terça-feira, 12 de junho de 2012

Hoje é Dia dos Namorados e o blog está com ar de romantismo!
Para comemorar, que tal falarmos de amor?
Conheça como surgiu a homenagem à data.
Tem um conto sobre o Dia dos Namorados, um poema que irradia o amor e também filmes românticos que marcaram épocas. Veja mais.
Espero que gostem dos assuntos e amanhã tem mais.
Beijo grande a todos vocês. 


Hoje é Dia dos Namorados

Seu surgimento foi em homenagem aos deuses Juno e Lupercus, conhecidos como os protetores dos casais. No dia 15 de fevereiro, faziam uma festa a estes, agradecendo a fertilidade da terra, os rapazes colocavam nomes de moças em papeizinhos para serem sorteados. O papel retirado seria o nome de sua esposa.
Como muitos casais apaixonados eram impedidos por suas famílias de casarem-se, um padre de nome Valentino passou a realizar matrimônios às escondidas, quando os casais fugiam, para que não ficassem sem receber as bênçãos de Deus.
Com isso, o dia 14 de fevereiro passou a ser considerado o dia de São Valentin (Valentine’s Day), em homenagem ao padre, sendo comemorado nos Estados Unidos e na Europa como o Dia dos Namorados.
A divulgação da data no Brasil foi feita pelo empresário João Dória, que havia chegado do exterior. Representantes do comércio acharam uma ótima ideia para aquecer as vendas e escolheram o dia 12 de junho para ser o dia dos namorados em nosso país. A data foi escolhida às vésperas do dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro.
As pessoas apaixonadas costumam presentear seus namorados ou cônjuges, a fim de mostrar todo o amor que sentem.
Nessa data, os casais saem para trocar presentes e comemorar, com um jantar romântico, a paixão que sentem um pelo outro, a afetividade e o amor, como forma de agradecer o companheirismo e a dedicação entre ambos.
Mas existem várias formas de comemorar o dia dos namorados. Mandar flores, cestas de café da manhã, uma cesta de happy hour para degustarem juntos, mensagens por telefone, serenatas, fazer uma pequena viagem, passar um dia em uma casa de relaxamento (SPA), dentre outras.
O importante é usar a criatividade e o romantismo!

Conto
Dia dos Namorados

A moça ao abrir a porta de sua casa se deparou com um lindo buquê de flores. No cartão: quer sair comigo hoje à noite?
Radiante a moça pega o buquê e o deixa em um vaso em cima da mesa da sala.
A felicidade era tanta em saber que tinha, realmente, alguém interessado por ela.
Paula já tinha vinte e poucos anos e nunca teve um namorado, não sabia o que era amar. Tímida, ela nunca chegava perto dos rapazes e nem olhava para eles.
Seus sonhos era amar e ser amada, mas quem?
Agora ela tinha um motivo, um estímulo, alguém estava interessado por ela. Mas quem seria?
A pergunta ficou remoendo-lhe o pensamento e a alma o dia inteiro. Quem seria o príncipe encantado que se interessara por ela?
No cartão, apenas a mensagem. Então como ela poderia sair e conhecê-lo se ele não deixou nome e nem telefone?
O dia inteiro no serviço foi de questionamentos e um só pensamento: quem será?
Paula olhava discretamente para todos os solteiros do serviço para saber se era alguém de lá que estava interessado por ela.
Há, o Renato certa vez me chamou para tomar um lanche, será que é ele?
E assim o dia passou rápido.
Paula nem se deu conta, mas já estava no fim do expediente e nenhum dos colegas de serviço a tratou diferente.
A moça pegou o ônibus e voltou para sua casa.
Acho que foi uma piada de mau gosto, uma pegadinha! — Pensava Paula durante a viagem até sua residência.
À noite chegou rápido. Paula andava pela casa de um lado para o outro olhando para o relógio cuco, que a deixava mais nervosa a cada badalada.
Já eram quase oito da noite e nem um sinal do suposto interessado.
Paula estava desgostosa e triste porque o dia estava terminando e a pessoa das flores não apareceu.
A moça colocou seu pijama e foi deitar-se, desiludida.
Mal pegou no sono e a campainha toca.
Paula coloca um roupão e desce para atender.
Crente que era a mãe que esquecera a chave mais uma vez, Paula abre a porta. Para sua surpresa, um homem alto, moreno e bem vestido abre um sorriso ao vê-la. Ele não diz nada e fica olhando para Paula.
— O que quer? — Diz Paula ao estranho, sem dar-lhe importância.
— Eu vim vê-la, não recebeu minhas flores e bilhete? — Responde o homem, que deveria ter uns 30 anos de idade.
         Sem reação alguma e com cara de espanto, Paula faz um sinal para ele entrar.
         — Como não tive mais retorno daquele bilhete, pensei que fosse uma brincadeira. — Disse a moça, feliz da vida em ver que ele era real.
— Você não acreditou, não é? Achou que minha mensagem não fosse verdadeira. — Disse o rapaz.
— Mas quem é você? Porque está interessado em mim? — Dizia Paula.
— Eu sou um colega seu de colégio. Bem, colega é força de expressão, pois nunca estudamos juntos, mas eu sempre te vi nas horas do intervalo. Você passava perto de mim com sua amiguinha e eu a observava o intervalo inteiro. Depois crescemos e nos mudamos daquela escola. Cada um foi para seu lado e nunca mais te vi.
— Não compreendo, porque nunca falou comigo? — Falava Paula, sem uma única vez se lembrar dele.
— É que você passava por mim, mas nunca existi para você. Mas hoje estou aqui, tomei coragem e vim me declarar. — Acrescentou o homem.
— Bem, eu nem sei o que dizer, disse Paula ao rapaz.
— Não diga nada, vá tirar o pijama, colocar uma roupa e vamos sair para nos conhecermos, afinal, hoje é dia dos namorados, disse o jovem.
Paula, radiante, subiu as escadas e foi se arrumar para o encontro, o primeiro de sua vida naqueles anos todos.
Sorridente e linda a moça saiu com o pretendente e aquele foi o dia mais inesquecível e feliz de sua vida.
A felicidade, muitas vezes, pode estar ao seu lado.

Poema Dia dos Namorados


Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?

Poesia de Luís Vaz de Camões (1524 - 1580), poeta português, considerado o maior poeta de língua portuguesa. Autor dos Lusíadas, maior obra literária portuguesa. 

Para relembrar...
Filmes românticos

Romeu e Julieta talvez seja a peça mais transportada para as estruturas cinematográficas de todos os tempos. As mais famosas produções foram a produção de 1936, de George Cukor, que ganhou mais de um Oscar, a versão de 1968 do diretor Franco Zeffirelli, e Romeu e Julieta, de Baz Luhrmann de 1996.
Morro dos Ventos Uivantes. O diretor Peter Kosminsky conta a história de um homem rico em busca de vingança, que se apaixona pela irmã do homem que deseja matar. Com Juliette Binoche e Ralph Fiennes.No final do século XVIII, em uma área rural da Inglaterra, surge com o tempo uma violenta paixão entre Catherine Earnshaw (Juliette Binoche) e o cigano Heathcliff (Ralph Fiennes), seu irmão adotivo. Criados juntos, eles são separados pela morte do pai de Catherine e a crueldade de como Hindley Earnshaw (Jeremy Northam), seu irmão, trata Heathcliff. Quando Heathcliff fica sabendo que ela vai casar com Edgar Linton (Simon Sheperd), um homem rico e gentil, Heathcliff foge para fazer fortuna, ignorando o fato de que Catherine o ama, e não o futuro marido. Dois anos depois, Heathchliff retorna para vingar-se de Hindley e Edgar e do abandono que Catherine lhe infligiu.
Razão e sensibilidade. Direção: Ang Lee e produção: Lindsay Doran. Duas irmãs órfãs e com poucas condições financeiras precisam se mudar para o campo, onde encontram o amor de formas diferentes. Com Emma Thompson, Kate Winslet e Hugh Grant no elenco. Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro adaptado.


Orgulho e Preconceito. Da mesma autora de Razão e Sensibilidade, Jane Austin. Na Inglaterra do fim do século 18, cinco irmãs são cortejadas pelos pretendentes. É quando a 2ª mais velha conhece um homem esnobe, com quem vive discutindo mas também se encontrando. Com Keira Knightley, Donald Sutherland, Brenda Blethyn, Judi Dench e Jena Malone. Recebeu 4 indicações ao Oscar. O Diário de Britget Jones foi baseado nesta obra. Até o nome do protagonista é o mesmo, Sr. Darcy. 


Love Story. Olivier, de classe superior , estudante de Harvard, casa-se com Jenny uma moça pobre de uma família italiana , contra vontade seus. Depois de algumas lutas, Oliver termina faculdade de direito e o jovem casal está prestes a começar uma família quando Jenny se encontra gravemente doente. Oliver é forçado a pedir dinheiro emprestado de seu pai para ela por causa de despesas médicas.
Fonte: Tribo da Leitura 

Nenhum comentário: