sexta-feira, 2 de novembro de 2012


Bicicloteca 

A “Bicicloteca” é uma biblioteca itinerante, um movimento independente existente em diversas comunidades brasileiras e em outros países, geralmente para pessoas sem acesso a biblioteca ou comunidades distantes dos centros, as quais utilizam a bicicleta como veículo para o transporte de livros. 

A Bicicloteca do Instituto Mobilidade Verde foi desenvolvida para atender moradores de rua através do Movimento Estadual da População em Situação de Rua. Trata-se de um triciclo com capacidade para 150 kg de livros que facilita o trânsito na cidade e o acesso de pessoas a cultura, o objetivo é facilitar o trabalho das comunidades que já atuam com cultura e inclusão social através da leitura. 


A Bicicloteca empresta livros para moradores de rua em SP, todo acervo do projeto é bancado exclusivamente por parceiros privados e fruto de doações. No baú, títulos de Truman Capote, Lima Barreto e Graciliano Ramos. 

Para contribuir: 

http://catarse.me/pt/projects/959-centro-cultural-bicicloteca

contato@bicicloteca.com.br

Colaboração: jornalista Ana Augusta Andrade
--------------------------
Cinezen Cultura Caiçara
O site www.cinezen.net  retoma seus bate-papos com o encontro em prol da Casa Vó Benedita e aborda o momento da Cultura Caiçara na Baixada Santista. 
Trata-se do 1º Cinezen Cultura Caiçara, que ocorre hoje, às 19h30, na Ao Café.
O músico, compositor e ator Danilo Nunes, e o escritor, editor e responsável pela Edições Caiçaras, Márcio Barreto, participam do debate, que será mediado pelo escritor Marcelo Rayel. André Azenha, editor do CineZen, organizou o evento. 
Após o bate-papo, que terá cerca de 1h30 de duração, Danilo Nunes faz uma apresentação musical que mescla canções de sua carreira e algumas novas do CD que prepara para 2013. Márcio Barreto fará intervenções durante o show.
A entrada é grátis, mas pede-se a gentileza de um quilo de alimento ou uma lata de leite em pó.

Haverá sorteio de brindes: livros, vales de locação da Vídeo Paradiso e ingressos de cinema.

Serviço:
1º CINEZEN Cultura Caiçara, com Danilo Nunes e Márcio Barreto
Mediação: Marcelo Rayel
Dia: hoje (2 de novembro), às 19h30
Local: Ao Café – Av. Siqueira Campos, 462, Boqueirão, esquina da rua Lobo Viana com o Canal 4, em Santos
Entrada: Um quilo de alimento não-perecível ou uma lata de leite em pó para a Casa Vó Benedita


Colaboração: Jornalista e assessor André Azenha
--------------------------
Projeto Leia Santos

O projeto Leia Santos conta com as as atividades: Adote Um Livro, Adote Um Gibi, Espaço Leitura, Hora do Conto, Oficina de Pintura e Desenho.
As atividades são gratuitas.
Realizadas hoje, das 9h às 15h, na Rua Nilo Peçanha, 50, Marapé, Santos (em frente o Memorial)
--------------------------
Dama da Noite
Hoje, na Vila do Teatro

Dama da Noite’ é atração na Vila do Teatro
O espetáculo ‘A Dama da Noite’ reestreia às 21h. Dessa vez, a montagem acontece na Vila do Teatro, no sistema ‘Pague o quanto puder’ o qual cada espectador decide o valor do ingresso ao fim da apresentação. A interpretação fica a cargo do ator Luiz Fernando Almeida.
O texto, de autoria de Caio Fernando Abreu, mostra as aflições de um homem que se sente deslocado diante dos padrões sociais. Sentimentos de solidão, rejeição e tristeza do personagem marcam toda a encenação, caracterizada por um caráter intimista. A direção é de André Leahun.

Serviço:
Dama da Noite
Dia: Hoje (2), às 21h
Local: Vila do Teatro - Praça dos Andradas, esquina com a Rua Visconde do Embaré, em frente à rodoviária, Centro, Santos
O local tem capacidade para 30 lugares. As exibições ocorrem em todas as sextas de novembro, sempre às 21h.
Informações: (13) 8161-8751
-----------------------------
Curso Livre de Literatura e Escrita

O Curso Livre de Literatura e Escrita se realiza na Livraria Realejo Cursos, de 10/11 a 1/12, das 10h às 12h, veja mais:
-------------------------------
Dia de Finados
Marcelo de Oliveira Souza


Dia de quem chegou ao fim
Finados
O fim não é assim
Enterrados.
Vida após a morte, sim
Ressuscitados?
Abel, morto por Caim
Alguém morto no Botequim
Saiu a pouco no folhetim
Todos acabados?
Aquele que caiu do trampolim,
O ruim.
O que perdeu mais um rim,
O doente, velho estropiado...
Todo mundo finado.
O ente estressado
Nesse dia separado
Vai ao cemitério vê-lo enterrado
Coitado!
Nosso caminho está traçado
Rico, pobre, são e doente
O buraco acolhe quem corre
E quem abraça a malfadada
MORTE!
Como o destino 
Num desatino da vida
Que teimou em nos deixar



Fonte: Lusofonia, o teu espaço da poesia lusófona






Nenhum comentário: