sábado, 8 de agosto de 2015

Olá meus queridos amigos, tenham um excelente sábado.

Hoje disponibilizo aqui na página uma peça teatral gratuita que pode ser conferida até dia 16 de agosto. Trata-se de “Orgia ou de como os corpos podem substituir as ideias”, achei a proposta da apresentação diferente, mas não sei se é boa ou não, só conferindo.

Bem, por hoje é só.

Abraços,

Miriam

Peça Orgia ou de como os corpos podem substituir as ideias 

Cia. Teatro Kunyn

 

A Cia. Teatro Kunyn transforma o Parque Trianon no palco de seu novo espetáculo: “Orgia ou de como os corpos podem substituir as ideias”. 
A peça ocupa o espaço até o dia 16 de agosto, com apresentações de sexta a domingo, às 15h, com entrada franca, porém, é limitada a 21 pessoas por sessão.
Com direção de Luiz Fernando Marques, a montagem é inspirada no livro “Orgia: Os Diários de Tulio Carella, Recife 1960”, em que esse escritor argentino, sob o heterônimo de Lúcio Ginart, conta suas aventuras sexuais na capital pernambucana, ao lado de pessoas anônimas e de intelectuais.


Dividida em três atos, a peça começa na casa da administração do Parque Trianon, onde o público conhece melhor esse personagem principal. Em seguida, a plateia embarca em uma jornada sensorial pelas dependências do espaço, usando aparelhos de MP3. A última parte acontece no porão da casa.

A ideia é propor uma reflexão sobre como o corpo pode ser político e até substituir as ideias. O elenco conta com a participação de Ronaldo Serruya, Paulo Arcuri e Luiz Gustavo Jahjah, além de outros dez atores que foram selecionados em uma oficina ministrada pelo grupo. 

 

Serviço:

"Orgia ou de como os corpos podem substituir as ideias", da Cia. Teatro Kunyn

Local: Parque Siqueira Campos (Parque Trianon) - Alameda Santos, 949, Cerqueira César, Centro, São Paulo
Telefone: (11) 3289-2160

Estação Trianon-Masp (Metrô - Linha 2 Verde)

Quando: até dia 16/08 - sextas, sábados e domingos, às 15h
O espetáculo é encenado para grupos de 21 espectadores (18 anos)


Fonte: Site Catraca livre 

Nenhum comentário: