quarta-feira, 21 de março de 2012

Olá amigos, que a quarta-feira seja produtiva para todos nós.
Saiu mais uma edição da Revista Eletrônica TerrorZine nº 25, Especial: BigFoot – A Lenda do Pé-Grande, revista promovida e organizada por Ademir Pascale e Elenir Alves.
Eu participei com a história "O amigo", e a revista tem muitos minicontos excelentes, dá uma conferida. 

Conheça sobre a Criptozoologia, por Ademir Pascale:

“Alguns cientistas afirmam que o Pé-Grande é descendente do extinto
Gigantopithecus, que possuía uma estatura maior que a dos tradicionais gorilas, mas dentes semelhantes aos dos humanos. No dia 15/08/2008, surgiram dois caçadores norte-americanos com um suposto corpo congelado de um BigFoot (Pé-Grande).
Após análises, foi descoberto que tudo não se passava de uma farsa, era simplesmente uma fantasia de macaco congelada. O Pé-Grande, Bigfoot ou Yeti, faz parte do estudo da criptozoologia, que é destinada a estudar animais estranhos ou lendários.
Entra nesta lista o Chupacabras, Lula-Gigante e Monstro do Lago Ness. A existência de algumas destas criaturas foram comprovadas. Em 2004, os pesquisadores Tsunemi Kubodera e Kyoichi Mori, capturaram uma lula-gigante, que até então era considerada apenas como um mito na criptozoologia.
Antigos navegantes contavam histórias terríveis sobre esta criatura, histórias que hoje podem ser consideradas reais”.

Além do miniconto, tem também no Cantinho da Poesia, o poema “Desabafo Contra Uma Juventude Perdida”, de Epicus Medieval.
Bem, por hoje é só.
Espero que tenham gostado dos assuntos.
Beijo grande e até amanhã,
Miriam

O amigo


No verão de 1990, eu resolvi como colunista sobre assuntos extraordinários de uma revista, desvendar o caso do “homem pequeno” da ilha de Sumatra, Indonésia. Convenci o editor e fui com um antropólogo, partimos em um mês. 
Foram dias de tentativas, entrevistas das mais bizarras e pesquisas sobre a criatura. Depois de 25 dias, estávamos desistindo, mas tentei pela última vez. Fui sozinho com um guia para o sudoeste da ilha. 
Andávamos por uma trilha no meio da mata. De repente, avistei pegadas estranhas de pés muito largos. Estava próximo, pensei. De repente, o tempo mudou e raios ecoaram pela floresta. O guia se pôs a correr e eu atrás. Escorreguei e rolei para longe da trilha. Todo machucado, desmaiei.
Acordei em uma caverna. Deitado, sentia que alguém cuidava de meus ferimentos. Na penumbra, vi que o ser tinha uma cabeleira espessa e cerrada até o meio das costas num corpo todo peludo. O forte cheiro me fez desmaiar novamente.  Acordei, desta vez, em um hospital.
Ninguém acreditou em minha história, que não foi publicada, mas ainda carrego em meu peito um colar feito de ervas, deixado por um amigo... 

Mais contos disponíveis:  http://www.divulgalivros.org/terrorzine25.pdf 



-----------------------------------
CANTINHO DA POESIA

Desabafo Contra Uma Juventude Perdida
Medieval Epicus

O que restou da humanidade?
Pessoas egoístas, alienadas sem pudor:
Por onde ando vejo maldade,
Isto causa-me medo e dor!

Jovens inúteis, criminoso eu vejo.
Sem cultura, educação; Somente desejo!
Drogas destruindo a humanidade ofegante...
Apologia ao crime agora é elegante?

Vejo : Jovens inúteis vagabundos!
Que tem como exemplos, marginais e a falta de pudor!
Vejo a minha volta cadáveres de moribundos.
Isto sangra e caus-me a imensa dor...

Não a nada a ser feito a esta geração perdida!
Olho por todos os lados não vejo saída,
Agora apenas, espero a escuridão.
Os jovens seguiram o caminho da maldição. 

Nenhum comentário: