domingo, 11 de março de 2012

Olá pessoal, para aqueles que gostam de ficar em casa no domingão, que tal ler umas histórias? Além disso, tem também aqui na página exposição de fotografias e programa televisivo para hoje à noite.
O miniconto “Lembranças” é sobre uma moça que tem seu outro “eu” aflorado e faz muitas coisas que não deveria.
Já na página de Autores Estrangeiros, nada melhor do que o conto “O corvo”, de Edgard Allan Poe, dá uma espiada.
Sobre a exposição fotográfica que fui visitar, achei show de bola. 
Um abração e até amanhã.
Miriam


Miniconto
Lembranças

Acordara com o coração à boca por sonhar com aquelas cenas infernais novamente. Com o corpo molhado de suor, pensava que estava livre daquilo, do terror que destruiu sua juventude, colocando-a em um abrigo de delinquência juvenil até os 18 anos. As más lembranças, o sofrimento a fizera adormecer.
...

Na noite seguinte, de volta à vida noturna, ela caminha pelas ruas, gargalhando.
— Há! Como é bom estar livre e viver novamente como nos velhos tempos! Assim prosseguiu pela noite a bela morena num vestido negro curtíssimo, cabelos à cintura e sensualmente envolvente.
Radiante, ela foi ter com um homem que lhe ofereceu um programa, convidando-a a entrar em seu carro. Ao chegar ao quarto, ela logo foi tirando a roupa do desconhecido.
Ele estava perdido em suas carícias.
Ela, suavemente tira um punhal de sua bolsa. Beijando-o loucamente, crava-lhe o punhal no pescoço. Rapidamente o golpeia no peito. Levanta a faca novamente e...

— Calma, amiga, estou aqui agora, você estava tendo pesadelos. Já passou, tente dormir.
De manhã, aliviada, Carla percebe que não passou de um sonho e foi se aprontar para o trabalho.

Mexendo em sua gaveta, vê enrolado, o vestido preto sujo de sangue. 

------------------------------------------
Projeto Santos 
Um mergulho na minha cidade

Exposição de fotografias e estêncil arte das crianças participantes deste processo de ver e refletir sua cidade, proposto pela LUME Imagens comemorando os 120 anos do Porto de Santos.
As ações educativas foram desenvolvidas em unidades escolares indicadas pela Prefeitura de Santos envolvendo cerca de 360 crianças.
O projeto foi dividido em três módulos: oficinas de fotografia e estêncil; exposições dos resultados das oficinas nas comunidades; exposição final com um trabalho de cada participante, e o lançamento do catálogo e DVD documentário do projeto.
O projeto objetivou entre outras coisas estimular a expressão plástica através da imagem, possibilitar a reflexão imagética das crianças e seu entorno; valorizar o conteúdo e a técnica fotográfica sensibilizando assim para ampliar a visão de sua cidade.
Os trabalhos foram focados em temas como a cidade, o porto, o mar, suas velas, sua arquitetura, o seu tempo e seus mistérios.

Serviço:
Projeto Santos – Um mergulho na minha cidade
Até dia 25 de março
De terça a domingo, das 11h às 17h
Casa da Frontaria Azulejada
Rua do Comércio, 93, Centro, Santos

VEJA MAIS FOTOS DA EXPOSIÇÃO NA PÁGINA FOTOS


Casa da Frontaria Azulejada

É uma das mais significativas obras arquitetônicas de Santos, construída em 1865, para residência e armazém do comendador português Manoel Joaquim Ferreira Netto. O prédio, com dois pavimentos, ficou conhecido pela sua fachada de influência neoclássica, formada por azulejos em alto-relevo importados de Portugal. Concebida em forma de ‘U’, a construção tinha a abertura voltada para o porto. Com os anos, o sobrado passou a ser utilizado como escritório, hotel, armazém de cargas e, por fim, como depósito de adubos químicos. Em 1973, foi tombado em nível federal, o que provocou seu abandono definitivo. Anos mais tarde, vieram também os tombamentos pelo estado e município. Em 1986, quando foi desapropriada pela Prefeitura, a casa estava semidestruída, sem o teto e o piso superior. A recuperação da fachada aconteceu em 1992, com a devolução da estrutura original da porta principal e dos azulejos, restaurados ou reproduzidos. Realizado pelo artista plástico Luís Sarasá, o trabalho constituiu tarefa artesanal, cujo resultado contabilizou sete mil peças novas. Ali funciona, desde 2006, o maior espaço cultural do Centro Histórico.

Fonte: Portal Turismo Brasil

-----------------------------------------

Filhos… melhor não tê-los?  Rosely Sayão

Ter filhos é algo que assusta ou fascina os novos pais? A psicóloga Rosely Sayão parte de uma análise dos valores contemporâneos para falar sobre o modelo e o papel da família hoje, no Café Filosófico CPFL. 
Sayão amplia o tema, tirando-o de dentro das quatro paredes da casa para discuti-lo entre os muros da escola.

O Café Filosófico CPFL vai ao ar na TV Cultura às 22h.



Nenhum comentário: