segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013


Estava lendo a Tribuna e achei muito dez, compartilho com vocês.

 

O curta Paperman, indicado 


ao Oscar 2013

 
Um dos filmes curta-metragem que concorre ao Oscar deste ano está disponível para ser assistido online. É o curta Paperman, da Disney, que foi disponibilizado na íntegra no You Tube. 
A animação em preto e branco e sem diálogos acompanha a saga de um personagem que tenta reencontrar uma moça que conheceu em uma estação de trem e para isso usa aviões de papel que acabam ajudando-o mais do que ele poderia imaginar.

Veja que bonitinho, acesse:

 ==================
Projeto Primeiras Letras
 
Durante todo o mês de fevereiro, aos sábados e domingos, acontece a programação especial do projeto Primeiras Letras, que busca uma aproximação das crianças ao universo da literatura, em que a Roda de Leitura em voz alta é usada como meio de facilitar o domínio da palavra escrita.
A mediação de leitura e a roda de leitura são realizadas por Marcia Regina Teixeira Silva.
A programação, gratuita, acontece na Toca, até dia 24 de fevereiro, sempre aos sábados e domingos, das 14h30 às 16h30, no SESC Santos, que fica na Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida, Santos (próximo ao Shopping Praiamar).
===================

O Cântigo da Terra

Cora Coralina

 

Eu sou a terra, eu sou a vida. 
Do meu barro primeiro veio o homem. 
De mim veio a mulher e veio o amor. 
Veio a árvore, veio a fonte. 
Vem o fruto e vem a flor. 

Eu sou a fonte original de toda vida. 
Sou o chão que se prende à tua casa. 
Sou a telha da coberta de teu lar. 
A mina constante de teu poço. 
Sou a espiga generosa de teu gado 
e certeza tranqüila ao teu esforço. 
Sou a razão de tua vida. 
De mim vieste pela mão do Criador, 
e a mim tu voltarás no fim da lida. 
Só em mim acharás descanso e Paz. 

Eu sou a grande Mãe Universal. 
Tua filha, tua noiva e desposada. 
A mulher e o ventre que fecundas. 
Sou a gleba, a gestação, eu sou o amor. 

A ti, ó lavrador, tudo quanto é meu. 
Teu arado, tua foice, teu machado. 
O berço pequenino de teu filho. 
O algodão de tua veste 
e o pão de tua casa. 

E um dia bem distante 
a mim tu voltarás. 
E no canteiro materno de meu seio 
tranqüilo dormirás. 

Plantemos a roça. 
Lavremos a gleba. 
Cuidemos do ninho, 
do gado e da tulha. 
Fartura teremos 
e donos de sítio 
felizes seremos.  



Nenhum comentário: