quinta-feira, 13 de setembro de 2012


Olá, tenha um bom dia.
Veja o que tá rolando nesta quinta no meu blog:
Livro A Carne de Júlio Ribeiro, polêmico romance do naturalismo.
Teatro da Vertigem - Bom Retiro 958, revelando a realidade social do Bom Retiro (Centro de São Paulo), o Teatro da Vertigem apresenta o espetáculo Bom Retiro 958 nas ruas do bairro.
Finalizo com a poesia O Vale da Sombra da Morte, do escritor Eddy Khaos, no Cantinho da Poesia.
Espero que gostem dos assuntos e amanhã tem mais novidades.
Grande abraço,
Miriam


Livro A Carne de Júlio Ribeiro

Estou na fase da leitura aos clássicos nacionais.
Terminei de ler o livro A Carne, de Júlio Ribeiro na semana passada e adorei, pois o romance nos dá uma visão de São Paulo em 1888, período em que ainda exista a escravidão.
Para quem aprecia história como eu, o romance é uma viagem histórica que descreve a vivência naquela época e a sociedade com seus escrúpulos e desequilíbrios.
Um ponto que adorei foram as descrições feitas pelo protagonista Manuel Barbosa em carta à Lenita quando este sai em viagem a Santos/SP. O autor descreve a cidade por inteiro e o que mais me chamou a atenção foi o clima que já naquele tempo era extremamente quente, temperatura que eu pensei existir somente hoje, devido a estrutura vertical de prédios na orla da praia.
Outro ponto interessante foi a descrição da vida na fazenda e como viviam os escravos.
A obra A carne, é um romance naturalista publicado em 1888 que aborda temas até então ignorados pela literatura da época, como divórcio, amor livre e um novo papel para a mulher na sociedade. O lançamento do livro fez grande sucesso e causou escândalo entre as famílias paulistanas tradicionais. As jovens eram proibidas de ler a obra e muitos pediam segredo ao comprar.
O romance foi dedicado “ao príncipe do naturalismo, Emilio Zola”, que Júlio Ribeiro dá sua adesão ao naturalismo, movimento literário iniciado na França com Zola, autor de Thérèse Raquim (1867). O romance naturalista, posterior ao realista, de um modo geral, apresenta temas de patologia social (adultério, desequilíbrios psíquicos, criminalidade, incesto etc).
Despreocupado com a moral, o naturalista mergulha no ser humano e tenta explicar seus atos, suas reações, cientificamente. Da mesma forma que o realista, o naturalista também tem o intuito de reformar a sociedade, apontando e analisando seus vícios e defeitos.
Publicado em 1888, o romance provocou uma serie imensa de protestos devido a concepção materialista de vida que ele encerra.
A história se desenrola no interior de São Paulo, numa fazenda de café e gira em torno de uma jovem Helena, chamada de Lenita, que aos 22 anos, tinha espasmos de prazer ao imaginar os atos sexuais.
Porém, quando o filho do fazendeiro (Manuel Barbosa) se instala na fazenda, um homem esbelto, culto e sensual mesmo com cerca de 40 anos, Lenita e Barbosa firmam uma amizade, que se sucumbe à atração sexual e paixão.
Vale a pena ler o romance, de narrativa aberta e linguagem perfeita, livro que causou polêmica entre o autor e o padre Senna Freitas, após a publicação.
---------------------------
Teatro da Vertigem
Bom Retiro 958

Revelando a realidade social do Bom Retiro (Centro de São Paulo), o Teatro da Vertigem apresenta o espetáculo Bom Retiro 958 nas ruas do bairro.
Os personagens da trama são baseados em pessoas comuns do cotidiano local. O ponto de encontro para a peça é a Oficina Cultural Oswald de Andrade.

Serviço:
Bom Retiro 958 Metros
Data: até 30 de setembro
Horário: quinta a sábado, às 21h; domingo, às 19h
Local: Ponto de encontro na Oficina Cultural Oswald de Andrade - Rua Três Rios, 363, Bom Retiro, São Paulo
Entrada franca
Informações: telefone: (11) 3255-2713.

 -----------------------
O Vale da Sombra da Morte
De Eddy Khaos

Sobre a penumbra que nos envolve
Lembro-me com tristeza e pesar.
Do último brilho da luz divina que contemplei aos pés
da escadaria do trono celestial.
Antes da queda ao abismo sem volta da escuridão.

Nossas asas eram brancas de envergadura sem igual.
Agora a escuridão nos tomou por completo.
As transformando em asas negras como
o breu que nos envolve.

Éramos a elite alada!
Sobre o comando de Lúcifer.
O filho do alvorecer.

Foram traídos por aquele que sempre lutaram
sem nunca hesitar.
O dito Estrela da Manhã.
Uma armação do mais belo Arcanjo para usurpar
o trono de seu Pai.

Fomos envolvidos em uma trama
diabólica e sem escrúpulos.
Julgados e sentenciados.
Sem direito a defesa.

Acuados e derrotados
Fomos lançados
Ao destino do abismo de outrora.

Alguns pereceram na terrível queda!
Outros se entregaram ao abraço da loucura
dando cabo de sua própria essência angelical.
Agora caminhamos
Sobre o vale das sombras da Morte.

Anjos caídos!
E sem destino.
Muitos sucumbiram à escuridão perdendo a sua luz.
Se transformando em criaturas horrendas que hoje
chamamos de demônios.
 
Conheça o autor, acesse:



Nenhum comentário: