domingo, 3 de março de 2013

Bom dia amigos! Tenham um domingo em paz e cheio de felicidade!
Achei uma matéria bem interessante no jornal Opinião sobre o futuro das livrarias, ou a livraria do futuro, e compartilho com vocês:

A livraria do futuro

    O massacre digital de livros eletrônicos e varejistas online à la Amazon colocaram as livrarias em uma encruzilhada existencial. Espera-se que livros digitais tenham superado a venda de títulos impressos em 2012 na Grã-Bretanha, afirma Sam Hancock, gerente de produtos digitais da Harper Collins, e até antes disso nos EUA. Com o ocaso da HMV, aquela fundamental loja física de música, ainda fresco na memória de todos, as livrarias não virtuais parecem estar gozando de uma sobrevida. Então, a pergunta é: qual o futuro da livraria?
Esta era a questão mais importante na ponta da língua de todo mundo em um evento recente na maior loja da livraria Foyles em Charing Cross Road, Londres, onde alguns dos mais importantes agentes literários, autores, gerentes de marketing e livreiros britânicos se reuniram recentemente.

Para que uma livraria continua a ser bem–sucedida, é necessário aprimorar a experiência da compra de livros. A tendência de não apenas incorporar cafés a livrarias, mas também de colocá-los no último andar faz sentido na medida em que atrai os compradores para os andares superiores, o que certamente os encorajará a passar mais tempo na loja e gastar mais.


O consenso é que as livrarias precisam se tornar destinos culturais onde as pessoas estejam dispostas a desembolsarem uma quantia considerável para ouvir uma boa apresentação de música e assistir a um filme ou a uma palestra. A programação terá que ser inteligente e o espaço confortável. A tendência comum de compradores que observam os livros em lojas e os compram online posteriormente faz algumas pessoas se perguntarem se faz sentido cobrar as pessoas por esse privilégio. Uma ideia mais atraente pode ser um esquema de associação como aqueles oferecidos por museus e outras instituições culturais.
Para sobreviver e crescer, as livrarias devem celebrar o livro em todos os seus formatos: raros, usados, digitais, editados de maneira independente e assim por diante. Leitores digitais e híbridos deveriam ter a opção de poder comprar livros eletrônicos presencialmente, e novos autores também deveriam ter acesso a máquinas de impressão de livros de uso fácil.
A livraria do futuro terá que trabalhar duro. O serviço terá que ser personalizado e bem informado, os estoques selecionados a dedo, os ambientes bem projetados e os eventos culturais empolgantes. Ninguém parece ser capaz de prever se as redes de livrarias ou suas primas independentes estão com a vantagem.
=====================
 Li também a Quem online e achei uma notícia muito legal a Mônica, protagonista de Maurício de Sousa está completando 50 anos hoje, vejam só que comemoração em grande estilo:


Mônica completa 50 anos

Mônica, famosa personagem das histórias em quadrinhos de Maurício de Sousa, completa 50 anos hoje. Dona de um vestido vermelho e do coelho Sansão, ela estreou em uma tirinha do personagem Cebolinha e recebeu o nome de Mônica porque foi inspirada na segunda filha do cartunista.
Para celebrar o "Ano da Dentuça", a Mauricio de Sousa Produções investiu aproximadamente 5 milhões de reais e conta com diversos parceiros para as comemorações que acontecerão pelo País.

Teatro


O espetáculo "Mônica Mundi – Uma Volta ao Mundo com a Turma da Mônica" estreia no Rio de Janeiro, hoje, dia do aniversário da Mônica. Foi nessa data, em 1963, que foi publicada sua primeira tira, no jornal "Folha de São Paulo". Na ocasião, acontecerá um coquetel comemorativo e será cantado parabéns para a Mônica com a presença de Maurício de Sousa.
"Mônica e Cebolinha no Mundo de Romeu e Julieta": remontagem da primeira peça de teatro da turma, nos anos 70. Com estreia em abril, no Teatro GEO, em São Paulo, o espetáculo conta com figurino de Fause Haten, cenografia de Paulo Corrêa e iluminação de Ney Bonfante.

Exposições

No Memorial da América Latina, em São Paulo, mais de 70 desenhistas do Brasil homenageiam o Sansão, o inseparável coelhinho de pelúcia da Mônica, que também queria ser lembrado. A exposição já está em cartaz e segue até o dia 21 de abril.
Também está prevista a exposição "Mônica 50 anos", em que a trajetória da personagem será contada por meio de originais, animações, esculturas e até o primeiro e original coelhinho em uma grande exposição interativa sobre a Mônica. A exposição deve ser lançada em São Paulo.
A data e o local para a exposição ainda não foram definidos.

HQs comemorativas

No início de março: a revista em quadrinhos mensal "Mônica" terá formato especial, com capa comemorativa metalizada e maior número de páginas. A publicação traz a história inédita “7 coisas para fazer antes dos 7”, na qual o Cebolinha ajuda a Mônica a realizar sete coisas antes que ela complete 7 anos de idade. Afinal, embora as comemoração sejam pelos 50 anos de criação da personagem, nos quadrinhos infantis ela permanece enxutíssima.
No decorrer do ano, haverá várias outras novidades, como a coleção, em dois volumes, Todas as capas da Mônica, que relembrará todas as capas da revista mensal da dentuça, desde a primeira, em 1970; um livro com as capas comentadas e as curiosidades por trás delas; e um livro especialíssimo em homenagem à primeira-dama do quadrinho nacional, no qual 150 desenhistas e ilustradores, do Brasil e do mundo, retratarão a Mônica.

Correios 


Para os 50 anos da Mônica haverá também um projeto especial com os Correios. A parceria consistirá em uma folha base com 12 selos postais que retratarão a evolução da personagem, selos de Natal e a criação de aerogramas. Nos aerogramas, que poderão ser adquiridos nos Correios, os fãs poderão expressar seus votos de parabéns para a personagem e encaminhar diretamente para a Mauricio de Sousa Produções.

Nenhum comentário: