quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Como Eu Te Amo - Poema de Elizabeth Barrett Browning

 Olá meus amigos, tenham uma excelente quinta-feira.
Que tal um pouco de romantismo para o dia de hoje?
Como Eu Te Amo, poesia da inglesa Elizabeth Barrett Browning, eu não conhecia essa poetisa, e disponibilizo aqui para quem também gosta de poesia e não conhece a autora.
Abraços, até mais,
Míriam

Amo-te quanto em largo, alto e profundo
Minh’alma alcança quando, transportada,
Sente, alongando os olhos deste mundo,
Os fins do Ser, a Graça entressonhada.


Amo-te em cada dia, hora e segundo:
À luz do sol, na noite sossegada.
E é tão pura a paixão de que me inundo
Quanto o pudor dos que não pedem nada.

Amo-te com o doer das velhas penas;
Com sorrisos, com lágrimas de prece,
E a fé da minha infância, ingénua e forte.

Amo-te até nas coisas mais pequenas.
Por toda a vida. E, assim Deus o quisesse,
Ainda mais te amarei depois da morte.

Elizabeth Barrett Browning
A poetisa inglesa nasceu em Kelloe,  Durham, no dia 06 de março de 1806, da época vitoriana, falecendo em Florença, dia 29 de junho de 1861.
Autora de Sonetos da Portuguesa, reunião de poemas românticos que refletiu sua própria história de amor com o marido, o também poeta Robert Browning.
Um destes poemas (o de número 43) é considerado o mais belo escrito por uma mulher em língua inglesa: Como eu Te Amo.  

Nenhum comentário: