domingo, 19 de agosto de 2012


Olá amigos, tenham um bom domingo.
Veja o que tá rolando hoje aqui na página:
Amor Liberto é o novo e-book do escritor Ademir Pascale.
Literatura Brasileira: missão ou entretenimento? Hoje, no Café Filosófico CPFL.
Veja que interessante a entrevista com a artista plástica Gláucia Garcia e suas cores! Prestigie a pintora da região.
Hoje é o dia Mundial da Fotografia! Parabéns fotógrafos pela data.
Bem, por hoje é só, espero que gostem e amanhã tem mais novidades.
Abraços,
Miriam
  

Amor Liberto, novo e-book de Ademir Pascale

Sinopse: 
O que aconteceria com suas crenças se descobrisse que a história que cerca o homem mais conhecido do mundo foi alterada? Como ficaria os alicerces da Santa Igreja se você descobrisse que demônios são entidades poderosas e desconhecidas que caminham sobre a Terra, anjos não existem e que Deus se locomovia numa nave hiperavançada desde antes do início da era cristã?
O início se deu numa gruta, quando uma adolescente de dezesseis anos fez uma escolha que mudaria todo o rumo da humanidade.

Título: Amor Liberto
Autor: Ademir Pascale
Capa, layout e diagramação: Marcelo Bighetti
Ilustração: Vasili Vasilyevich (1842-1904)
Gênero: Fantasia/Ficção Científica
Nº de páginas: 16
Ano: 2012
Arquivos disponíveis: PDF, ePub, Mobi

Já está em pré-venda. Para mais informações, acesse:

--------------------------------
 Literatura Brasileira: missão ou entretenimento?
Hoje, no Café Filosófico CPFL


Em 1902 dois livros fundamentais para a cultura brasileira foram publicados: Os sertões, de Euclides da Cunha, e Canaã, de Graça Aranha. Dois temas centrais atravessam os livros: a discussão sobre a miscigenação e seus descontentes, assim como a falta de diálogo entre Brasil urbano e Brasil rural. O êxito imediato dos dois títulos ajuda a compreender a força que a ficção teve no Brasil: ao constituir um espaço privilegiado para pensar o país e seus impasses, atribuiu-se à literatura uma missão propriamente civilizatória, empenhada. Contudo, outra forma de ficção também foi esboçada, como se fosse um veio subterrâneo que, sem deixar de ser crítico, não chegou a constituir-se como o cânone da cultura brasileira.
No encontro da série “Invenção do contemporâneo”, buscaremos reconstruir essas linhas de força, a fim de apresentar um panorama dinâmico da ficção brasileira nos últimos 100 anos.
Gravada no dia 3 de maio de 2012 em Campinas.
O Café Filosófico CPFL vai ao ar na TV Cultura às 22h.
---------------------------

 Olá, Gláucia Garcia, é muito bom tê-la por aqui e agradeço por você ter concedido a entrevista ao Histórias Fantásticas.

Miriam Santiago: Gláucia, além de professora você ainda consegue arrumar sempre um tempinho para suas pinturas. Conte como surgiu essa vocação.

Quando criança eu já dizia querer ser artista plástica, mas também queria ser professora. Fiz magistério, Artes Plásticas e sou professora de Arte há 24 anos.
Sempre fiz artesanatos em casa: pintura em gesso, pintura em pratos, bijus, estava sempre inventando! Mas nunca pintura em tela!
Em 2003 comprei telas e tintas pra minha filhinha brincar e fui brincar junto! Daí em diante eu sempre pintava uma tela enquanto ela pintava outra. Em 2008 recebi uma visita que me incentivou a pintar telas maiores e participar de coletivas e a 1ª foi o “X Salão Contemporâneo” em Santos, setembro de 2008. Aí passei a levar mais a sério.

Miriam Santiago: Gláucia, quantos quadros você já pintou até hoje?

Acho que uns 50 pequenos e uns 60 maiores, 60x80 cm.

Miriam Santiago: Sei que você adora cores, pois seu trabalho é bem alegre e colorido. De onde vem toda essa inspiração?

Realmente adoro cores, os contrastes, gosto de brincar com isso! Acho que minha inspiração maior é a cidade de Paraty, suas construções e cores também!  Mas também me inspiro em praias e igrejas; deixo a imaginação voar ou  desenvolvo algum tema proposto.

Miriam Santiago: Gláucia, dentre suas obras, tem alguma em especial? Por quê?

Essa é mais difícil responder...rs...Adoro Algumas...

Miriam Santiago: Quais são suas fontes? Onde você encontra a inspiração para seus quadros?

Na verdade é tudo meio mágico quando bate a vontade de pintar!


Miriam Santiago: Existe algum ritual no seu processo de criação?

Não realmente, mas brinco colocando uma tiara de carnaval para prender o cabelo, é bem colorida...rs digo que é para me antenar com as cores...rsrs.


Miriam Santiago: Volte e meia você de destaca na mídia com alguma exposição. Quais exposições você já participou? Teve alguma que foi mais importante?

De 2008 pra cá participei de algumas, já foram mais de 30 coletivas.
Em 2009 na 22º Salão de Arte ACSP Pinheiros; Recentemente na Casa da Fazenda do Morumbi (junho 2012) e na nossa Pinacoteca Benedito Calixto numa coletiva da Academia de Ciências, Letras e Artes de Santos em homenagem a Jorge Amado. As recentes são sempre importantes.
Também fiz duas exposições individuais:
2009: Magia das Cores, na Prodesan de Santos
2010: Magia das Cores II, no Palácio da Polícia de Santos.
Foram experiências maravilhosas! Receber amigos e sentir a reação das pessoas diante dos meus quadros.

Miriam Santiago: Você já teve alguma pintura premiada ou com destaque em algum evento?

Sim. Tive algumas a primeira foi “Festa do Divino” no Salão Novos Talentos de 2008.

Miriam Santiago: Qual o reconhecimento do público em geral sobre suas pinturas?

Os conservadores não gostam...rs acham colorida demais! A maioria das pessoas gosta bastante, elogiam, reparam nas cores, falam da sensação boa que sentem, do alto astral. As crianças adoram!


Miriam Santiago: Novos projetos para este ano?

Este ano só estou pintando quando tenho vontade, sem me obrigar a participar de exposição alguma. Talvez apareça alguma boa oportunidade e aí te aviso quando for certeza!

Miriam Santiago: Gláucia, o que você recomenda aos novos artistas plásticos?

Não desistir, fazer só do jeito que gosta, ignorar os palpiteiros e ter cuidado com os invejosos.

Miriam Santiago: Finalizando, deixe seus contatos para que possamos acompanhar suas obras.






Obrigada pela entrevista, boa sorte e sucesso. Abraços,
Histórias Fantásticas

Eu que agradeço Miriam, muito obrigada pela oportunidade!
Beijão!
-------------------------
Dia Mundial da Fotografia

O Dia Mundial da Fotografia comemora-se anualmente a 19 de Agosto.
A celebração da data tem origem na invenção do daguerreótipo, um processo fotográfico desenvolvido por Louis Daguerre em 1837.
Mais tarde, em Janeiro de 1839, a Academia Francesa de Ciências anunciou a invenção do daguerreótipo e a 19 de Agosto do mesmo ano o Governo francês considerou a invenção de Daguerre como um presente "grátis para o mundo".
Outro processo fotográfico - o calótipo, inventado também em 1839 por William Fox Talbot, fez com que o ano de 1839 fosse considerado o ano da invenção da fotografia. 

Nenhum comentário: