domingo, 16 de dezembro de 2018

20º Festival de Arte Contemporânea Sesc 


Criado em 1983 por Solange O. Farkas, sua curadora-geral desde então, o Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil é realizado em parceria com o Sesc São Paulo desde 1992, o que possibilitou sua expansão e internacionalização. Foi nesse momento que a curadoria do Festival definiu o foco em torno do Sul geopolítico, assumindo esse recorte como condição para a seleção de artistas e passando a tratar seus contextos diversos e complexos.


O Festival consolidou-se ao longo dos anos como uma plataforma diversificada e múltipla voltada para a difusão, o fomento e a reflexão em torno da produção artística do Sul global, que compreende América Latina, Caribe, África, Oriente Médio, Oceania e alguns países da Europa e da Ásia. A parceria entre o Sesc São Paulo e a Associação Cultural Videobrasil viabiliza ainda a itinerância do Festival para outras cidades do Brasil, além de publicações sobre cultura e arte contemporânea.

Visitação:
Até dia 13/01/19. Terça a sexta, das 10h às 21h30. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h30.
Sesc Santos – Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida, Santos

sábado, 15 de dezembro de 2018


Museu da Imigração realiza visita integrada

Olá, excelente sábado a todos nós.
Quem estiver em São Paulo neste final de semana tem opção de visita no Museu da Imigração, acompanhe:

A visita acontece no Museu da Imigração, Museu da Inclusão e Museu da Diversidade; o ponto de encontro será no Museu da Inclusão às 14h.
Neste sábado (15), a partir das 14h, em alusão à Semana dos Direitos Humanos e à Campanha Sonhar o Mundo, o Museu da Imigração promove visita integrada com o Museu da Inclusão e o Museu da Diversidade.
A atividade é gratuita, e tem o intuito de discutir estereótipos, acessibilidade e espaço público.
O ponto de encontro será no Memorial da Inclusão e a finalização acontecerá no Museu da Imigração.

Serviço:
Visita integrada ao Museu da Imigração
Endereço: Rua Visconde de Parnaíba, 1316, Mooca, São Paulo 
Quando: sábado, dia 15/12, às 14 horas
Local: ponto de encontro: Memorial da Inclusão
Transporte: linha vermelha do Metrô
Inscrições limitadas e gratuitas:


Museu da Imigração
Fundado em 25 de junho de 1993, o Museu da Imigração do Estado de São Paulo é uma instituição pública vinculada à Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Está localizada na sede da extinta Hospedaria dos Imigrantes, na Rua Visconde de Parnaíba, 1316, no tradicional bairro da Mooca, na cidade de São Paulo. 

Fonte: Portal do Governo

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Exposição Em si de Eva Castiel

Olá, bom dia. Excelente sexta-feira a todos nós.
A exposição “Em si”, de Eva Castiel tem visitação gratuita até dia 24 de fevereiro de 2019, diariamente, das 8h às 20h, na Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo.
Durante o processo de criação da obra, que aborda as tribos nômades que vivem em uma faixa do deserto do Saara, os berberes, Eva fotografou as casas (Trigâ, 2018) e as mulheres berberes, trabalhando posteriormente com encáustica sobre as fotografias. Os retratos das mulheres foram retalhados em tiras, as quais foram recoladas, criando as imagens que são projetadas em véus na instalação da exposição Em si.
Aberta à visitação, Em si retoma os questionamentos sobre deslocamento, desterritorialização, sobre ser Estrangeira.
  
Eva Castiel
Nascida em São Paulo, descendente de húngaros e lituanos, Eva Castiel iniciou sua carreira artística nos anos 1980, com pinturas que logo chamaram atenção pelas cores vibrantes e pelas mulheres de atmosfera
dos filmes de Fellini. Formada em Pedagogia, Eva iniciou o curso de pós-graduação em Sociologia e Política, que abandonou para dedicar-se exclusivamente à arte. Nos anos 1990, as telas já não bastavam à Eva, e sua obra começou a tomar o espaço, desdobrando-se em suas primeiras instalações e trabalhos com recortes e colagens.
Nos anos 2000, Eva fez parte do grupo de artistas Casa Blindada, fazendo intervenções urbanas e arte pública coletivamente. Com o grupo, as instalações de Eva levantaram questões sociais e problemas da cidade de São Paulo, como fluxo migratório, falta de moradia, violência e insegurança etc.
Na última década, as instalações deram espaço a mais um suporte no espectro artístico de Eva Castiel: a vídeoarte. Os vídeos da artista abordam temas recorrentes em sua obra individual, como memória, apagamento, alteridade e morte, agora em enquadramentos difusos e com trilhas sonoras surpreendentes.
Todos esses aspectos são tratados nos textos de Estrangeira, monografia inédita de Castiel. Até seu último trabalho, base da exposição Em si¸ está presente no livro. A instalação aborda as tribos nômades que vivem em uma faixa do deserto do Saara, os berberes.

Serviço:
Exposição Em si de Eva Castiel
Quando: até dia 24/02/2019, das 8h às 20h - diariamente
Locais: Saguão | Sala Oval | Sala do Terraço – Biblioteca Mário de Andrade – Rua da Consolação, 94, Centro, São Paulo
Mais informações: (11) 3775-0002
Entrada gratuita 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018


Dicas da Língua Portuguesa

Olá, bom dia. Muito sol e calor aqui na Baixada Santista.
Para a coluna Dicas da Língua Portuguesa desta quinta-feira, relembrando um pouco mais sobre a Nova Ortografia.
Espero que seja útil, abraços.

Flexão de número dos substantivos compostos


Consulta: site do novo acordo ortográfico da língua portuguesa 

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018


Diálogos Impossíveis de Luis Fernando Verissimo

Excelente quarta-feira a todos nós.
Comecei a ler o livro “Diálogos Impossíveis”, de Luis Fernando Verissimo, escolhido como o livro do ano de Ficção e Prêmio Jabuti de 2013.  
O título reúne várias crônicas sobre o absurdo que marca a existência humano puro senso de humor que Verissimo descreve com tanta leveza e precisão.
São crônicas sobre o diálogo entre Batman e Drácula, logo no primeiro capítulo e por aí vai.  Nas histórias reunidas neste volume, Luis Fernando Verissimo escreve sobre impossibilidade, incomunicabilidade e mal-entendidos. Escreve, enfim, sobre a vida.
Bem, fica a dica, abraços.

Título: Diálogos Impossíveis 
Autor: Luis Fernando Verissimo 
N.º de páginas: 175 
Editora: Objetiva

Luiz Fernando Verissimo
Veríssimo nasceu em 1936 em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Começou tarde na literatura, mas já se consagrou como um dos melhores cronistas e romancistas do Brasil. Publica suas crônicas, também, em jornais como O Estado de São Paulo e O Globo

terça-feira, 11 de dezembro de 2018


Centro Cultural Matarazzo inaugura duas novas exposições

Olá, bom dia.
Agradeço ao leitor do Histórias Fantásticas Rafael Siqueira Santos pelo envio de material cultural e de lazer a todos.
E caso você tenha alguma dica legal pode encaminhar por e-mail, que será bem aceita.
Obrigada, abraços.

O Centro Cultural Matarazzo disponibiliza, até dia 03 de fevereiro de 2019, duas novas exposições de artes visuais. As mostras ficam abertas ao público com entrada gratuita.
Na Galeria Takeo Sawada o visitante pode conferir o mosaico em azulejos intitulado "Flores de Mariazinha", do artista Solas. "De fazer sentir a meus amigos [e a todas as pessoas], que há algo de bom e magnífico neles. De olhar o lado positivo de todas as coisas e de ser otimista na vida". As palavras de Daisaku Ikeda no poema “A Riqueza da Vida” definem o espírito desta exposição de mosaicos em azulejos na qual o artista expõe seus sentimentos em uma profusão de cores.
Já na Sala de Convivência tem a mostra "Arte em Sucata: O caminho da criatividade" de Deley Lodrão. Mecânico de motocicletas e artista, ele apresenta suas esculturas pela primeira vez ao público.
Deley sempre foi apaixonado pelas motos e pela velocidade, mas há 10 anos concretiza suas paixões e inspirações em esculturas feitas de sucata. Fazer arte com responsabilidade ambiental é a preocupação do artista, o que torna o seu trabalho ainda mais sensível e encantador. 

Serviço:
Exposições no Centro Cultural Matarazzo
Quando: até dia 03/02/2019 - de segunda a sábado, das 8h30 às 22h; domingos e feriados a partir das 16h
Endereço: Rua Quintino Bocaiúva, 749, Vila Marcondes, Presidente Prudente, São Paulo
Mais informações: (18) 3226-3399

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

A Um Gato poesia de Jorge Luis Borges


Excelente início de semana a todos nós.
A coluna Cantinho da Poesia traz o escritor e poeta Jorge Luis Borges, com o poema “A Um Gato”. Aproveito a poesia para homenagear o meu grande amiguinho gatinho/chatinho Chorão, neguinho do meu coração.

Não são mais silenciosos os espelhos
Nem mais furtiva a aurora aventureira;
Tu és, sob a lua, essa pantera
que divisam ao longe nossos olhos.
Por obra indecifrável de um decreto
Divino, buscamos-te inutilmente;
Mais remoto que o Ganges e o poente,
É tua a solidão, teu o segredo.
O teu dorso condescende à morosa
Carícia da minha mão. Sem um ruído
Da eternidade que ora é olvido.
Aceitaste o amor desta mão receosa.
Em outro tempo estás. Tu és o dono
de um espaço cerrado como um sonho.

Jorge Luis Borges
Jorge Francisco Isidoro Luis Borges Acevedo, nascido a 24 de agosto de 1899, em Buenos Aires, Argentina foi escritor, poeta, tradutor, crítico literário e ensaísta. Em 1914, sua família mudou-se para Suíça, onde estudou e de onde viajou para a Espanha. 
Em 1919, se mudaram para Madrid, onde Borges concluiu seus estudos. Em 1921, de volta à Argentina, começou a publicar poemas de inspiração surrealista. Publicou seu primeiro livro de poemas, “Fervor de Buenos Aires” (1923). Em 1937 foi nomeado diretor da Biblioteca Nacional, onde trabalhou durante nove anos.
Em 1943, publicou uma das suas mais importantes obras: “O Aleph”, considerado pelo crítico Harold Bloom, como uma das maiores obras literárias do ocidente. Na obra, Borges sugere imagens e espelhos onde o real confundia-se com a realidade.
Com a chegada de Juan Domingo Perón, à presidência da Argentina, Luis Borges foi demitido da Biblioteca Nacional em 1946, sendo obrigado a sustentar-se com ajuda de amigos, que o indicaram para conferências e palestras.
Acometido por problemas nos olhos, foi aos poucos perdendo a visão. Quando estava totalmente cego contou com a ajuda de sua mãe para escrever seus livros. A doença fez com que vivesse em reclusão durante boa parte do fim de sua vida.
Como reconhecimento por seu trabalho, Borges recebeu inúmeros prêmios, entre eles, o Prêmio do Congresso Internacional de Editores, além de prêmios do governo da Itália, da França, da Inglaterra e da Espanha. Luis Borges casou-se aos 86 anos com sua secretária Maria Kodama
Jorge Luís Borges faleceu em Genebra, Suíça, no dia 14 de junho de 1986.

Obra

Fervor de Buenos Aires (1923); Luna de Enfrente (1925); Inquisiciones (1925); El Idioma dos Argentinos (1928); Historia de la Eternidad (1936); El Jardín de Senderos Que se Bifurcan (1941); El Aleph (1949); El Hacedor (1960); Para Las Seis Cuerdas (1967); Elogio de la Sombra (1969); La Rosa Profunda (1975); El Libro da Arena (1975); História de la Noche (1976) e Los Conjurados (1985).

Fonte: Ebiografia, brasil escola, wikipedia e Google

domingo, 9 de dezembro de 2018


Teatro Tio Ivan

Olá, bom domingo a todos nós.
A Casa das Rosas apresenta a peça Tio Ivan, adaptação que acontece às sextas-feiras, das 19h às 21h, desde o dia 12/10, sendo a última apresentação no dia 21/12. Acompanhe:

Tio Ivan, por Núcleo Teatro de Imersão, dias 14 e 21/12, das 19h às 21h, com direção de Adriana Câmara, na Casa das Rosas. O valor do ingresso custa R$50, meia R$25, classificação 12 anos.
Nessa montagem imersiva de O Tio Vânia, de Anton Tchekhov, os espectadores são levados para dentro da casa de fazenda onde é desenvolvida a história da peça e percorrem seus diversos ambientes, como testemunhas invisíveis dos desejos, conflitos e frustrações dos personagens que os rodeiam.
O administrador de fazenda Ivan, sua sobrinha Sônia e Miguel, o médico da família, têm suas vidas desestabilizadas pela chegada à propriedade do célebre professor Alexandre, agora aposentado, e de sua jovem e bela esposa Helena.  


Ficha técnica
Realização: Núcleo Teatro de Imersão.
Texto: Anton Tchekhov (O Tio Vania).
Elenco: Adriana Câmara, Ariana Slivah, Glau Gurgel, Márcio Carneiro, Samuel Luz. 
Adaptação do texto, direção, cenografia, figurino, produção executiva e de arte: Adriana Câmara.
Assistência de direção: Letícia Alves.
Programação visual: Hernani Rocha.
Assistência de cenografia: Letícia Alves, Hernani Rocha, Samuel Luz.
Confecção do figurino: Ateliê Paz (Samantha Paz e Liduina Paz) 
Produção: Menina dos Olhos do Brasil.

Serviço:
Teatro Tio Ivan
Quando: últimas apresentações, dias 14 e 21/12, das 19h às 21h
Local: Casa das Rosas – Av. Paulista, 37, Bela Vista, São Paulo
Classificação: 12 anos
Duração: 105 minutos

Mais informações e compra de ingressos antecipados:

sábado, 8 de dezembro de 2018


Feira de Livro da Mário

Olá, bom sábado a todos. No momento da postagem, muita chuva aqui na Baixada Santista, espero que o tempo melhore.
Acompanhe que dica cultural legal para quem gosta de ler e já aproveitando o mês das Festas Natalinas. Espero que gostem, abraços.

A Feira de Livro da Mário, um espaço alternativo para adquirir presentes de Natal começou ontem e prossegue até dia 09 de dezembro.
Diversas editoras participantes oferecerem seus livros com desconto. Aproveite!



Programação:
Sábado (08/12)- Ficção e Autoficção - Uma conversa com Emilio Fraia e Tati Bernardi (Hemeroteca), das 13h às 14h
Encontro com João Silverio Trevisan sobre os livros: "Pai, pai" e "Devassos no paraíso" (Hemeroteca), das 18h às 19h
Peça: Rilke, direção de Arieta Corrêa e atuação de Ivo Müller (auditório), das 19h às 20h

Domingo (09/12) - Encontro com Graziela Gonçalves (auditório) das 15h às 16h
Clube de Leitura: "Mulheres que correm com os lobos" (auditório), das 13h às 14h
Os limites entre o real e o irreal com Eric Novello, Aline Valek (Rocco) e Antonio Xerxenesky (auditório), das 16h às 17h
 
Serviço:  
Feira de Livro da Mário
Quando: dias 08 e 09/12, das 8h às 20h
Local: Biblioteca Mário de Andrade
Hall de entrada 1- Rua da Consolação, 94, Centro, São Paulo
Hall de entrada 2  (São Luís)
Av São Luís, 235, Centro, São Paulo
Informações: (11) 3775-0002

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018


Um Gato de rua chamado Bob

Olá, excelente sexta-feira a todos nós.
Deixo a indicação do livro “Um Gato de rua chamado Bob”, dica da leitora Hannah Fátima, que volte e meia nos brinda com excelentes indicações de leitura.
Eu assisti ao filme, mas confesso que não li o livro. O filme é muito bom, gostei muito vale a pena.
Abraços,


O Livro que deu origem ao filme que emocionou milhares de pessoas em todo o mundo.
Sucesso no exterior, "Um gato de rua chamado Bob" ficou 52 semanas consecutivas na lista dos mais vendidos na Inglaterra e já teve seus direitos de publicação vendidos para mais de 26 países e na semana de lançamento no Brasil, já subiu para a lista dos livros mais vendidos. Em 2012, a história de James Bowen e do gato Bob foi destaque na mídia nacional como exemplo de superação e amizade entre os dois.
Conheça um pouco da história de "Um Gato de rua chamado Bob".

Um capítulo do livro
É uma tarde de outono em Covent Garden, Londres. Trabalhadores correm para o almoço, turistas brotam de todos os lados e clientes entram e saem das lojas. No meio de tudo isso está um gato. Usando um vistoso lenço Union Jack em volta do pescoço e cercado por uma multidão de 30 espectadores de boca aberta, Bob, o gatinho cor de laranja, sorri? é, sorri ? timidamente. Próximo a ele, está seu dono James Bowen, com seu violão surrado, cantando músicas do Oasis. Então, ele para de tocar e se abaixa para Bob: Vamos, Bob, cumprimente!?, diz. Bob mexe os bigodes, levanta uma pata e a estende para James. A multidão assobia. Não é todo dia que se vê um gato sentado, calmamente, no centro de Londres, aparentemente sem se abalar com o barulho das sirenes, os carros passando e todo aquele movimento ? mas Bob não é um gato comum.

Trailer do filme: