sábado, 30 de abril de 2016

Rio-Santos Jazz Fest 2016
Hoje, com entrada franca

Olá, se você curte jazz não pode perder o festival, que tem entrada gratuita.
O evento, que termina neste sábado (30), reúne nomes como Edinho Godoy e Banda, Kleber Serrado, Mauricio Fernandes, Bruno Vincenzi, Ricardo Baldacci Trio, João Senise & Gilson Peranzzetta, Zeca Assumpção e Indiana Nomma & Osmar Milito Trio.
Outra atração é o grupo Jazz Walkers, que, honrando o nome, se apresenta em uma caminhada pelas ruas do Centro Histórico de Santos.
Com o objetivo de trazer entretenimento para o público da Baixada Santista, o festival celebra a Semana Municipal do Jazz (criada pela lei no. 2.973, de 14 de março de 2014) e acontece no Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100, Centro, Santos – em frente à Rodoviária, com estacionamento próximo 24 horas).
O Rio-Santos Jazz Fest também está inscrito na Unesco como evento oficial do International Jazz Day 2016, comemorado em 30 de abril e celebrado em diversas cidades do mundo.

Acompanhe a programação, acesse:

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Exposição na Galeria de Artes Brás Cubas
Marilda Passos – 25 anos de Arte
 
Muito bom dia a todos nós e hoje é sexta-feira!!!!
Para quem gosta de exposição a artista Marilda Passos expõe ao público seus 25 anos de arte.
Com um olhar profundo, figurativo e abstrato, Marilda Passos revela em seus traços os cantos de cidades e regiões como Goiânia, Grande São Paulo e litoral paulista. Embora tenha destaque como escultora, Marilda vem, principalmente nos últimos anos, se dedicando aos quadros e às gravuras. Para a artista, as artes se configuram em linguagens que nos fornecem percepções alternativas da realidade e dos acontecimentos cotidianos, por vezes encobertos por nossa agitada rotina. É especialista na técnica ponta seca, quando é utilizado um estilete com ponta de diamante para riscar a chapa de cobre e obter efeitos de luz e sombra.
Com curadoria de Enock Sacramento, a mostra comemora os 25 anos de carreira da artista e traz, entre pinturas, desenhos e gravuras, 40 trabalhos.
Vale a pena conhecer.

Serviço:
Exposição Marilda Passos – 25 anos de Arte
Quando: até dia 8 de maio, de segunda a sábado, das 13h às 19h, com entrada gratuita

Local: 2º piso do Centro de Cultura Patrícia Galvão - Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias, Santos

quarta-feira, 27 de abril de 2016


Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Poesia de Fernando Pessoa
 
Muito bom dia a todos nós. Nada melhor para quarta-feira, metade da semana do que uma poesia, não é mesmo? E aproveitando que depois de um mês mais ou menos sem chover aqui na Baixada, hoje iniciamos o dia com o céu cinza e depois com muita água!
Aproveitando a ocasião, para comemorar, a poesia é de nada menos do que Fernando Pessoa.
 
Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Não faz ruído senão com sossego.
Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva
Do que não sabe, o sentimento é cego.
Chove. Meu ser (quem sou) renego...
Tão calma é a chuva que se solta no ar
(Nem parece de nuvens) que parece
Que não é chuva, mas um sussurrar
Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece.
Chove. Nada apetece...
Não paira vento, não há céu que eu sinta.
Chove longínqua e indistintamente,
Como uma coisa certa que nos minta,
Como um grande desejo que nos mente.
Chove. Nada em mim sente...
Fernando Pessoa
Fernando Antônio Nogueira Pessoa foi um dos mais importantes escritores e poetas do modernismo em Portugal. Nasceu em 13 de junho de 1888 na cidade de Lisboa (Portugal) e morreu, na mesma cidade, em 30 de novembro de 1935.
Pessoa passou a ter contato mais efetivo com a literatura portuguesa, principalmente Padre Antônio Vieira e Cesário Verde. Foi também influenciado pelos estudos filosóficos de Nietzsche e Schopenhauer. Recebeu também influências do simbolismo francês.
Em 1912, começou suas atividades como ensaísta e crítico literário, na revista Águia.
Fernando Pessoa utilizou-se em sua obra de três heterônimos com personalidades próprias e características literárias diferenciadas, são eles: Álvaro de Campos, Alberto Caeiro e Ricardo Reis.  
Obras:  
· Do Livro do Desassossego
· Ficções do interlúdio: para além do outro oceano
· Na Floresta do Alheamento
· O Banqueiro Anarquista
· O Marinheiro
· Por ele mesmo

Poesias:
· A barca
· Aniversário
· Autopsicografia
· À Emissora Nacional
· Amei-te e por te amar...
· Antônio de Oliveira Salazar
· Elegia na Sombra
· Isto
· Liberdade
· Mar português
· Mensagem
· Natal
· O Eu profundo e os outros Eus
· O cancioneiro
· O Menino da Sua Mãe
· O pastor amoroso
· Poema Pial
· Poema em linha reta
· Poemas Traduzidos
· Poemas de Ricardo Reis
· Poesias Inéditas
· Poemas para Lili
· Poemas de Álvaro de Campos
· Presságio
· Primeiro Fausto
· Quadras ao gosto popular
· Ser grande
· Solenemente
· Todas as cartas de amor...
· Vendaval


Prosas:
· Pessoa e o Fado: Um Depoimento de 1929
· Páginas Íntimas e de Auto-Interpretação
· Páginas de Estética e de Teoria e de Crítica Literárias

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Fogo de Prometeu – contos fantásticos

Olá meus amigos, para quem gosta de antologia de contos fantásticos, até dia 31 de maio a Andross Editora recebe contos sobre a temática, organizada por Paola Giometti.


Sinopse:
Criar mundos e seres de todos os tipos era privilégio das mais poderosas divindades da antiguidade. Até que Prometeu roubou o fogo dos deuses e o entregou aos homens, tornando-os, assim, senhores de seus destinos. Eles passaram a contar suas próprias histórias fantásticas a seus pares. Primeiro oralmente, depois, em pergaminhos, e, mais tarde, em livros, como este que você tem em mãos.

Além disso, todos os autores que participarem deste livro concorrerão ao prêmio STRIX.

Interessados em saber mais sobre o assunto, assim como o regulamento, acessar:


sábado, 23 de abril de 2016

Encontro Literário Lapidar – Procissão Poética
Dia 30 de abril, em São Paulo

Um excelente final de semana para todos nós!
Vejam que evento legal acontece anualmente desde 2011 em São Paulo em homenagem a Álvares de Azevedo.

Lapidar – procissão poética: 
Como parte da programação relacionada à exposição, foi criado o evento “Lapidar – procissão poética” para encerramento da mostra fotográfica.
Trata-se de uma caminhada, em parceria com o passeio cultural São Paulo Maldita, de Lord A e Frater Vincent, partindo do Cemitério da Consolação até a Biblioteca Mário de Andrade. Haverá leituras e bate-papos sobre poesia & morte e sobre a criação dos cemitérios em São Paulo.
O ponto de encontro é em frente à Capela do Cemitério, às 17h. A partir dali, a caminhada segue pela Rua da Consolação – fazendo paradas estratégicas para leitura de poemas e contação de histórias relacionadas aos famosos estudantes da Academia de Direito e às Sociedades Secretas – até chegar à Biblioteca.
No interior da Biblioteca Mário de Andrade haverá um bate-papo sobre as fotografias expostas e as imagens do livro “Delírio, Poesia e Morte – a solidão de Álvares de Azevedo”.
Ao final, a memória de Álvares de Azevedo será brindada com Redivivo, o vinho tinto vampyrico.

Serviço:
Lapidar – procissão poética
Quando: 30 de abril de 2016
Horário: das 17h às 19h
O trajeto a ser percorrido possui cerca de 1,6 km
Previsão de distribuição do tempo: uma hora de caminhada e uma hora no interior da Biblioteca -
Rua da Consolação, 94, Consolação, São Paulo
Telefone: (11) 3775-0002
Cemitério da Consolação: Necrópole mais antiga na cidade, referência em arte tumular, tem maior mausoléu da América Latina (Matarazzo) - Rua da Consolação, 1660, Consolação, São Paulo
Telefone: (11) 3256-5919


sexta-feira, 22 de abril de 2016

Coletivos de Gravuras e Desenhos
A mostra apresenta 45 trabalhos, com entrada gratuita

Muito bom dia a todos vocês queridos amigos, e vamos a mais uma sexta-feira!!!
Vejam que legal a exposição Coletivos de Gravuras e Desenhos que acontece na Galeria de Arte Patrícia Galvão, com entrada gratuita até o dia 8 de maio.
A exposição, localizada no 3º piso do Centro de Cultura Patrícia Galvão, conta com 45 obras, sendo 37 gravuras e oito desenhos, trabalhos de Atalie Rodrigues Alves, Gerson Oliveira, Marisi Mancini, do Laboratório de Artes de Franca, entre outros artistas.
A exibição tem como objetivo fornecer múltiplas e diferenciadas possibilidade de leitura das mais variadas técnicas de gravura.
É um trabalho legal que vale a pena ser visitado.

Divulgação: Diário Oficial de Santos

Serviço:
Exposição Coletivos de Gravuras e Desenhos
Quando: até dia 8/5, de segunda a sábado, das 13 às 19 horas, com entrada gratuita
Local: Galeria de Arte Patrícia Galvão: Av. Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias, Santos (canal 1)

Beijão pessoal, até amanhã,

Míriam

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Festival Internacional de Documentários
Até domingo, com entrada gratuita

Imagem divulgação
Se você gosta de documentários como eu não pode perder a 21ª edição do Festival Internacional de Documentários – É Tudo Verdade, o mais importante do gênero da América Latina, que acontece com entrada gratuita no Cine Arte Posto 4 – na orla da praia, no Gonzaga, ao lado do canal 3, em Santos.
Dirigido pelo crítico Amir Labaki, o evento traz anualmente para São Paulo, Rio de Janeiro e para as cidades da itinerância destaques da produção nacional e internacional, exibidos nos principais festivais do mundo.
Além de sessões em Santos, a programação também acontece em Recife (22 a 26/4), Belo Horizonte (18/4 a 1º/5) e Brasília (5 a 8/5).

Clique na imagem para ampliar

 Programação para esta quinta-feira:
Dia 21 - 16h: Gabo: a criação de Gabriel García Márquez, de Juan Webster (Espanha), seguida de Os Campeões de Hitler, de Jean-Christophe Rosé (França), às 18h30 e Lampião da Esquina, de Lívia Perez (Brasil), às 21h.

Clique na imagem para ampliar

Saiba mais sobre o evento:

Cine Arte Posto 4 – Av. Vicente de Carvalho, s/nº, Gonzaga, Santos (ao lado do canal 3)
Telefone: (13) 3288-4009

Então, boa programação para vocês.
Abraços, até amanhã.

Míriam

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Circuito SESC de Artes

Teatro, dança, literatura


Olá pessoal, olhem só que circuito legal o SESC promove de sexta a domingo com programação variada entre música, literatura, dança e cinema, entre outros.

Circuito Sesc de Artes está percorrendo 114 cidades do interior, litoral e Grande São Paulo com música, teatro, dança, literatura e artes visuais! São Vicente, Bertioga, Cubatão, Guarujá, Mongaguá e Registro estão entre elas!

Guarujá: dia 22/04 - sexta, na Praça das Bandeiras
Mongaguá: dia 23/04 - sábado, na Praça Doutor Fernando Arenas
Registro: dia 24/04 - domingo, no Centro Cultural KKKK

Programação completa: http://bit.ly/1NdEMKC

Bem, fica aí a dica.

Grande abraço,

Míriam



segunda-feira, 18 de abril de 2016

Poesia Telha de Vidro
Rachel de Queiroz

Uma boa semana a todos nós! Ontem foi um dia complicado porque fui fazer um curso e no sábado estive numa festa. Só tenho a avaliar que meu final de semana foi ótimo!
E nada melhor para relaxar na segunda com uma poesia, não é? Ainda mais depois da turbulência política de ontem, que começou na sexta (só lembrando que este veículo serve aos leitores temáticas culturais e não discuto aqui nada sobre política, somente uma pequena pincelada, para que este meu projeto não se torne um salseiro). Então vamos a Poesia Telha de Vidro da ilustre Rachel de Queiroz, espero que gostem.
Tchau pessoal, até amanhã,
Míriam

Quando a moça da cidade chegou 
veio morar na fazenda, 
na casa velha... 
Tão velha! 
Quem fez aquela casa foi o bisavô... 
Deram-lhe para dormir a camarinha, 
uma alcova sem luzes, tão escura! 
mergulhada na tristura 
de sua treva e de sua única portinha...

A moça não disse nada, 
mas mandou buscar na cidade 
uma telha de vidro... 
Queria que ficasse iluminada 
sua camarinha sem claridade...

Agora, 
o quarto onde ela mora 
é o quarto mais alegre da fazenda, 
tão claro que, ao meio dia, aparece uma 
renda de arabesco de sol nos ladrilhos 
vermelhos, 
que — coitados — tão velhos 
só hoje é que conhecem a luz doa dia... 
A luz branca e fria 
também se mete às vezes pelo clarão 
da telha milagrosa... 
Ou alguma estrela audaciosa 
careteia 
no espelho onde a moça se penteia.

Que linda camarinha! Era tão feia! 
— Você me disse um dia 
que sua vida era toda escuridão 
cinzenta, 
fria, 
sem um luar, sem um clarão... 
Por que você na experimenta? 
A moça foi tão bem sucedida... 
Ponha uma telha de vidro em sua vida!

Rachel de Queiroz (1910 – 2003), romancista e cronista brasileira. Nasceu em Fortaleza, Ceará, e residiu na cidade do Rio de Janeiro.
Foto Google
Com a publicação de O quinze (1930) tornou-se a única representante feminina do "romance do nordeste". Nos livros seguintes, João Miguel (1932), Caminho de pedras (1937), As três Marias (1939), foi aperfeiçoando sua temática social e regionalista. Dora, Doralina (1975) e Memorial de Maria Moura (1992) são seus romances mais recentes: "De mim ele só chegava perto quando de serviço ou chamado meu. Nunca me tocou nem com a ponta do dedo, nunca também me olhou nos olhos. Nunca me sorriu." Dedica-se ainda à literatura infantil, ao teatro e à tradução.
No início da década de 1970, a Academia Brasileira de Letras modificou seus estatutos para receber Rachel de Queiroz, primeira acadêmica mulher do Brasil.
Faleceu em 04 de novembro de 2003.  

sábado, 16 de abril de 2016

Amor por Anexins
Peça gratuita, até dia 30 de abril, aos sábados

Foto divulgação
Olá meus amigos, tenham um excelente sábado. Aqui em Santos, o calor continua insuportável!
Bem, hoje destaco como dica cultural os 25 anos da montagem original da peça Amor por Anexins, produzida pela Companhia Confraria Produções Artísticas, que volta a encenar o espetáculo, às 18 horas, até o dia 30 de abril.
No palco, os atores André Leahun, Camila Baraldi, Pri Calazans e Angélica Magenta dão vida ao texto de Artur Azevedo.
Construída por meio de jogo de palavras e ditados populares, a peça promove uma reflexão bem humorada sobre amor, dinheiro e casamento por conveniência.
A obra traz dois personagens: Isaias e Inês. Ele, um velho de aparência não muito interessante tenta conquistar a bela viúva. Tudo seria normal se não fosse seu vício de falar o tempo inteiro através de anexins (ditados populares).

Serviço:
Peça Amor por Anexins - gratuita
Quando: até dia 30 de abril, sábados, às 18 horas
Local: Casarão Santa Cruz – Espaço de Arte: Rua Almeida de Morais, 45 (próximo ao Canal 3), em Santos

Saiba mais sobre a peça, acesse:

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Sorteio do livro Luar de Sangue
Até dia 20 de abril

Olá pessoal, vamos à sexta-feira! Muito bom e para mim melhor ainda, pois estou curtindo meus últimos momentos das férias.
Terminei de escrever o conto para a 11ª edição da Conexão Literatura e logo estarei enviando ao editor.
Bem, e por falar na revista, a autora Dione Mara Souto da Rosa está sorteando o livro Luar de Sangue.
A promoção é válida até o dia 20 de abril. Então corra para ver como participar.

Acesse e se inscreva:

Grande abraço a todos e até mais.

Míriam


quinta-feira, 14 de abril de 2016

Filme O Escaravelho do Diabo
Adaptação do livro de Lúcia Machado de Almeida

Uma excelente quinta-feira a todos nós.

Estreia hoje o filme O Escaravelho do Diabo, adaptação do livro de Lúcia Machado de Almeida.
Acho legal porque eu gostei do livro e é sempre bom prestigiar o cinema nacional.
Bem, fica aí a dica.

Grande abraço,

Miriam

 

O Escaravelho do Diabo 

 

O Escaravelho do Diabo é uma adaptação ao cinema do livro infanto-juvenil de Lúcia Machado de Almeida (1910-2005).

A história gira em torno de uma série de assassinatos que ocorrem em Vale das Flores, um pequeno município do interior. As vítimas são todas ruivas legítimas que antes de morrerem recebem, pelo correio, um misterioso pacote contendo um escaravelho. O jovem Alberto Maltese (Thiago Rosseti) e o delegado Pimentel (Marcos Caruso) se juntam para investigar os crimes.

No livro de 1972 da Série Vaga-Lume, Alberto é um estudante de medicina. No filme, sua idade foi alterada e o protagonista agora é um adolescente de 11 anos. 
Jonas Bloch, Selma Egrei, Lourenço Mutarelli e Augusto Madeira também estão no elenco, entre outros. 
Melanie Dimantas e Ronaldo Santos adaptaram o roteiro, que Carlo Milani dirige.

 

Fonte: sites Omelete e Adoro Cinema

 

Assista ao trailer:

https://www.youtube.com/watch?v=K53t9lhL498

 

terça-feira, 12 de abril de 2016

Gosta de videoclipe e cinema?
Cardápio Cinefilia, curso gratuito no SESC Santos


Olá! Se você gosta de videoclipe e cinema, o Cardápio Cinefilia aborda técnica e estética do vídeo musical e seu modo de se comunicar com a sociedade!
Mas atenção que começa dia 14/4 com os professores Raquel Pelegrini e Edison Delmiro, que abordarão as questões da técnica para um filme curto (com suporte eletrônico, analógico ou digital) e da estética, capazes de influenciar, de certa forma, o padrão cultural da sociedade pós-moderna.
O curso acontece de 14 a 28/04, das 16h às 18h30, na Sala 2 do SESC Santos (Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida – perto do Praiamar Shopping).
Telefone: (13) 3278-9800

Para saber mais sobre o curso, os instrutores e se inscrever, acesse:

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Pertenço à outra alma
Marcos Martins

Bom dia meus amigos, iniciamos mais uma semana.
E como hoje é segunda, um dia mais tranquilo, que tal um pouco de poesia?
Recebi de meu amigo poeta, escritor e jornalista Marcos Martins seu mais recente trabalho: “Pertenço à outra alma”, que disponibilizo aqui no Cantinho da Poesia e espero que gostem.

Conheça outros poemas do autor, acesse:

http://poemasdecaverna.blogspot.com.br/




Como pode um peito guardar tanto amor assim;
Como posso caminhar se não sei nem mais me sentir;
Como dizer “sim” se o “não” vive a escoltar-me;
Como posso ser feliz se apenas me restou o sonhar.

Os braços querem abraçar a lua e corteja-la, dizer-lhe segredos que só o amor permite criar, mas sempre há degraus tão altos.

Como pode um peito conter tanto sangue assim, sentir as batidas de um coração que sofre por não poder sentir. (Por não tocar a face que sente ser parte de sua carne).

Como posso vagar sem rumo se sei o caminho de casa? Mas não me sinto mais em casa quando chego, sento e tiro os sapatos castigados da longa caminhada infinita.

Pertenço a outro corpo. Pertenço à outra alma – minh’alma fica apagada por não ser parte dela por inteiro.

Ó, confissões que não posso confessar; 
Ó, amor que não posso tocar porque és subjetivo e proibido... Mas não há mais guardiões no éden, então por que o temor de seguir sem olhar para trás?

Como pode um corpo amar tanto; 
Como pode um ser desejar tanto;
Como pode um sentimento dominar a razão e dela fazer descaso; 
Como pode o infinito ser um dia tocável.

Sinto essa dor dilacerante em meu peito, porém não quero que cesse, pois, com essa dor sinto que vivo estou. 
Sinto que vivo estou.

Abraços a todos e até amanhã.
Míriam


domingo, 10 de abril de 2016

Artes visuais no SESC Santos
Olhar Documental: criação prática de documentário

Muito bom dia a todos nós!
Pessoal, vejam que atividade legal acontece neste domingo, das 15h às 18h, no SESC Santos.
Trata-se da oficina “Olhar Documental: criação prática de documentário”, gratuita, que busca apresentar a linguagem documental como ferramenta para a criação de um minidocumentário, tendo a exposição "Genesis", de Sebastião Salgado (que acontece até dia 24), e a unidade do SESC Santos como cenários principais.
Os participantes utilizarão seus próprios celulares para experimentar a prática de um documentário, desde a concepção da ideia, gravação de conteúdo e edição do material em programa livre. Com educadores da equipe educativa da exposição.
O SESC fica na Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida, Santos (perto do Shopping Praiamar), aberto hoje até às 18h30
Informações: (13) 3278-9800

Acesse e se inscreva:

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sorteio do livro Análise Mortal
Até dia 27 de abril, participe!

Olá meus amigos, hoje é sexta-feira, que bom, final de semana chegando, nada melhor!
O autor Angelo Miranda, que faz parte da 10ª edição da Revista Conexão Literatura está sorteando o livro Análise Mortal, com inscrições até o dia 27 de abril. Muito bom, né? Então, se você ficou interessado, acesse o link da revista e saiba como participar; e aproveite também para ler os assuntos que a edição mensal disponibiliza gratuitamente aos leitores.

Acesse o link:

Gostaram da promoção, boa, não é?
Obrigada, beijos e até mais.

Míriam