segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Muito bom dia e que a segunda nos traga paz e felicidade.
Achei muito condizente com o dia de hoje a Crônica do Amor Sereno, de minha amiga poetisa Mirian Marclay e disponibilizo aqui também à vocês, e espero que gostem.
Bem meus amigos, por hoje é só.

Grande abraço,

Míriam

 

Crônica do Amor Sereno

Mirian Marclay

 

São estes dias chuvosos, de silêncio que antecede a criança que despertará o bálsamo do espírito.
Comigo uma xícara de chá, um amor lendo na rede e a memória de alguma música que ouço internamente. De toda concordância explícita ou tácita o regozijo dos prados com leves brisas é unânime. Há uma crescente onda em mim de amor. Amor pelas coisas singelas, feito flores em janelas, pássaros cuidando de seus ninhos, bordadeiras fazendo poesia e artistas estampando fantasias.

O tempo continua sendo a figura ambígua, que testemunha e permite o espetáculo da vida. O curador das feridas, o diretor das cenas em que atuamos sem fingir.

Numa rede verde o tempo segue balançando, enquanto faço um balanço da semana, da ternura vinda de longe em caixas com vestidos e sacolas de princesas.

Sem mais o que dizer - apenas registro - paz é um sentimento que se nutre, longe de mágoas, em gotículas de benevolência e que nos faz aprendizes da arte de viver bem.

 

Conheça a poetisa, acesse:

http://lirismoflordapele.blogspot.com.br/


 

Nenhum comentário: