domingo, 10 de junho de 2012

Um bom dia para todos vocês leitores do Histórias Fantásticas.
Você já ficou loucamente apaixonado (a) e fez juras de amor? Renato, o personagem do nanoconto de hoje sim. Com o tema “Juras de amor”, tire suas próprias conclusões e faça você o final desta mini história.
Hoje é Dia da Língua Portuguesa, saiba mais sobre sua importância e também conheça o Museu da Língua Portuguesa em São Paulo.
No dia 20 de julho dê livros de autores nacionais de presente. Saiba mais como participar deste importante projeto do escritor Ademir Pascale.
Você conhece o Museu Inhotim? Ele é o maior museu de obras contemporâneas do mundo.
No Cantinho da Poesia tem uma linda poesia do escritor e poeta Marcos Henrique, autor do livro O Lado Avesso.
Espero que gostem e amanhã tem mais postagens novas.
Grande beijo,
Miriam

Nanoconto
Juras de amor

Renato era loucamente apaixonado por sua namorada e fazia juras de amor.
A moça vivia nas nuvens pelas belas palavras do amado e na ilusão de sua paixão.
Contudo, na vizinhança, Renato encantava outras garotas.
Já a namorada, sonhava em subir ao altar com ele. 
---------------------
No dia 20 de julho dê livros de autores nacionais de presente
Participe da Campanha

 Em 2011, o escritor Ademir Pascale criou um projeto intitulado "No dia 20 de julho dê livros de autores nacionais de presente", com o intuito de incentivar autores e editoras nacionais. A repercussão foi gigantesca nas redes sociais e mais de 60 autores e editoras aderiram.
Neste ano o projeto continua.
Tudo é muito simples, os interessados em participar devem entrar em contato com o autor do projeto, Ademir Pascale, que ele enviará por e-mail toda a mecânica da campanha.

Veja como foi em 2011, assim como a lista completa dos autores e editoras que aderiram e os livors que estão em promoção:
---------------------------

Hoje é Dia da Língua Portuguesa

O mundo que fala português (chamado lusófono) tem atualmente cerca de 250 milhões de pessoas e no Brasil estão 80% desses falantes. O português é a língua oficial em Portugal, Ilha da Madeira, Arquipélago dos Açores, Brasil, Moçambique, Angola, Guiné-Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, é a quinta língua mais falada do planeta e a terceira mais falada entre as línguas ocidentais, atrás do inglês e do castelhano. Seu ensino virou obrigatório nos países que compõem o Mercosul.

Não oficialmente, o português também é falado por uma pequena parte da população em Macau (território chinês que foi até 1999, administrado pelos portugueses); no estado de Goa, na Índia (que foi possessão portuguesa até 1961) e no Timor Leste, na Oceania (até 1975 administrado pelos portugueses, quando então foi tomado pela Indonésia, atualmente é administrado pela ONU).

O fato de a língua portuguesa estar assim espalhada pelos continentes deve-se à política expansionista de Portugal nos séculos XV e XVI, que levou para as colônias essa língua tão rica, que se misturou a crenças e hábitos muito diversos, e acabou simplificada em vários dialetos. São chamados de crioulos os dialetos das colônias européias de além-mar.

Fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/junho/dia-da-lingua-portuguesa.php#ixzz1xMnoVmnm

 

Museu da Língua Portuguesa

 

O Museu da Língua Portuguesa é ponto de encontro do visitante com a língua, a literatura e a história, exibidas por meio de recursos audiovisuais e tecnologia de ponta. No lugar de paredes, vozes. No lugar de obras, espaços interativos. No coração de São Paulo, na Estação da Luz, o Museu proporciona uma viagem sensorial e subjetiva pela língua portuguesa, a sexta língua mais falada no mundo, guiada por palavras, autores e estrelas do Brasil.

Instalado no prédio acima da plataforma de trens da Estação da Luz, no centro de São Paulo, o museu conta com um vasto conteúdo sobre a história da Língua Portuguesa, os idiomas que ajudaram a formá-la, as formas que a linguagem assume no cotidiano e a criação da língua na literatura brasileira, entre outros temas. Tudo isso em diversas mídias para garantir interatividade ao visitante.

 

Serviço:

Museu da Língua Portuguesa – Praça da Luz, s/nº, São Paulo/SP

Telefone: (11) 3326-0775
Site: www.museulinguaportuguesa.org.br 
Funcionamento: Terça a domingo, das 10h às 18h. Bilheteria até as 17h
Ingresso: R$6 e meia-entrada. Crianças até 10 anos e adultos a partir de 60 anos não pagam
OBS: às últimas terças de cada mês o horário é estendido até as 22h A bilheteria fecha às 21h
---------------------------

Museu de Inhotim reúne natureza e arte


A paisagem já é uma obra de arte em Inhotim, o maior museu de obras contemporâneas do mundo, localizado em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais.
A natureza envolve o museu em um milhão de metros quadrados e, entre a vegetação surgem as peças de museu que não são só para olhar.
A arte de Inhotim mexe com todos os sentidos; emitem sons, provocam visões, sensações, cheiros e aguçam até o paladar, atraem visitantes do mundo inteiro. Em uma das obras, o reflexo no vidro distorce a imagem e o visitante se diverte até com o que não gostaria de ver.
Entre as palmeiras, imensas galerias de arte guardam outras surpresas. Uma das obras fica em uma sala com 40 caixas de som. Cada uma delas emite a voz do integrante de um coral. Em cada canto da galeria, é possível ter uma sensação diferente e, no meio da sala, a oportunidade de perceber o conjunto das vozes e apreciar. São as vozes do coral de uma catedral inglesa, cantando música do século XVI.
No alto da colina, uma construção de concreto e vidro guarda o “som da Terra". Em um buraco, com 202 metros de profundidade, estão seis microfones de cristal, que registram os sons do subsolo.
Em outra sala vazia, apesar do eco, a experiência não é do som, mas do olhar. Com uma ilusão de ótica, o visitante tenta ultrapassar uma parede de vidro, que na verdade não existe. Bastou uma iluminação diferente e uma moldura branca em diagonal para criar o efeito.
E tem mais sensações para serem experimentadas em Inhotim: música, projeção, brincadeiras numa sala de espumas ou de balões e descanso em redes. “Quando a gente passa em Inhotim e entra nessas diferentes galerias, o que vemos é a possibilidade de uma infinidade de obras que, num primeiro momento, são impensadas como formas artísticas”, diz a curadora de arte e educação do Museu, Janaína Melo.

Fonte: Jornal Hoje/G1

Serviço:
Museu Inhotim
Endereço: Rua B, 20, Inhotim, Brumadinho, Minas Gerais/MG
Horário: terça, quarta, quinta e sexta: das 9h30 às 16h30. Aos sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30.

Ingressos: Em média, R$ 20,00

INFORMAÇÕES GERAIS:
Transporte Saritur
Saída da Rodoviária de Belo Horizonte às 9h (plataforma F2) e retorno às 16h, de terça a domingo.
Localização
Inhotim está localizado no município de Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte (aproximadamente 1h15 de viagem). Acesso pelo km 500 da BR-381 – sentido BHSP. Pode-se chegar ao Inhotim também pela BR-040 (aproximadamente 1h30 de viagem). Acesso pela BR-040 - sentido BH-Rio, na altura da entrada para o Retiro do Chalé.
Entrada
Terça-feira: entrada gratuita
Quarta a domingo incluindo feriados: R$ 20 (meia-entrada válida para estudantes identificados e maiores de 60 anos). Crianças de até cinco anos não pagam.
OBS: A partir de 1º de março de 2012 esses valores foram reajustados
Informações 
Telefones: (31) 3227 0001 / 3571 6638 / 3223 8224
---------------------------
Intelecção
Marcos Henrique Martins

Hoje não tenho nada para você – Acabaram as floras, morreram os jardins. –
Hoje não tenho nada para os amigos – Findaram os abraços, apertos de mãos, sorrisos doces. –
Hoje, o dia não se fez nascer, foi parido as duras penas, não queria a perfeição da rima.

Quando os corações se tocam, faz algum sentido o tempo da saudade.
Quando meu poetar faz algum sentido e não provoca sensações, não me satisfaço com os sorrisos de canto de boca.

Hoje, o dia acordou com olhos de ressaca e me revelaram os motivos da traição de Capitulina. Tudo foi feito por amor, assim como as guerras, assim como os acertos e os erros. Tudo é culpa do amor.

Hoje, não tenho nada para você, nada para os garotos de rua que não se adaptam mais a um lar e, os olhos não conseguem esconder a tristeza da nossa impotência.
Hoje. Hoje vai ser o melhor dia de minha vida porque penso que posso controlar alguma coisa. Que tolo. Hoje achei que poderia explicar os mistérios da vida em um simples poema sem rimas.


Autor do livro O Lado Avesso, conheça o escritor e poeta, acesse:

Nenhum comentário: