sexta-feira, 25 de janeiro de 2013


Bom dia amigos.

Continuando a semana de aniversário de Machado de Assis, hoje tem dicas de leitura e o conto A Cartomante.

Para comemorar os 459 anos de São Paulo, veja a programação especial.

Também acontece hoje o lançamento do livro Partido da Terra, na Livraria Realejo.

 

 

Dicas de leitura, livros de Machado de Assis

Conto A Chinela Turca

 

O conto "A Chinela Turca" de Machado de Assis faz parte da coletânea Papéis Avulsos e conta o drama de Duarte na noite do baile que prometia ser o melhor de sua vida. Lá, ele encontraria a garota pela qual estava completamente apaixonado e, junto a isso, diversas outras aventuras acabam por acontecer. Como se todas as coisas tivessem que acontecer no dia que ele tinha um grande compromisso. De leitura fácil e acessível, recomendado a todos.

 

Romance Casa Velha

 

"Casa Velha" é um dos últimos romances urbanos de Machado de Assis que, embora escrito em 1906, foi publicado somente em 1944. A narrativa é feita por um padre que precisa se instalar numa casa antiga, cujo patriarca foi um político importante. Novamente, Machado critica os costumes, a igreja, a aristocracia, as vaidades etc. É um livro que levanta muitas discussões.

 

 

 Conto A Cartomante, de 1884

Hamlet observa a Horácio que há mais cousas no céu e na terra do que sonha a nossa filosofia. Era a mesma explicação que dava a bela Rita ao moço Camilo, numa sexta-feira de Novembro de 1869, quando este ria dela, por ter ido na véspera consultar uma cartomante; a diferença é que o fazia por outras palavras.
— Ria, ria. Os homens são assim; não acreditam em nada. Pois saiba que fui, e que ela adivinhou o motivo da consulta, antes mesmo que eu lhe dissesse o que era. Apenas começou a botar as cartas, disse-me: "A senhora gosta de uma pessoa..." Confessei que sim, e então ela continuou a botar as cartas, combinou-as, e no fim declarou-me que eu tinha medo de que você me esquecesse, mas que não era verdade...
— Errou! Interrompeu Camilo, rindo.
— Não diga isso, Camilo. Se você soubesse como eu tenho andado, por sua causa. Você sabe; já lhe disse. Não ria de mim, não ria...
Camilo pegou-lhe nas mãos, e olhou para ela sério e fixo. Jurou que lhe queria muito, que os seus sustos pareciam de criança; em todo o caso, quando tivesse algum receio, a melhor cartomante era ele mesmo. Depois, repreendeu-a; disse-lhe que era imprudente andar por essas casas. Vilela podia sabê-lo, e depois...
— Qual saber! tive muita cautela, ao entrar na casa.
— Onde é a casa?
— Aqui perto, na rua da Guarda Velha; não passava ninguém nessa ocasião. Descansa; eu não sou maluca.
Camilo riu outra vez:
— Tu crês deveras nessas coisas? perguntou-lhe.
Foi então que ela, sem saber que traduzia Hamlet em vulgar, disse-lhe que havia muito cousa misteriosa e verdadeira neste mundo. Se ele não acreditava, paciência; mas o certo é que a cartomante adivinhara tudo. Que mais? A prova é que ela agora estava tranqüila e satisfeita.
Cuido que ele ia falar, mas reprimiu-se, Não queria arrancar-lhe as ilusões. Também ele, em criança, e ainda depois, foi supersticioso, teve um arsenal inteiro de crendices, que a mãe lhe incutiu e que aos vinte anos desapareceram. No dia em que deixou cair toda essa vegetação parasita, e ficou só o tronco da religião, ele, como tivesse recebido da mãe ambos os ensinos, envolveu-os na mesma dúvida, e logo depois em uma só negação total. Camilo não acreditava em nada. Por quê? Não poderia dizê-lo, não possuía um só argumento; limitava-se a negar tudo. E digo mal, porque negar é ainda afirmar, e ele não formulava a incredulidade; diante do mistério, contentou-se em levantar os ombros, e foi andando.
Separaram-se contentes, ele ainda mais que ela. Rita estava certa de ser amada; Camilo, não só o estava, mas via-a estremecer e arriscar-se por ele, correr às cartomantes, e, por mais que a repreendesse, não podia deixar de sentir-se lisonjeado. A casa do encontro era na antiga rua dos Barbonos, onde morava uma comprovinciana de Rita. Esta desceu pela rua das Mangueiras, na direção de Botafogo, onde residia; Camilo desceu pela da Guarda velha, olhando de passagem para a casa da cartomante.

POR SER UMA HISTÓRIA GRANDE, CONTINUA NA PÁGINA ACIMA, NO INÍCIO DO BLOG (CONTOS DE MACHADO DE ASSIS), JUNTO COM AS PÁGINAS CONTOS, MINICONTOS E CRÔNICAS
-------------------------------------

Capital Paulista completa 459 anos

 

Para comemorar o aniversário de São Paulo, vários shows acontecem hoje, veja só a programação:

 

Uma das apresentações mais esperadas para o aniversário da cidade são as que acontecem no palco montado no Vale do Anhangabaú.

Neste ano, o show tem o tema 4 gerações cantam São Paulo e traz Rita Lee para representar os anos 70, Zélia Duncan, para os anos 80,Arnaldo Antunes para os anos 90 e Criolo e Emicida para a geração dos anos 2000.

 

Já o HSBC Brasil recebe Lulu Santos em um show com os principais sucessos do cantor no repertório. Entre as músicas esperadas pra apresentação estão "Tudo Azul", "Já é!" e "Toda forma de amor".

 

O quarteto Trovadores Urbanos fazem uma Serenata para São Paulo no Memorial da América Latina com um show no Auditório Simón Bolivar.

Aos apreciadores da música clássica, o Theatro São Pedro recebe shows gratuitos da Jazz Sinfônica, Banda Sinfônina e da Othersp.

No Museu da Casa Brasileira acontece o Projeto Coisa Fina com músicas de peso como Laércio de Freitas, Moacir Santos e Theo de Barros

Dentro do evento Conexão Cultural São Paulo, que acontece noMuseu da Imagem e do Som, a cantora Blubell se apresenta a partir das 19h no Auditório MIS com ingressos a R$ 6.

No Auditório Ibirapuera, o cantor Lenine apresenta seus principais sucessos e músicas de seu novo álbum Chão. Os ingressos saem por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). 

Saiba mais, acesse:
 --------------------------------------



Nenhum comentário: