quarta-feira, 2 de janeiro de 2013


Bom dia meus queridos amigos, mais um ano se passou e estamos vivos e felizes para começarmos nossa jornada diária.

Um bom dia a todos vocês e aproveitem a vida!

 

Ary Toledo faz show na Baixada

 

Ary Toledo comemora em 2013, 51 anos de carreira musical e humorística. Considerado pela crítica, um dos grandes Mestres do humor Brasileiro, ele é um ávido colecionador de piadas, contabilizando mais de 65 mil guardadas em seu computador.
Ary também lançou 10 CD’S e 20 livros e recentemente Textículos de Ary Toledo.
Ary Toledo, junto com Chico Anysio, Jô Soares e José Vasconcelos são os mais antigos humoristas do formato Stand Up Comedy, gênero que foi introduzido no Brasil na década de 60.
A descoberta do talento do Ary Toledo para o humor ocorreu após um convite de Manoel Carlos, Diretor do Programa Fino da Bossa, de Elis Regina com a música “Comedor de gilete” de Vinícius de Moraes e Carlos Lyra.
Ary Toledo faz uma média de 20 Shows por mês percorrendo o País e levando plateias ao delírio. Qual é a fórmula? “ É a simplicidade. Não basta contar piada...tem de interpretar. É essa inter-relação que se estabelece com o público. A vida não existe sem humor”, conceitua Ary Toledo.
Nesta nova temporada de 2013, que estreia em Santos, o show acontece nos dias 4 e 5 e em Praia Grande, dia 12.

Serviço:
Ary Toledo na Baixada Santista
Dias: 4 e 5, às 21h30 e 21h, respectivamente
Local: Salão Orquídea do Parque Balneário Hotel – Av. Ana Costa, 555, Gonzaga, Santos
Dia 12/1, às 21h
Local: Palácio das Artes - Av. Presidente Costa e Silva, 1600, Boqueirão, Praia Grande (entrada da cidade)
Informações: (13) 3229-1800 ou 3496-5715
Ingressos: R$ 60,00
Compre ingressos: 
-----------------------------------

Para quem gosta de histórias de ficção científica, hoje é dia de nascimento do falecido escritor Isaac Asimov.

 

Isaac Asimov

 

Isaac Asimov nasceu no dia 2 de janeiro de 1920, em Petrovichi, na Rússia e faleceu em Nova Iorque, no dia 6 de abril de 1992. Asimov foi um escritor e bioquímico americano, autor de obras de ficção científica e divulgação científica. 
A obra mais famosa de Asimov é a série da Fundação, também conhecida como Trilogia da Fundação, que faz parte da série do Império Galáctico e que logo combinou com sua outra grande série dos Robots. Também escreveu obras de mistério e fantasia, assim como uma grande quantidade de não-ficção. No total, escreveu ou editou mais de 500 volumes, aproximadamente 90 000 cartas ou postais, e tem obras em cada categoria importante do sistema de classificação bibliográfica de Dewey, exceto em filosofia.
Asimov foi reconhecido como mestre do gênero da ficção científica e, junto com Robert A. Heinlein e Arthur C. Clarke, foi considerado em vida como um dos "Três Grandes" escritores da ficção científica.
Asimov foi membro e vice-presidente por muito tempo da Mensa, ainda que com falta: ele os descrevia como "intelectualmente combalidos". Exercia, com mais frequência e assiduidade, a presidência da American Humanist Association (Associação Humanista Americana).
Em 1981, um asteroide recebeu seu nome em sua homenagem, o 5020 Asimov. O robô humanóide "ASIMO" da Honda, também pode ser considerada uma homenagem indireta a Asimov, pois o nome do robô significa, em inglês, Advanced Step in Innovative Mobility, além de também significar, em japonês, "também com pernas" (ashi mo), em um trocadilho linguístico em relação à propriedade inovadora de movimentação deste robô.
Asimov pretendia escrever 500 livros e, por pouco, não atingiu essa marca; escreveu 463 obras. Mas, somando todos os livros, desenhos e coleções editadas, totalizam-se 509 itens em sua bibliografia completa. Asimov pode ter escrito Opus 400, que seria uma comemoração de 400 publicações; contudo, a lista de comemorativos da bibliografia vai apenas até o Opus 300.

 

Conheça a obra de Asimov:

Série Robôs

The Complete Robot - Nós, Robôs (1982) (Coletânea de 31 contos sobre os robôs, publicados entre 1939 a 1977)
Robot Dreams - Sonhos de Robô (1986) (Outra coletânea de contos sobre robôs)
Robot Visions - Visões de Robô (1986) (Outra coletânea de contos sobre robôs)

 

Série Espacial

Mãe Terra - Conto publicado em O Futuro Começou, onde aparecem pela primeira vez os espaciais

The Caves of Steel - Caça aos Robôs (1954) (primeiro romance de ficção científica com Elias Baley)
The Naked Sun - Os Robôs (1957) (segundo romance de ficção científica com Elias Baley)
Imagem Especular - Imagem no Espelho - Conto sobre uma disputa entre dois Cientistas de Aurora, a respeito de uma descoberta, mediada por Elias Baley e Daniel
The Robots of Dawn - Os Robôs do Amanhecer (1983) (terceiro romance de ficção científica com Elias Baley)
Robots and Empire - Os Robôs e o Império (1985) (sequência da trilogia Elias Baley)
The Positronic Man (1993) (com Robert Silverberg, um romance baseado no antigo conto de Asimov "The Bicentennial Man")

 

Série Império Galáctico

Pebble in the Sky - 827 Era Galática (1950)
The Stars Like Dust - Poeira de Estrelas (1951)
The Currents of Space - As Correntes do Espaço (1952) - Romance pré-imperio, sobre um planeta explorado por outro.

 

Série Lucky Starr

Obras publicadas sob o pseudônimo Paul French

David Starr Space Ranger - As Cavernas de Marte (1952)
Lucky Starr and the Pirates of the Asteroids - Vigilante das Estrelas (1953)
Lucky Starr and the Oceans of Venus - Os Oceanos de Vênus (1954)
Lucky Starr and the Big Sun of Mercury - O Grande Sol de Mercúrio (1956)
Lucky Starr and the Moons of Jupiter - O Robô de Júpiter (1957)
Lucky Starr and the Rings of Saturn - Os Anéis de Saturno (1958)

 

Trilogia Fundação

Foundation - Fundação (1951)
Foundation and Empire - Fundação e Império (1952)
Second Foundation - Segunda Fundação (1953)

 

Extensão da série Fundação

Foundation's Edge - Limites da Fundação (em Portugal "No Limiar da Fundação")(1982)
Foundation and Earth - Fundação e a Terra (1986)
Prelude to Foundation - Prelúdio à Fundação (1988)
Forward the Foundation - Crônicas da Fundação (em Portugal "Notas Para um Império Futuro")(1993)

 

Romances que não fazem parte de séries

The End of Eternity - Fim da Eternidade (1955)
Fantastic Voyage - Viagem Fantástica (1966) (uma novelização do filme apresentando uma equipe de cientistas viajando dentro do corpo humano)
The Gods Themselves - Os Próprios Deuses (1972)
Fantastic Voyage II: Destination Brain - Viagem Fantástica: Rumo ao cérebro (1987) (não é uma sequência do primeiro Fantastic Voyage, mas sim uma história independente)
Nemesis (1989)
Nightfall - O Cair da Noite (1990) (com Robert Silverberg, um romance baseado em um conto mais antigo)
The Ugly Little Boy (1992) (com Robert Silverberg, um romance baseado em um conto mais antigo)
(Ainda que essencialmente independentes, alguns desses romances têm relações mínimas com a série "Fundação").

 

Coletâneas de pequenas histórias

I, Robot - Eu, Robô (1950)
Robot Dreams (1986)
Azazel (1988)
Gold (1990)
Robot Visions (1990)
Magic (1995)

 

Mistérios

Romances

The Death Dealers (1958) (republicado mais tarde como A Whiff of Death)
Murder at the ABA (1976) (republicado mais tarde como Authorized Murder)

 

Coletâneas de pequenas histórias

Black Widowers and others
Return of the Black Widowers (2003) coletânea de histórias da época da morte de Asimov, com contribuições adicionais de Charles Ardai e Harlan Ellison

 

Não-ficção

Ciência popular

Asimov's Chronology of Science and Discovery (1989, segunda edição ampliada em 1993)
The Earth (2004, revisado por Richard Hantula)
Jupiter (2004, revisado por Richard Hantula)
The Neutrino (1966)
Asimov (2003, revisado por Richard Hantula)
Venus (2004, revisado por Richard Hantula)

 

Anotações

Asimov's Annotated "Don Juan"
Asimov's Annotated "Paradise Lost"
Asimov's Annotated Gilbert and Sullivan
The Annotated "Gulliver's Travels"

 

Guias

Asimov's Guide to the Bible, vols I and II (1981)
Asimov's Guide to Shakespeare

 

Outros

Opus 100 (1969)
The Sensuous Dirty Old Man (1971)
Opus 200 (1979)
The Roving Mind (1983) (collection of essays). Nova edição publicada por Prometheus Books (1997)
-----------------------------

Corações

Fernando Matos
Poeta Pernambucano

 

Retorno da minha boemia
poética com a lucidez
e estupidez de quem se
embriaga com as palavras
mais incorretas que provocam
dor e nudez na alma peregrina.

No silencio caminho pelo
lar como gatuno assustado.
Dispo-me da minha literatura
nua e crua e encarno o sonambulo
da noite gelada.

Deito, abraço e sinto o cheiro
mas a carne perdeu seus sentidos
e encolhido ,perdido entre lençóis
sou surpreendido pelo calor do 
astro rei e despertando-me das 
minhas alucinações noturnas.
Vejo que nunca existiu dois
corações, apenas um, solitário
e inquieto nas estradas das letras.

 

Conheça o poeta, acesse:

http://poetafernandomatos.blogspot.com.br/  

Nenhum comentário: