quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Olá amigos, uma boa quarta-feira para todos vocês.
Para hoje, compartilho um de meus minicontos, história inspirada em uma viagem de trem que fiz em Curitiba. Espero que gostem.
Abraços,
Miriam

Mistério na estrada de ferro
  
— Não haverá congresso amanhã Carlos, que tal conhecer a estrada de ferro que leva à Morretes? Dizem que o passeio de trem é famoso aqui em Curitiba e tem muitas histórias!
... 
A guia do vagão explicava sobre a ferrovia, feita de 1880 a 1885, dos túneis, dos trabalhadores mortos ao longo da construção. Carlos ao fotografar os colegas, notou que rapazes estranhos e com roupas antigas entraram no trem. Vindos de onde? Junto com o guia Renato, que também percebera, se aproximou dos homens e tirou duas fotos. O trem entrou e saiu do túnel e para a surpresa dos dois, os viajantes não estavam mais no vagão.  
No hotel Carlos descarregou as fotos e os homens não apareceram em nenhuma delas. Atônito contou aos amigos. “O guia Renato e eu, quando chegamos perto dos homens ...”
— Guia Renato? Só tinha uma guia em nosso vagão, a Kátia, quem é esse outro? Os amigos olharam para Carlos sem nada entender. Ele já não andava bem nos últimos dias.
Ele correu para as fotos e também o guia não aparecera em nenhuma. Com o pensamento latente em provar que dizia a verdade, Carlos foi à estação.
— Sim, pela descrição é o guia Renato. Nossa, ele já faleceu há cinco anos. Estar no trem com as pessoas era a vida dele. Como não pôde mais retornar, ele ficou desgostoso e ...
Carlos não escutou mais nada. 
À noite foi encontrado pelos amigos, totalmente perdido.   


Nenhum comentário: