quarta-feira, 26 de setembro de 2012



Olá, até que enfim um pouco de chuva!
Veja os assuntos desta quarta-feira no meu blog:
Artigo: Somos todos super-heróis.
Veja a programação especial na 6ª Primavera dos Museus.
Para quem gosta de peça teatral, hoje tem O Pagador de Promessas, no Teatro Guarany.
Finalizo com uma linda poesia de Mirian Marclay Melo, no Cantinho da Poesia.
Espero que gostem das novidades e amanhã tem mais.
Grande abraço,
Miriam

ARTIGO
Somos todos super-heróis!

Há! Os super-heróis! E como eles têm aparecido na TV e no cinema nos últimos anos! Realmente eles são demais mesmo, com super-poderes inatingíveis de dar inveja a qualquer ser humano. 
Desde que foram criados nas décadas de 30, 40, 50, 60 e por aí afora, os nossos super-heróis nunca nos deixaram na mão, pois há histórias até parecidas com as nossas vividas em um cotidiano onde sempre existem situações de perigo, de violência, contrabando e o que mais presenciamos todos os dias.
Mas para quê então eles foram criados? Desde os mitos da Criação, o Homem vem tentando desvendar o seu significado no Universo e por tal, a sensação de solidão o torna frágil; então, eis que surgem os super-heróis para livrar o homem dos perigos do mundo e dele mesmo.
Para Joseph Campbell, a maior autoridade no campo da mitologia, o herói “aparece nos romances populares, o protagonista é um herói ou uma heroína que descobriu ou realizou alguma coisa além do nível normal de realizações ou de experiência. O herói é alguém que deu a própria vida por algo maior que ele mesmo”.
Então, pela definição de Campbell, no notável “A Saga do herói”, podemos chamar de heróis a nós mesmos ou a nosso vizinho, pois todos fazem de tudo um pouco e dão o máximo de si.
Para mim, os heróis são encontrados em nosso dia-a-dia, são pessoas comuns que lutam por um ideal, por seu espaço, para conseguir um emprego e fica horas em uma fila juntamente com mais uma centena de pessoas. Heróis são aqueles que tentam sobreviver com as “migalhas” que recebem depois de um dia inteiro cortando cana-de-açúcar. E por que não citar as mulheres que cuidam da casa, dos filhos e ainda trabalham fora, contribuindo com o sustento da família.
Heróis são nossos irmãos nordestinos, que enfrentam a seca por anos, sem ter nada a comer e nem água a beber; defino-os por super-homens por natureza, agarrados a uma força que se sobrepõe a sua.
Então, todos nós somos heróis, pois cada um possui a sua história e a sua luta. Um brinde a nós, heróis de nascença! 
---------------------------
Museu do Café oferece programação especial na 6ª Primavera dos Museus

Até o dia 30 de setembro, o Museu do Café, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, preparou uma programação especial para discutir a função social dos equipamentos museológicos. Tema da 6ª Primavera dos Museus, a iniciativa é do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), e este ano mobilizará mais de 800 instituições de todo o país.
Nos dias 26, 27 e 28, o público terá a oportunidade de agendar visitas guiadas que exploram outros sentidos, como o tato e o paladar. Com vendas nos olhos, os visitantes serão orientados pelos educadores a conhecer o Museu e o Edifício de uma maneira diferente. Poderão tatear o prédio e objetos selecionados do acervo e degustar vários tipos de café, percebendo a peculiaridade de cada região produtora. 
Outro destaque da semana são as oficinas. No dia 26, das 10h às 16h, será ministrado um curso com noções básicas para a formação de pequenos centros de memórias. Já no dia 27, será realizado o workshop, das 14h30 às 17h, sobre o Sistema Braile. A professora do Centro de Educação e Reabilitação Lar das Moças Cegas, Sandra Regina Silva, ensinará a prática da leitura em braile, trazendo materiais táteis.
As inscrições, para todas as atividades, devem ser feitas pelo telefone (13) 3213-1750. 
O Museu do Café fica à Rua XV de Novembro, 95, no Centro Histórico de Santos. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h às 17h, e aos domingos entre 10h e 17h. Os ingressos para visitação custam R$ 5, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Já a Cafeteria do
Museu funciona de segunda a sábado das 8h às 18h, e aos domingos entre  10h  e  18h. 
Informações no site: www.museudocafe.org.br

Serviço:
A programação gratuita se realiza na Rua XV de Novembro, 95, Centro, Santos
Informações: (13) 3213-1751 / 8153-1666
Jogos educativos
Datas: até dia 30 de setembro 
Horário: 9h30 às 17h

Visita sensorial 
Datas: 26, 27 e 28 de setembro 
Horário: 14h

Oficina de criação de centro de memória
Datas: 26 de setembro 
Horário: 10h às 16h

Workshop sobre o Sistema Braille 
Datas: 27 de setembro 
Horário: 14h30 às 17h
--------------------------
O Pagador de Promessas
Hoje, no Teatro Guarany

O Teatro Guarany abriga gratuitamente o espetáculo ‘O Pagador de Promessas’, de Dias Gomes. Considerado um clássico da dramaturgia brasileira, o texto é interpretado pelos alunos do curso técnico em Arte Dramática do Senac/Santos. A direção é de Gerson Rodrigues.
A peça mostra a saga do ingênuo agricultor Zé do Burro, que tenta agradecer a deusa Iansã pela cura do seu companheiro, o jegue Nicolau. Para cumprir o juramento, ele percorre 42 quilômetros até a Igreja de Santa Bárbara, em Salvador, com uma pesada cruz nas costas.
A narrativa ganha maior tom dramático quando a população local não compreende que, para o lavrador, Iansã e Santa Bárbara têm a mesma representação sagrada. A entrada é franca e os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência.

Serviço:
O Pagador de Promessas
Dia: 26/9, às 20h
Local: Teatro Guarany - Praça dos Andradas, 100 - Centro Histórico -             Santos 
Informações: (13) 3219-3828
-----------------------
DESEJO E(TERNO) DE AMAR!
Mirian Marclay Melo
Amor porque me queres se te firo
Eu mesma sou um coração partido.
De batom te desfiro o beijo dos prazeres
E te trago cativo aos meus ais lascivos

Fazendo com que me queiras
Dentre todas as mulheres.

Olha-me do teu telescópio
Sei que sou teu ópio
Teu vício, teu fim e teu início!

Ah! Componho-me além do precipício,
O meio, o seio, os feixes de luz nos meus cabelos
Que te encantam, a luz transformando
Embalando e acalentando.

Amor porque me queres se me amar
É esse mar em que te feres ao se dar
Em que ainda que tentes alcançar-te no espaço
Amarrar-me na seda dos teu laços,
Eu tenho meus passos e compassos.

Danço com cometas, assim 
Não prometas o que não podes cumprir.

Que de toda ânsia declino.
E me inclino a amar do jeito certo
Sem palavras ao vento, sem lamento aberto
Reclusa dos abusos da distância 
E descontentamento, desejosa apenas
Do mais puro sentir!


Mirian Marclay Melo é poeta e autora do e-book Julieta & Romeu Romance em forma de poesia.
Conheça a autora, acesse: www.lirismoflordapele.blogspot.com




Nenhum comentário: