quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Bom dia amigos, o que é bom, dura pouco, não é? Depois de quatro dias de folga, ainda tenho o gostinho de quero mais.

Ontem tomei conhecimento das poesias de Maulana Rumi, são belíssimas e deixo uma delas aqui na página para quem não conhece.

Grande abraço,

Miriam


A Casa dos Hóspedes

Maulana Rumi


O ser humano é uma casa de hóspedes.
Toda manhã uma nova chegada.
A alegria, a depressão, a falta de sentido, como visitantes inesperados.
Receba e entretenha a todos
Mesmo que seja uma multidão de dores
Que violentamente varrem sua casa e tira seus móveis.
Ainda assim trate seus hóspedes honradamente.
Eles podem estar te limpando
para um novo prazer.
O pensamento escuro, a vergonha, a malícia,
encontre-os à porta rindo.
Agradeça a quem vem,
porque cada um foi enviado
como um guardião do além.

Maulana Rumi
Mawlānā Jalāl-ad-Dīn Muhammad Rūmī, também conhecido como Mawlānā Jalāl-ad-Dīn Muhammad Balkhī, ou ainda apenas Rumi ou Mevlana, foi um poeta, jurista e teólogo sufi persa do século XIII.
Ele nasceu em 30 de setembro de 1207, em Vakhsh, Tajiquistão e faleceu no dia 17 de dezembro de 1273, em Konya, Turquia.
A poesia de Rumi é frequentemente dividida em diversas categorias: os quartetos (rubayāt) e odes (ğazal) do Divan, os seis livros doMasnavi, Os Discursos, As Cartas e o praticamente desconhecido Seis Sermões.



Nenhum comentário: