terça-feira, 10 de julho de 2012

Bom dia a todos e vamos a mais uma semana depois do feriado prolongado.
O que pode acontecer no leito de morte? Saiba mais no miniconto desta terça-feira.
Se você gosta de Literatura Fantástica vá se programando, pois vem aí o Fantasticon 2012.
Para ficar sempre na moda sem gastar muito basta reinventar.
A Estação da Luz é uma boa dica de lazer agora nas férias, leia mais.
Vou chegando ao fim e espero que gostem dos assuntos.
Beijão e até amanhã.
Miriam

No leito de morte

A família reunida no quarto do hospital aguarda, com lágrimas nos olhos, a despedida da matriarca, a última herdeira de uma riqueza cobiçada.
No leito de morte a avó chama todos para suas últimas palavras.
— Sei que todos vocês vieram se despedir de mim, — dizia a senhora, apontando e falando o que deixara para cada um.
Os familiares não disfarçavam o semblante de indignação com os bens deixados pela matriarca, mobílias e carros antigos.
— Como religiosa que sou, — falava a velhinha sobre sua fortuna, — deixo todos os meus bens ao ex-padre Roberto, que hoje é meu marido e que nos últimos dez anos me foi muito amável atendendo todos os meus pedidos... — finaliza a avó, segurando a mão do ex-pároco, um quarentão alto, moreno, porte atlético e de um sorriso cativante.
------------------------
Vem aí o Fantasticon 2012
Vá se programando

O Fantasticon é o evento mais importante sobre Literatura Fantástica do Brasil. O objetivo é reunir leitores, escritores e editoras para debater ideias, trocar informações, levantar tendências e se divertir.
O Fantasticon surgiu em 2007, com o objetivo de reunir o público em geral e pessoas interessadas em Literatura Fantástica.
A proposta é incentivar e enriquecer o estudo e o debate sobre o Fantástico no Brasil em suas três manifestações literárias principais: a ficção científica, a fantasia e o horror. Para isso, são realizadas palestras, mesas-redondas, oficinas, mostra de filmes, exposições, lançamentos, sessões de autógrafos, atividades lúdicas e muita confraternização!
A finalidade é estimular e ampliar a reflexão crítica sobre a Literatura Brasileira, em geral e a Literatura Fantástica, em particular, apresentando, discutindo e divulgando as produções nacionais e internacionais, de forma acessível ao público em geral.
O Fantasticon é organizado pelo editor Silvio Alexandre, em uma realização da Biblioteca Pública Viriato Corrêa, do Sistema Municipal de Bibliotecas e da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.
Aguarde por mais informações.
------------------------
Moda
A tendência é reinventar

Outro dia li uma notinha sobre moda muito legal no AT Revista (encarte de domingo do jornal A Tribuna) sobre moda, ou melhor, o reinventar, para que as pessoas, a cada nova estação, não fiquem acumulando roupas e superlotando o guarda-roupa. 
Então, não é preciso gastar muito para ter looks diferenciados, pois é possível dar uma nova cara à produção com um visual moderno apenas com o que se tem em casa.

Veja algumas dicas:

Meia-calça fio 40, preta ou colorida, pode ser usada com shorts, saias e vestidos curtinhos. O importante é não passar frio e mudar o estilo.
Já as blusas do tipo segunda pele, ou body, de manga longa pretas são ideais para esquentar as peças cavadas ou ainda usar por baixo das transparentes.
Outras peças indispensáveis são as pashminas e cachecóis estampados, que dão um toque especial às roupas escuras.
Então, se você tem essas peças no armário é bom conservá-las e usá-las da melhor maneira possível, sempre modificando dentro do seu estilo pessoal.
Gostaram das dicas? Espero que sim.



-----------------------------
Dica de lazer para as férias
Estação da Luz, em São Paulo

Muitos visitantes do Museu da Língua Portuguesa não sabem que as atrações do local vão muito além do ambiente expositivo. A Estação da Luz, prédio que abriga o museu, é uma atração em si. Construída em 1901 e ocupando 7.500 metros no Jardim da Luz, já foi considerada a sala de visitas de São Paulo: por aqui chegavam os imigrantes, que muitas vezes tinham suas primeiras impressões da cidade. O cheiro, a cor, a luz e, claro, a língua. Por ela também passava o café que seria exportado através do porto de Santos, assim como bens de consumo e de capital importados que abasteciam a cidade. Personalidades importantes, homens de estado, diplomatas, intelectuais e artistas – todos eram obrigados a desembarcar por aqui, seja para serem recepcionados, seja para se despedirem. Era o primeiro e último olhar da cidade.
Tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico em 1982, o complexo arquitetônico da Estação da Luz é hoje uma atração turística importante. Passear entre suas quatro plataformas é conhecer o embrião daquela que seria o motor econômico do país, e principal cidade da América do Sul. Seu projeto de estilo vitoriano, que tinha como responsável James Ford, era um referencial urbano, que constituía a “imagem do Brasil”. Sua arquitetura, aliás, é um reflexo do poder do café no Brasil. Porém, como o prédio sofreu um incêndio no final dos anos quarenta, o que o visitante verá de fato é sua versão reformada, datada de 1951. Obras de recuperação foram realizadas em 2003, recuperando a cobertura e outros ornamentos, além do grande relógio, que era um diferencial para acertos na cidade – e que ainda está em funcionamento. A parte interna, as fachadas laterais e a principal foram concluídas no aniversário de 450 anos da cidade de São Paulo.
A visita pode ser feita diariamente, entre as 4h e a meia-noite. Outra atração é fazer um passeio no Expresso Turístico, uma linha que serve para mostrar e divulgar a história das linhas e dos trens, os quais impulsionaram a capital e as cidades que fazem parte da malha ferroviária paulista. Suas paradas incluem Paranapiacaba, Mogi das Cruzes e Jundiaí, com locomotivas que puxam vagões de longo percurso de capacidade para 170 pessoas, movidas a diesel e a cerca de 40 quilômetros por hora.
A 60 km da capital, Jundiaí e cidades vizinhas reservam uma série de atrações, como o Museu Ferroviário, da Cia Paulista de Estradas de Ferro, que praticamente desenhou o mapa ferroviário do interior de São Paulo, as belezas naturais da Serra do Japi com suas trilhas e caminhadas, e o Circuito das Frutas, uma viagem pelos produtores de uva, morango, caqui, figo etc, localizados nos municípios da região. Há ainda outros aspectos de interesse turístico, como a arquitetura local, parques e feiras de artesanato.  


Nenhum comentário: