sábado, 23 de novembro de 2013

Olá amigos, que o sábado seja proveitoso para todos nós, e que a chuva dê uma trégua.
Acontece hoje, às 15h, na Biblioteca Viriato Corrêa, o lançamento de livros e antologias, e uma delas é Nevermore - Contos Inspirados em Edgar Allan Poe, da qual faço parte com o conto “De volta à Rua Morgue”.
Estou muito feliz por ter sido convidada a participar dessa antologia, que homenageia o mestre Allan Poe.
Espero que gostem.

Beijão,

Miriam

 

Lançamento da antologia Nevermore – 
Contos Inspirados em Edgar Allan Poe

Vida e Obra de Edgar Allan Poe
O escritor e ativista cultural Ademir Pascale, organizador da antologia "Nevermore - Contos Inspirados em Edgar Allan Poe", fala sobre a obra daquele que é considerado o pai da literatura policial e de suspense, e a influência de sua obra na literatura mundial. 
Participam da antologia os autores Ademir Pascale, Celly Borges, Daniel Borba, Kathia Brienza, Leon Nunes, Luciana Fátima, Marcelo Amado, Marcelo Bighetti e eu.
Hoje, às 15h
                                           
O suspense e o terror, dos quadrinhos ao cinema
Adriano Siqueira, autor de Adorável Noite, traz curiosidades sobre obras de suspense e o terror, dos quadrinhos ao cinema, passando pela deliciosa mistura do humor com terror, tema do segundo livro "Terrir", antologia organizada por Marcelo Amado, e "Domingo, Sangrento Domingo", HQ de terror e suspense com roteiro de Romeu Martins e arte de Victor Conceição.
Hoje, às 16h30

Serviço:
Biblioteca Virato Corrêa
Rua Sena Madureira, 298, Vila Mariana, São Paulo
Telefones: (11) 5573-4017 e 5574-0389
Aberta de terça a sexta-feira, das 10h às 19h, sábados e domingos, das 11h às 18h

Como chegar:
Metrô
Estação Vila Mariana e Estação Santa Cruz (Linha 1 – Azul)
A biblioteca fica entre as duas estações, porém a Estação Vila Mariana é mais perto. Em ambas as estações existem terminais de ônibus.

Ônibus
5106-10 Divisa de Diadema - Terminal Princesa Isabel
Existem muitas linhas que passam em ruas próximas. Na Rua Domingos de Morais, que fica a um quarteirão de distância, há pontos de ônibus próximos à altura do nº 2000, quase esquina com a Rua Sena Madureira.

Um pouco de meu conto

De volta à Rua Morgue
Miriam Santiago

Depois de solucionados os crimes na Rua Morgue, uma pacata rua do bairro de Saint Roque, em Paris, pelo francês C. Augusto Depin — claro que o chefe de polícia nunca admitiu —, o local voltou à sua normalidade.
Era 1878 e havia se passado três anos desde os homicídios da senhora L´Espanaye e sua filha Camila e nunca mais se ouviu falar de nenhuma tragédia. A casa onde viviam as duas ficou fechada algum tempo, pois logo apareceu um sobrinho apoderando-se do imóvel.
Louis Jacques L´Espanaye, nome que apresentou para apossar-se da propriedade, era um rapaz muito comunicativo e de boa aparência.
Porém, não demorou muito a sua estadia na casa, pois logo o jovem, viciado em jogos, foi tentar a sorte no esplendoroso cassino Monte Carlo. Louis falou à lavadeira, a mesma que cuidara das roupas da tia, que iria para lá, pois estava cheio de dívidas e à beira da falência.
E assim Louis Jacques não mais retornou da viagem, e a casa de número 26 da Rua Morgue, ficou fechada, mais uma vez. 
...
Passaram-se três meses da partida do sobrinho da senhora L´Espanaye. No jardim do imóvel, cartas amontoavam-se, principalmente as de cobranças.
Numa manhã de verão de agosto, uma diligência parou em frente à casa  e um homem muito apresentável e de meia-idade desceu da carruagem e conferiu o imóvel. Ele tinha a chave nas mãos. Abriu o portão, pegou as correspondências e caminhou lentamente até a porta de entrada. O senhor veio requerer o que ganhou em jogo.
A casa estava mal cuidada. Com as dívidas quitadas, o homem mudou-se para o imóvel e trouxe seus empregados e contratados para cuidarem da propriedade.
Após os reparos, a fachada do imóvel mudara completamente. Com muros e portões altos, ninguém mais podia acompanhar o que se passava lá dentro, pois o novo dono prezava por privacidade.
Toda a mudança aguçou a curiosidade dos vizinhos, que ansiavam em saber mais sobre o proprietário. E logo ficaram sabendo que o elegante senhor nada mais era que um médico inglês famoso que viera assumir a vaga deixada na Universidade de Paris. Sir William James Holmes era também um conceituado cientista, além de professor.
Sir William tinha 55 anos e era viúvo, e o orgulho era o filho mais velho também médico, já o caçula, era o mais próximo dele, pois nunca conheceu a mãe, falecida com o seu nascimento.  
...
Um grito estridente de mulher ecoou pelo centro de Paris. Era madrugada e as ruas estavam desertas. A voz pediu por socorro, em vão.
No dia seguinte, policiais foram chamados, pois um corpo fora encontrado. Rapidamente o local foi isolado, e tamparam o cadáver. 
... continua

Nenhum comentário: