quinta-feira, 13 de dezembro de 2012



Centenário de Luiz Gonzaga

Valorizar a pureza de um terreno sofrido e acidentado em pouco mais de seis estrofes é apenas um dos feitos do rei do choro e do baião. Batizar este retrato de “Asa Branca” e fazer dele uma das canções mais populares do Brasil também está no currículo de Luiz Gonzaga.

Um dos responsáveis por lapidar e difundir a música popular brasileira, o ilustre cantor e compositor pernambucano completaria 100 anos de vida em 13 de dezembro de 2012.

Natural da folclórica cidade de Exu, pai de Gonzaguinha e avô de Daniel Gonzaga, o Rei do Baião encontrou no cenário do interior do nordeste brasileiro o material necessário para desenvolver sua poesia. Morto em 1989, o músico ainda tem sua obra vivíssima nas apresentações de seu neto e de inúmeros outros artistas.

Homenagens

Diversos eventos comemorativos pelos 100 anos de Luiz Gonzaga estão em destaque no calendário cultural brasileiro.

No Rio de Janeiro, o Rei do Baião é lembrado durante a mais nova edição do Rio Cello, festival que oferece apresentações gratuitas em toda a capital.
 
Outra homenagem confirmada é o Canto de Todos os Cantos, projeto idealizado por Guilherme Toledo que pretende reunir artistas de diversas partes do País para gravação de um DVD com 13 faixas. Embora já anunciado, ainda não há previsão para a realização dos shows. 

Confira outras homenagens realizadas durante o ano do centenário de Luiz Gonzaga:

 

Trajetória nas telonas
O filme Gonzaga, de Pai Para Filho faz um tributo às brilhantes carreiras dos patriarcas da família Gonzaga. O longa-metragem é comandado pelo diretor Breno Silveira.

Falamansa grava músicas de Gonzagão
Rei é a forma como os músicos do Falamansa definem brevemente o músico Luiz Gonzaga. No ano do centenário do criador do baião, a banda apresentou como homenagem o disco As Sanfonas do Rei, um apanhado de relíquias assinadas por Gonzagão. Desde o lançamento, o grupo tem visitado diversas cidades do País com as faixas da obra.

-----------------------------
A Cabeça da Mamãe

Festival do Cinema Francês


Ciclo França#Passado#Presente
A exibição deste filme tem o apoio da Embaixada da França no Brasil, Cinemateca da Embaixada da França e Institut Français e apoio institucional da Aliança Francesa-Santos.

Dias 13 e 14 de dezembro

“A cabeça de mamãe” - (La Tête de maman)
França / 2007 / 95 minutos / cor / 35 mm
Direção – Carine Tardieu
Elenco - Kad Merad, Karin Viard, Pascal Elbé
Classificação – livre
A jovem Lulu vive com sua depressiva, meio hipocondríaca e auto-centrada mãe. Um dia, Lulu encontra uma fotografia antiga que traz sua mãe, aos 20 anos de idade, nos braços de um homem estranho, feliz e radiante como ela jamais a viu. Lulu decide encontrá-lo e trazê-lo de volta, na esperança que sua mãe recupere o gosto pela vida.

Serviço:

A Cabeça da Mamãe

Quando: dias 13 e 14/12

Local: Cine Arte Posto 4 - Orla do Gonzaga ao lado do canal 3 - Santos
Sessões: 16h, 18h30 e 21h
Ingressos: R$ 3,00 (inteira) e R$ 1,50 (meia-entrada - estudantes, maiores de 60 anos e menores de 18 anos, com apresentação do R.G. e professores da rede estadual de ensino)
------------------------------
A Arte da Palavra
Mirian Marclay Melo

Minha alma que a poesia lavra
Num encontro linguístico,
Por vezes meu coração se esparrama

Encontro cabalístico, que sou letra e palavra.

Minha alma que escuta os anjos
E caminha além das minhas sombras
Ouvindo os conselhos sábios daqueles
Que por hora compreendem minha escuridão.

Que escrevo porque meu espírito dita,
O poema áureo que vem e me faz bendita
Que me ampara nas nuvens desse céu.

Onde sou a pena e o pergaminho,
O óleo, a mirra e o linho
Que se desvela escrita em letras de mel.


Mirian Marclay é poetisa e autora do E-book “Julieta & Romeu Romance em forma de poesia”. Conheça a autora, acesse:

Nenhum comentário: