quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Olá queridos amigos, uma excelente quarta-feira para todos nós!

Começa hoje o maior evento de literatura da Baixada Santista, a 7ª edição da Tarrafa Literária.
O evento acontece no Teatro Guarany, no Centro Histórico de Santos, de 23 a 27/9, gratuito. São mesas de discussão com autores nacionais e internacionais, além de outras atrações. Bem, é imperdível e participo todo ano.
Também deixo aqui na página a crônica Reverência ao destino do fabuloso Carlos Drummmond de Andrade.

Bem, por hoje é só e amanhã tem coluna da revisora Bernardete Bernardo, não perca!

Grande abraço,

Miriam

7ª edição da Tarrafa Literária

A 7ª edição da Tarrafa Literária - Festival Internacional de Literatura – acontece em Santos de 23 a 27/9, com a presença de autores nacionais e internacionais.
O evento, gratuito desde a sua primeira edição, acontece no Teatro Guarany. São mesas de debates com escritores que discorrem sobre poesia, ficção, quadrinhos, biografia, produção da escrita etc. Além das mesas, o festival conta com show de abertura, no dia 23, com a participação de Estrela Leminski, filha de Paulo Leminski, oficina de escrita e programação infantil na unidade santista do SESC.
As mesas trazem Nelson Motta, autor de “Vale Tudo”, biografia de Tim Maia, e Julio Maria, autor de “Nada Será como Antes”, biografia de Elis Regina em uma discussão sobre a liberação das biografias; Outros nomes são os gêmeos quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá, Milton Hatoum, Clóvis Bulcão, Jorge Caldeira, Noemi Jaffe, Ana Miranda, João Carrascoza, Bernardo Carvalho, entre outros.
As atrações internacionais terão mesas especificas para discussão sobre a produção de cada artista. Estão confirmados o renomado escritor, ilustrador e músico português, Afonso Cruz, além do galego Miguelanxo Prado, escritor e ilustrador, e outro escritor português, Gonçalo Tavares.
Já no decorrer do festival ocorrerão outros eventos paralelos, como a Tarrafinha Literária, versão dedicada às crianças, que neste ano promove uma adaptação livre - dramatização feita por João Acaibe, famoso pelo personagem Tio Barnabé, da série do Sítio do Pica-Pau Amarelo – do livro “Malala”, de Adriana Carranca; e uma oficina de escrita ministrada por Gonçalo Tavares, dono dos maiores prêmios de literatura portuguesa, entre eles o Portugal Telecom 2007, Prêmio José Saramago 2005 e LER/Millennium BGP 2004.
A Tarrafa Literária Santos é o amadurecimento do trabalho de José Luiz Tahan, da livraria Realejo, que como curador têm o objetivo de enaltecer e disseminar a cultura da leitura.

Mais informações e programação completa:



Reverência ao destino
Carlos Drummond de Andrade


Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.
E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus", principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar, e aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é segui-las.
Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém, saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.



Nenhum comentário: