segunda-feira, 8 de abril de 2013



Bom dia amigos. Compartilho com vocês o miniconto Luzes Brilhantes, que fez parte da Revista Online TerrorZine.

Grande abraço e tenham uma ótima segunda-feira.


Luzes Brilhantes

Anna retornava da escola num fim de tarde nublado naquele começo de inverno de 1982. Ela entrou pelo corredor da vila particular onde morava, no Jardim da Saúde, em São Paulo e viu que estava sozinha no lugar. Anna caminhava devagar quando viu algo estranho no céu. 
A luz alternava do branco para o amarelo claro. A luz era brilhante e imóvel, como um círculo reluzente. O que chamou mais a atenção da moça foi o fato da luz se esconder nas nuvens ao passar um avião; e quando a aeronave se afastava, lá estava ela brilhando no mesmo lugar. 
A jovem ficou ali imóvel observando até a luz desaparecer.
O fato seguiu-se por alguns dias.
Numa certa noite, a jovem retornava do colégio quando viu o círculo luminoso reinar no céu. Seus olhos ficaram hipnoticamente fixos naquele brilho, que começou a mover-se e a ficar maior. Estava se aproximando, vindo devagar, e ficando mais reluzente. Anna, trêmula, permanecia imóvel com seus olhos arregalados. A luz desceu mais e mais em sua direção, até ela ser totalmente absorvida... A estudante nada contou a ninguém.
Agora quando a luz desponta no céu, Anna sente-se fazer parte dela.  

Um comentário:

Ana Augusta disse...

Amei, Miriam ! Excelente. Você tem uma bela narrativa que cativa e prende o leitor, gera sempre uma expectativa gostosa, a sensação de continuidade ao enlevo de quem lê, asas à imaginação...
Parabéns, minha amiga querida. um beijo