domingo, 30 de setembro de 2012


Hoje é dia de nascimento do escritor Truman Capote

Truman Streckfus Persons nasceu em 30 de setembro de 1924, em Nova Orleans (Luisiana, EUA). No entanto, logo teve que ir para o Alabama com suas tias, enviado por seus pais que viviam em um hotel. Uma vez, Truman disse que se sentia "órfão espiritualmente", talvez por nunca ter recebido o afeto que gostaria de ter sentido de seus pais.
Sua mãe era alcoólatra e acabou cometendo suicídio. Seu pai era um viciado em sexo e colecionava amantes. Depois do divórcio de seus pais em 1931, sua mãe se casou com um industrial têxtil cubano, Joseph García Capote, de quem Truman tirou seu sobrenome, já que sempre achou seu padrasto uma pessoa maravilhosa, que o ensinou muito.
Seu novo pai o levou para Nova York e o matriculou nas melhores escolas. No entanto, ele repetiu a maioria das matérias, razão pela qual alguns professores disseram que era um pouco retardado. Quando sua mãe decidiu levá-lo ao psiquiatra, o especialista disse que Truman era um gênio. Sua inteligência era diferente e muitas vezes ele a utilizava para provocar.

Obra de Truman Capote

Truman Capote ficou famoso como o menino prodígio da literatura americana. Aos 17 anos, terminou os estudos, se emancipou, voltou para Nova Orleans e começou a escrever. Ele publica seu primeiro escrito em 1944, um conto intitulado "Miriam". Em 1946, 1948 e 1951 ganha o prêmio O. Henry.
Em 1948, lança seu primeiro livro, "Other voices, other rooms", no qual incorpora elementos autobiográficos e conta a história de um menino que procura desesperadamente seu pai.
Em 1964, publica seu romance "Breakfast at Tiffanys". No ano seguinte, depois de seis anos de uma minuciosa pesquisa, publica o célebre "A sangue frio", obra que o consagra como um escritor de fama internacional.
Outra das facetas de escritor foi sua capacidade de redigir crônicas da alta sociedade americana. Sua obra "Answered prayers" criou polêmica por se tratar de uma crônica social que descrevia as personalidades mais representativas dos Estados Unidos. Por causa do livro, passou a ser considerado o dono da língua mais ferina de Nova York.
"O mais importante é o estilo, não é o que estou dizendo, mas como o estou dizendo", disse uma vez Truman Capote, que inventou um novo gênero literário, que misturava jornalismo e literatura.
O escritor escrevia relatos chamados de "não-ficção", nos quais muitos personagens existiam de verdade e, outras vezes, eram produto de sua imaginação.
Capote é considerado por muitos o criador do chamado "livro-reportagem", já que seu objetivo na hora de escrever era elevar a reportagem à categoria de arte.
Ele também se dedicou ao jornalismo de pesquisa, que consolidou em alguns de seus trabalhos, como no próprio "A sangue frio", um livro sobre um crime rural ocorrido em Kansas que investigou por mais de seis anos, indo ao local do crime e falando com as pessoas envolvidas.

Morte do escritor

Ele morreu em 25 de agosto de 1984, em Los Angeles, cidade dos EUA que detestava. O famoso escritor estava hospedado na casa de sua amiga, Joanne Carson, onde dormiu seu último sono, a um mês de seu 60º aniversário.
A causa da morte foi ingestão de barbitúricos. Capote consumia álcool e drogas há muito tempo e isso o conduziu à morte. Ele criou até um "cocktail Capote", o nome da mistura de álcool e barbitúricos que inventou.

Frases de Capote

“Não sou um santo. Sou um alcoólatra, um drogado, um homossexual e um gênio. Certamente, poderia ter sido todas essas quatro coisas e ter continuado sendo um santo”.
"Só direi que não sou uma pessoa feliz. Só os imbecis ou os idiotas são felizes".
Sobre seu sucesso como escritor:
"Eu tinha que alcançar o sucesso o mais rápido possível, as pessoas como eu sabem sempre o que querem. A maioria das pessoas passa a metade de sua vida sem chegar a saber o que querem. Eu nunca pensei em trabalhar em um escritório nem nada parecido. Poderia ter sido bem-sucedido em qualquer coisa, mas sempre soube e quis ser escritor e me tornar rico e famoso".

"O que Mae West é para as tetas e King Kong para os pênis, eu sou para as letras norte-americanas".
"Quando envio um manuscrito para o editor tenho certeza de cada palavra. As palavras sempre me salvaram da tristeza".
 
Sobre os outros:
"A bondade era Marylin Monroe". 

Dica de leitura “A Sangue Frio”

O romance-reportagem A sangue frio, conta a história da morte de toda a família Clutter, em Holcomb, Kansas, e dos autores da chacina.
Capote decidiu escrever sobre o assunto ao ler no jornal a notícia do assassinato da família, em 1959. Quase seis anos depois, em 1965, a história foi publicada em quatro partes na revista The New Yorker. Além de narrar o extermínio do fazendeiro Herbert Clutter, de sua esposa Bonnie e dos filhos Nancy e Kenyon - uma típica família americana dos anos 50, pacata e integrada à comunidade -, o livro reconstitui a trajetória dos assassinos. Perry Smith e Dick Hikcock planejaram o crime acreditando que se apropriariam de uma fortuna, mas não encontraram praticamente nada.
Perry era um sonhador. Teve criação conturbada e violenta, e achava que a vida lhe tinha dado golpes injustos. Dick, considerado o cérebro da dupla, queria apenas arrebatar o dinheiro e desaparecer. Presos e condenados, ambos morreram na forca em 1965.
Publicado no mesmo ano da execução dos assassinos, A sangue frio rapidamente se tornou um sucesso de crítica e vendas, rendendo alguns milhões de dólares ao autor. A intensa relação que Capote estabeleceu com suas fontes foi determinante para o êxito da obra. Além de passar mais de um ano na região de Holcomb, investigando e conversando com moradores, ele se aproximou dos criminosos e conquistou sua confiança. Traçou um perfil humano e eloqüente dos dois "meninos", como costumava chamá-los. 
Por seu estilo que combina a precisão factual com a força emotiva da criação artística - um romance de não-ficção, nas palavras do próprio autor -, A sangue frio é um marco na história do jornalismo e da literatura dos Estados Unidos. Reflexão sutil sobre as ambiguidades do sistema judicial do país, o texto desvenda o lado obscuro do sonho americano.
--------------------------
Dica de cinema Boca

Baseado em fatos reais, o filme “Boca” lembra a vida de Hiroito Joanides, um criminoso que ganhou fama em São Paulo nos anos 50 e 60. Boêmio e assíduo frequentador da região central da cidade chamada Boca do Lixo, Joanides era de uma família de classe média alta.
Sua entrada para o mundo do crime veio após a morte de seu pai, pela qual foi acusado, mas alegava inocência. Dois meses depois desse fato, ele decidiu morar na Boca, comprou dois revólveres e se tornou um dos bandidos mais procurados pela polícia local.
Boca

Direção: Flávio Frederico
Duração: 100 minutos
Gênero: Drama
Elenco: Daniel de Oliveira, Milhem Cortaz, Paulo César Pereio, Leandra Leal e Hermila Guedes


Veja o trailler, acesse:
-----------------------------
Hoje tem Camerata Heitor Villa-Lobos
No Teatro Guarany

Para comemorar 30 anos de criação, a Camarata Heitor Villa-Lobos apresenta-se às 19h, no Teatro Guarany, com entrada franca. O grupo é formado atualmente por nove músicos entre professores, ex-alunos do curso de violão da Secult (Secretaria de Cultura) e artistas convidados.
O programa começa com obras clássicas como ‘Sonata em Ré Maior’ (C. G. Scheidler), ‘Coral da Cantada 147’ (Bach), ‘Bachianas Brasileiras nº 5 – Cantilena’ (Villa-Lobos) e a ‘Valsa da Suíte Masquerade’ (Aram Kachaturian). Em seguida, o grupo interpreta as músicas brasileiras ‘Chovendo na Roseira’ (Tom Jobim), ‘Bebê’ (Hermeto Pascoal) e ‘Ainda me Recordo’ (Pixinguinha).
Ao término, o repertório traz as composições ‘Adios Nonino’ (Astor Piazzolla), ‘Rock´s Theme´s’ (Survivor e Bill Conti), ‘The Entertainer’ (Scott Joplin) e ‘In the Mood’ (Joseph Garland e Andy Razaf). O conjunto é formado por André Lafasse, Bruno Henriques, Debora Paiva, Francisco Pupo, Márcio Gouveia, Marcos Canduta, Mônica Peres, Ulysses Mansur e Iury Cardoso (diretor artístico do conjunto).
A Camerata Heitor Villa Lobos foi criada em 1982 pelo professor Antonio Manzione, com o objetivo de divulgar o violão e incentivar atividades artísticas e culturais na Cidade. Inicialmente composta pelos melhores alunos do Curso de Violão da Secult, que já formou cerca de 20 mil violonistas, a Camerata tem como madrinha Arminda Villa-Lobos, esposa do maestro que empresta o nome ao grupo.

Serviço:
Camerata Heitor Villa-Lobos
Dia: hoje (30/9), às 19h
Local: Teatro Guarany - Praça dos Andradas, 100, Centro Histórico,  Santos
Informações: Telefone: (13) 3219-3828 


Nenhum comentário: