quinta-feira, 25 de agosto de 2016

“A longo prazo” ou “em longo prazo”?

Olá meus amigos, tenham excelente quinta-feira.
E hoje é dia da coluna da Língua Portuguesa, semana passada não postei nenhuma dica e recebi e-mail sobre isso; então, lá vai uma expressão muito usada e que sempre gera dúvida.

Independentemente da duração do prazo – curto, médio, longo – recomendam vários gramáticos que se utilize “em”. Por quê? Pela impossibilidade do emprego da preposição “a” a respostas de perguntas como “Em que prazo a reforma terminará?”, “em que prazo será entregue o carro?”. Respostas: “em dez dias”, “em um mês”.
Da mesma forma, pergunta-se “em quanto tempo sua casa ficará pronta” e não “a quanto tempo sua casa ficará pronta?”. A preposição, portanto, é a mesma usada em “em quanto tempo?”, “em que período?”.

Não há motivos, porém, sendo a Língua Portuguesa mutável e constantemente modificada pelo seu uso, para não se registrar a forma corrente “a longo prazo”, tão usada atualmente, por indivíduos de todos os níveis de escolaridade. Não se trata, portanto, de um uso isolado: atualmente, vê-se mais o uso da expressão “a longo prazo” que “em longo prazo”. E a Língua precisa ser um lugar de aceitação do diverso. O Houaiss, seguindo esse pensamento, registra e aceita essas duas ocorrências.

E, então, qual usará: a expressão cujo uso está consagrado pelos gramáticos, mas vem caindo em desuso, ou a expressão ainda não aceita por todos eles, mas que tem sido a mais recorrente?

Fonte: site CPDEC: Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Educação Continuada  


Nenhum comentário: