domingo, 12 de agosto de 2012


Olá amigos, bom dia e um feliz Dia dos Pais para todos os leitores pais da página e espero que vocês recebam muitos presentes.
Vejam as novidades deste domingo:
O espetáculo Comédia em Pé se apresenta hoje, às 19h, no Teatro Coliseu.
O escritor Rogers Silva lança o livro Manicômio hoje, das 19h às 22h, leia mais.
Se você gosta de peças raras não pode perder o leilão que acontece até dia 16.
Comemoração ao Dia dos Pais e uma linda poesia de Mário Quintana que ressalta a importância da data.
Bem, por hoje é só, mas amanhã tem mais.
Abraços,
Miriam 

Espetáculo Comédia em Pé 

hoje no Teatro Coliseu

Hoje, às 19h, se apresenta no Teatro Coliseu, em Santos, o espetáculo Comédia em Pé, que divertiu cerca de 30 mil pessoas durante a Virada Cultural Paulistana.
Acompanhados apenas por um microfone, os humoristas Claudio Torres Gonzaga, Camila Vaz, Léo Lins, Smigol e Victor Sarro mostram situações do cotidiano e fatos hilários, narrados com muito humor, sarcasmo e ironia.
Uma das atrizes do espetáculo é a santista Camila Vaz. Ela afirma que mora no Rio de Janeiro e que tem um grupo de comédia stand-up formado apenas por mulheres.
Segundo o diretor do espetáculo, Claudio Torres Gonzaga, que é o mestre de cerimônias do show, cada comediante tem 15 minutos para se apresentar.
O espetáculo está em cartaz há sete anos ininterruptos e a cada apresentação os comediantes mudam os assuntos e apresentam ao público novos temas e abordagens. Ao longo do tempo, novos quadros foram surgindo, como a "Piada do Dia", quando são elaboradas piadas em cima de um assunto proposto, e o "Mico Aberto", quando um comediante em início de carreira é convidado a se arriscar e apresentar-se por três minutos.

Serviço:
Comédia em Pé
Dia: hoje, às 19h
Local: Teatro Coliseu – rua amador Bueno, 237, Centro, Santos
Telefone: (13) 4062-0016
Ingressos: de R$ 60,00 a R$ 80,00
--------------------------

Lançamento do livro 'Manicômio', 

de Rogers Silva


Hoje, às 19h

“Amor e morte são os temas dominantes neste primeiro livro de Rogers Silva. Causa e efeito: o amor conduzindo inevitavelmente à morte, ambos conectados num fluxo só: amor-morte. A morte.
Perdidos num turbilhão de canções e filmes românticos, os apaixonados de Rogers Silva atravessam parágrafos vertiginosos, às vezes longos. O discurso direto copulando com o discurso indireto, a primeira pessoa com a terceira. Misturando prazeres e sofrimentos. Indo mais longe: fazendo do prazer sofrimento, do sofrimento prazer.
A linha que tudo costura — amor, morte, prazer, sofrimento — é a loucura. Cuidado, leitor desavisado. Somente com muita sorte você conseguirá escapar destas páginas com a sanidade ainda intacta. Esta coletânea de narrativas tem a mesma densidade claustrofóbica e desestabilizadora do Asilo Arkham, a notória instituição psiquiátrica da mítica Gotham City.
Está preparado para a camisa-de-força? A literatura de Rogers Silva não é para leitores comuns, é para os raros, ou só para os loucos, como queria Hermann Hesse no romance O lobo da estepe.
Insanidade cerrada. A densidade discursiva vem da complexidade existencial das personagens e do narrador. As ficções aqui reunidas revelam o mundo desencantado de dezenas de pessoas, não só de Desseres. Há o desencanto das crianças, Hugo e Clarissa. Da insaciável Josi. Dele mesmo, Jesus Cristo. Há até o desencanto de uma canção-narradora, que conta ela mesma sua história de amor e morte.
As duas narrativas mais psicologicamente violentas são sem sombra de dúvida as mais fragmentadas, O espelho e Manicômio.
Na primeira, o diálogo intertextual com o conto de Machado rendeu um texto longo e inquietante, que seduz e incomoda simultaneamente. A louca pede ao cocheiro que não corra tanto, então o tempo começa a avançar e a recuar, os cenários vão mudando, começam a aparecer outras personagens: Carolina, Policarpo Quaresma, Campos de Carvalho, e tudo vai ganhando a consistência de um sonho.
Já estamos em pleno manicômio, onde os desejos e os impulsos mais antigos amordaçam a razão e matam o professor de lógica. Nesse estabelecimento a juventude está sem rumo (ainda, há décadas), o amor persegue a própria cauda e a morte violenta é a parada final”.

Por Luiz Bras

Serviço:

Coquetel de lançamento do livro Manicômio de Rogers Silva
Dia: hoje,  das19h às 22h
Local: Espaço Cultural do Mercado Municipal  - Rua Olegário Maciel, nº 255, esquina com Av. Getúlio Vargas, Uberlândia/MG
Apresentação musical com Leandro Rabelo (voz e violão) e Leonor Jr (percussão). Performances inspiradas nos contos do livro. Projeção do booktrailer. Salgados, pão de queijo, café, suco e refrigerantes. Amigos, conversas, interação, alegria 
A entrada é gratuita.
---------------------------

Leilão de peças raras

Para quem sempre sonhou em ter um autógrafo dos Beatles ou um guitarra usada por Bob Dylan, o escritório Salles &Von Brusky coloca em leilão peça raras de memorabilia musical e esportiva em São Paulo, de 13 a 16 de agosto, às 20h30. 
Além dos destaques da área musical, está a venda uma bola utilizada no último jogo do Rei Pelé, no dia 18 de julho de 1971, em um empate em 2x2 contra a Iugoslávia, no Maracanã. A bola está autografada pelo ex-jogador e entra no leilão junto a muitas peças raras do período imperial brasileiro. 
Também vai a pregão uma capa do disco No Quarter, do Led Zeppelin, autografada por Jimmy Page e Robert Plant e material raro da banda Túnel do Tempo – a primeira ‘cover’ dos Beatles a gravar no estúdio Abbey Road, na Inglaterra.
Entre as obras de arte está o óleo sobre tela “O Discurso e a Admiração”, do pintor brasileiro Pedro Weingartner (1853-1929) e a imagem de Frei Agostinho da Piedade, datada do século XVII, esculpida em barro, que pertenceu a Plácido Gutierrez, um dos principais colecionadores de arte sacra do país, nas décadas de 1930 e 1940.

Serviço:
Leilão de peças raras
Período: de 13 a 16/8, às 20h30
Local: sede da Salles & Von Brusky - Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 1935, Jardim Paulistano, São Paulo
Telefone: (11) 3062-6340
Site: www.sevb.com.br

Fonte: jornal A Tribuna
--------------------------

Hoje é Dia dos Pais

O Dia dos Pais no Brasil é comemorado no segundo domingo de agosto. Isso faz com que haja uma variação na mesma, caindo em dias diferentes.
A história mais conhecida em comemoração ao Dia dos Ppais é a de William Jackson Smart, um ex-combatente da guerra civil que perdeu sua esposa quando os seis filhos eram ainda bem pequenos, criando-os sozinho. Sua filha Sonora Smart resolveu homenageá-lo, no ano de 1909, em razão da admiração que sentia, por este ter dedicado sua vida aos filhos e ter conseguido criá-los muito bem. A data escolhida foi a de nascimento de Willian, dezenove de junho.
Aos poucos a data passou a ser difundida a outras famílias da cidade onde moravam, no estado de Washington, sendo espalhada por todo país, até que o presidente Richard Nixon tornou-a oficial.
Porém, o primeiro registro de homenagem a um pai surgiu na antiga Babilônia, há mais de quatro mil anos, onde um jovem modelou e esculpiu um cartão para seu pai, desejando sorte, saúde e muitos anos de vida.
Nos Estados Unidos a data ficou estabelecida para ser comemorada no terceiro domingo de junho, assim como África do Sul, México, Canadá, França, Turquia, Venezuela, dentre outros. Na Austrália e Nova Zelândia a comemoração acontece no primeiro domingo de setembro; na Rússia, no dia vinte e três de fevereiro; na Tailândia, no dia cinco de dezembro; e na Itália, no dia 19 de março, dia de São José.
A data passou a ser comemorada no Brasil a partir de 1953.

Fonte: site Brasil Escola

Poesia de Mário Quintana em 

homenagem ao Dia dos Pais




Nenhum comentário: