan, no México, para uma vida cheia de percalços. Frida era uma revolucionária. Ao contrário da elite
de sua época, ela gostava de tudo o que era verdadeiramente mexicano: jóias e roupas das índias, objetos de devoção a santos populares, mercados de rua e comidas cheias de pimenta. Fiel ao seu país, a pintora gostava de declarar-se filha da Revolução Mexicana ao dizer que havia nascido em 1910.
Militante comunista e agitadora cultural, Frida usou tintas fortes para estampar em suas telas, na maioria auto-retratos, uma vida tumultuada por dores físicas e dramas emocionais. Aos seis anos contraiu poliomielite (paralisia infantil) e permaneceu um longo tempo de cama. Recuperou-se, mas sua perna direita ficou afetada. Teve de conviver com um pé atrofiado e uma perna mais fina que a outra.

Caso queira saber mais sobre a artista, acesse a página da Época:

Nenhum comentário: